Deus castiga quando pecamos?

 

 

"Olá, pastor. Sou novo na fé e gostaria de saber se Deus castiga quando cometemos algum pecado."


R: Antes de responder a sua dúvida, precisamos saber a diferença entre castigo (punição) e disciplina. Segundo o dicionário, "punir" significa: castigar, reprimir, infligir castigo etc.

 Já a palavra "disciplinar" quer dizer: fazer obedecer, disciplinar as tendências, hábitos; estabelecer princípios etc.
Para aqueles que receberam Jesus como único Senhor e Salvador, todos os seus pecados (do passado, presente e futuro) já foram castigados na cruz. Em Isaías 53:5,6 está escrito: "... Ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados. Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós".
A humanidade está debaixo de uma condenação, mas, como cristãos nascidos de novo, nós nunca seremos castigados pelos nossos pecados, pois Jesus já pagou por todos eles com o próprio sangue.

A Bíblia diz: "Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus" (2 Coríntios 5:21).

Ou seja, por causa desse sacrifício, quando Deus olha para nós, Ele enxerga o que o Seu Filho Jesus fez por nós na cruz - Ele nos tornou justos ao olhos de Deus. Com isso, devemos acreditar nessa palavra: "Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus" (Romanos 8:1).
Se você ainda entregou sua vida para Jesus, conheça o plano de salvação aqui
Mas talvez você se pergunte: "O que acontece se eu continuar pecando mesmo depois de ter aceitado Jesus como Salvador?"
A Bíblia diz que você nunca conseguirá ser 100% santo, porque você ainda habita em um corpo contaminado pelo pecado (Rm 7:14-21).

Entretanto, se você nasceu de novo, o pecado já não tem domínio sobre você! Ele será apenas um "acidente de percurso", uma falha. Veja:"Todo aquele que é nascido de Deus não pratica o pecado, porque a semente de Deus permanece nele; ele não pode estar no pecado, porque é nascido de Deus" (1 João 3:9)


A semente de Deus dentro de nós é o Espírito Santo e é Ele quem nos santifica e nos convence do pecado. Porém, nós temos o poder de escolha, e se permitirmos que o pecado permaneça em nossas vidas, o Senhor irá nos disciplinar!

 

 Ele nos disciplina quando fazemos certas coisas que sabemos que é pecado, mas ainda assim, não arrependemos e nem 'cortamos' da nossa vida

Isso não quer dizer que Deus seja mau ou vingativo. Assim como um pai disciplina o seu filho para o seu bem, o Pai celestial, com amor e cuidado, nos corrige e nos faz voltar para os Seus caminhos. Veja:
"Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai? Se vocês não são disciplinados, e a disciplina é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos. Além disso, tínhamos pais humanos que nos disciplinavam, e nós os respeitávamos.

Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos! Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade. Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados" (Hebreus 12:7-11).
Veja que a disciplina é usada por Deus para tirar os Seus filhos do pecado e levá-los à obediência. Através dessa disciplina, Deus abre os nossos olhos para que possamos enxergar, de forma mais clara, o que Ele tem para nossas vidas. Como Davi disse no Salmo 32, a disciplina de Deus nos leva a confessar e nos arrepender dos pecados que ainda não foram tratados.

Ou seja: a disciplina é como uma "limpeza" em nosso interior. Ela também nos leva a experimentar "a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus" (Romanos 12:2). Isso quer dizer que a disciplina é algo muito bom!
Temos que nos lembrar que o pecado estará em nossas vidas enquanto estivermos nesta terra (Romanos 3:10,23). Por isso, não basta apenas lidarmos com a disciplina de Deus.

Precisamos também, lidar com as consequências do pecado. Por exemplo: se um cristão furta algo, Deus vai perdoá-lo do pecado, restaurando a comunhão com Ele.

 No entanto, as consequências do furto podem ser graves, levando até a prisão. Não podemos fugir dessas consequências, mas mesmo que elas aconteçam, Deus trata conosco através delas, aumenta a nossa fé e nos faz voltar ao caminho certo. É por isso que costumamos dizer: "É melhor vir para Deus por amor, do que pela dor".
"... Santifiquem Cristo como Senhor no coração. Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês... É melhor sofrer por fazer o bem, se for da vontade de Deus, do que por fazer o mal" (1 Pedro 3:15,17).

 

 

Será que Deus nos castiga quando pecamos?"

 



Resposta: Para responder a esta pergunta, primeiro precisamos fazer a distinção entre punição e disciplina. Para os crentes em Jesus, todos os nossos pecados - passados, presentes e futuros - já foram punidos na cruz. Como cristãos, nunca seremos punidos pelo pecado.

Isso foi feito de uma vez por todas. "Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus" (Romanos 8:1). Por causa do sacrifício de Cristo, Deus só vê a justiça de Cristo quando olha para nós. Nosso pecado foi pregado na cruz com Jesus, e nunca seremos punidos por causa dele.
O pecado que permanece em nossas vidas, porém, às vezes requer a disciplina de Deus. Se continuarmos a agir de forma pecaminosa e não nos arrependermos e voltarmos contra o pecado, Deus traz a Sua disciplina divina sobre nós. Se não o fizesse, Ele não seria um Pai amoroso e preocupado. Assim como disciplinamos os nossos próprios filhos para o seu bem-estar, assim também o nosso Pai celestial amorosamente corrige os Seus filhos para o seu bem. Hebreus 12:7-11 diz: "Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos.

Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai? Se vocês não são disciplinados, e a disciplina é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos. Além disso, tínhamos pais humanos que nos disciplinavam, e nós os respeitávamos. Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos!

Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade. Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados."
A disciplina, então, é o que Deus usa para tirar os Seus filhos da rebelião à obediência. Através da disciplina os nossos olhos se abrem de forma mais clara à perspectiva de Deus em nossas vidas. Como o Rei Davi disse no Salmo 32, a disciplina nos leva a confessar e nos arrepender dos pecados que ainda não foram tratados.

Desta forma, a disciplina é uma limpeza. É também um catalisador de crescimento. Quanto mais soubermos sobre Deus, mais sabemos sobre os Seus desejos para as nossas vidas. A disciplina apresenta-nos a oportunidade de aprender e de conformar-nos à imagem de Cristo (Romanos 12:1-2). A disciplina é uma coisa boa!
Precisamos nos lembrar que o pecado é constante em nossa vida enquanto estivermos na terra (Romanos 3:10, 23). Portanto, não temos apenas que lidar com a disciplina de Deus para a nossa desobediência, mas também temos de lidar com as naturais consequências resultantes do pecado.

Se um crente rouba alguma coisa, Deus vai perdoá-lo e purificá-lo do pecado de roubo, restaurando a comunhão entre Ele e o ladrão arrependido. No entanto, as consequências sociais do roubo podem ser graves, resultando em multas ou até mesmo prisão. Estas são as consequências naturais do pecado e devem ser suportadas. Entretanto, Deus age mesmo através daquelas consequências para aumentar a nossa fé e glorificar a Si mesmo.

 

 

Deus castiga?

 

 

Um grande engano de muitas pessoas é achar que Deus não castiga ninguém. Essas pessoas alegam que Deus não castiga porque ele é amor, e que na verdade tudo de ruim que acontece com as pessoas são consequências lógicas de suas más ações. Por exemplo: muitas pessoas adquirem câncer porque fumam muito, outras adquirem várias doenças porque se alimentam mal, outras sofrem acidentes porque se arriscam desnecessariamente, ou seja, não é Deus que está castigando essas pessoas, mas elas mesmas cometem maus atos que causam essas coisas ruins a elas.

É verdade que muitas coisas ruins que acontecem com as pessoas são consequências lógicas de suas más ações, mas, de qualquer maneira, Deus permite que essas pessoas sofram essas consequências, e só essa permissão já pode ser considerada um castigo dele, pois ele poderia livrá-las dessas consequências. Além disso, muitas coisas ruins que acontecem com as pessoas não são consequências lógicas de suas más ações, por exemplo: uma pessoa está andando na calçada cuidadosamente quando de repente um carro desgovernado a atropela; uma pessoa está dirigindo atentamente um carro quando de repente uma árvore cai em cima do carro e a fere gravemente; um casal está saindo de um shopping e é assaltado por bandidos. Ou seja, muitas vezes, coisas ruins acontecem com a gente, e, aparentemente, não fazemos nada de ruim para nos acontecer tais coisas. Muitos desses casos podem sim ser castigos de Deus por desobedecermos à palavra dele.

O dilúvio, cuja história todo mundo já conhece, foi uma grande prova de que Deus castiga. Deus resolveu fazer os maus morrerem afogados por causa da maldade deles. Outra grande prova foi a destruição das cidades de Sodoma e Gomorra. Os homens dessas cidades pecavam gravemente pela falta de hospitalidade e pela homossexualidade. Eles chegavam a ponto de querer abusar sexualmente dos homens que ali procuravam abrigo (Gênesis 19,4-5). A Bíblia diz que o próprio Deus lançou fogo e enxofre sobre essas cidades, e não diz que ele se arrependeu disso, como se vê na passagem abaixo:

“Então o SENHOR fez chover enxofre e fogo, do SENHOR desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra; e destruiu aquelas cidades e toda aquela campina, e todos os moradores daquelas cidades, e o que nascia da terra” (Almeida Corrigida e Fiel; Gênesis 19,24-25).
Há várias outras passagens da Bíblia que provam claramente que Deus e até mesmo seu filho Jesus castigam, veja:
"De fato, se continuarmos pecando, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não há sacrifícios que possam tirar nossos pecados. Fica apenas uma terrível espera do julgamento e o ardor de um fogo para devorar os rebeldes. Quem desobedece à Lei de Moisés é condenado à morte sem piedade, tendo como base o testemunho de duas ou três pessoas. Vocês então podem imaginar o castigo bem mais severo, que merecerá aquele que pisou o Filho de Deus, que profanou o sangue da aliança, pelo qual foi santificado, e que insultou o Espírito da graça! Conhecemos aquele que disse: 'A mim pertence a vingança, eu é que retribuirei'. E ainda: 'O Senhor julgará o seu povo.' É terrível cair nas mãos do Deus vivo!" (Bíblia Pastoral; Hebreus 10,26-31).
"Eu os castigarei de acordo com as suas obras, diz o Senhor, porei fogo em sua floresta, que consumirá tudo ao redor" (Nova Versão Internacional; Jeremias 21,14).

"Portanto, assim diz o SENHOR dos Exércitos: Eis que eu os castigarei; os jovens morrerão à espada, os seus filhos e suas filhas morrerão de fome." (Almeida Corrigida e Fiel; Jeremias 11,22).

"E ao anjo da igreja de Tiatira escreve: Isto diz o Filho de Deus, que tem seus olhos como chama de fogo, e os pés semelhantes ao latão reluzente: Eu conheço as tuas obras, e o teu amor, e o teu serviço, e a tua fé, e a tua paciência, e que as tuas últimas obras são mais do que as primeiras. Mas tenho contra ti que toleras Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensinar e enganar os meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios da idolatria. E dei-lhe tempo para que se arrependesse da sua prostituição; e não se arrependeu. Eis que a porei numa cama, e sobre os que adulteram com ela virá grande tribulação, se não se arrependerem das suas obras. E ferirei de morte a seus filhos, e todas as igrejas saberão que eu sou aquele que sonda os rins e os corações. E darei a cada um de vós segundo as vossas obras.” (Almeida Corrigida e Fiel; Apocalipse 2,18-23).
O próprio rei Davi foi castigado severamente por Deus por descumprir três dos dez mandamentos: ele cobiçou a mulher do próximo, cometeu adultério com ela e ainda mandou matar o marido dela. Por isso, Deus fez a família de Davi sofrer com guerras de espadas, fez outros homens terem relações sexuais com as mulheres dele em plena luz do dia, e ainda matou o filho dele, o bebê que nasceu da mulher que ele cobiçou. Se você quiser comprovar que Deus fez tudo isso com Davi, basta ler a passagem de 2 Samuel 11,2 até 12,23.
E tem mais: Deuteronômio 28,15.20-22.25.27-30.35.59 cita uma série de castigos de Deus para quem desobedece seus mandamentos. Leia e comprove.
Alguns se baseiam em Eclesiastes 9,11 para alegar que o tempo e o acaso sobrevêm a todos, e que por isso, coisas ruins podem acontecer a qualquer pessoa, independentemente de suas ações. Acontece que essa passagem não está falando sobre a possibilidade de acontecer coisas ruins com as pessoas, mas sim sobre a possibilidade de acontecer coisas boas com elas. Portanto, essa passagem simplesmente quer dizer que o tempo e o acaso ocorrem a todas as pessoas, quando se trata da possibilidade de acontecer coisas boas com elas.

Se aceitarmos que muitas coisas ruins que acontecem com a gente são castigos de Deus, iremos aprender a temer a Deus (Mateus 10,28) e a não pecar mais (João 5,14).
É totalmente insensato achar que Deus é mau só porque ele castiga quem não cumpre seus mandamentos. Assim como é totalmente insensato achar que um juiz é mau só porque ele manda criminosos para a cadeia. Tanto Deus quanto esse juiz estão praticando a justiça, ou seja, estão agindo contra a impunidade.

É importante lembrar que nem tudo que acontece de ruim com a gente é castigo de Deus. Há outras possibilidades:
- Deus pode estar pondo à prova nossa fé e nosso amor por ele, assim como fez com Jó (Jó 1-2), para que fique provado que nós continuamos amando-o e tendo fé nele mesmo passando por um sofrimento que não merecemos, ou para que fique provado que nós só o “amamos e temos fé nele” quando as coisas estão indo bem em nossa vida.
- Talvez estejamos sendo usados por ele para que outros tenham a chance de fazer o bem nos ajudando. Por exemplo: como poderíamos cumprir os mandamentos de dar esmola e ajudar o próximo se não houvesse pessoas precisando de ajuda? Por isso, sempre existirá pobres e pessoas precisando de ajuda.
- Talvez estejamos sendo usados por Deus para que outras pessoas sofram também como castigo ao nos ver numa situação ruim. Por exemplo: Deus matou o bebê que nasceu do adultério de Davi para que Davi sofresse isso como uma forma de castigo.
- Talvez estejamos sendo usados por Deus para que outras pessoas sofram também como provação ao nos ver numa situação ruim. Por exemplo: Deus permitiu que os dez filhos de Jó morressem em um único dia para que Jó sofresse isso como uma forma de provação.
- Talvez estejamos sendo usados para que se manifeste em nós um milagre de Deus, como você pode ver a seguir:
"E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. Tendo dito isto, cuspiu na terra, e com a saliva fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego. E disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa o Enviado). Foi, pois, e lavou-se, e voltou vendo" (João 9,1-7; Almeida Corrigida e Fiel).
Em todos esses casos, Deus nos recompensará em dobro por não termos merecido passar por esses sofrimentos, desde que não tenhamos blasfemado contra ele.

 

 

Estudo realizado por Pastor Rogério Costa

Caxias do Sul – 30/08/15

 

 

Ministério Igualdade Independente

www.ministerioigualdadeindependente.webnode.com.br

Projeto Plantar

www.projetoplantar.webnode.com

 

Envie um comentário sobre o que voce achou deste link!

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!