Ai daqueles que tocarem nos meus ungidos.

 

...ai daqueles que tocarem nos meus ungidos ...

"1 Cronicas 16:22...

 

É um assunto amplamente tratado nas escrituras, e o versículo acima  não é uma advertência "Ai dos que tocarem ...", mas é na verdade é uma ordem de Deus:  "Não toqueis nos meu ungidos", ressalta também em Salmos 105:15. Contudo precisamos analisar corretamente a ordenança de Deus para que possamos ser orientados pela Palavra.  Fomos ensinados durante muito tempo que se nos opusessemos a uma liderança estariamos "tocando no ungido ...". Só pra começar, a ordem de Deus foi dada às nações a cerca do povo de Deus e não ao povo de Deus com relação aos líderes.  Ou seja: A todos aos que falarem, difamarem, mentirem, etc. Isso por si já impediria o uso desta passagem no que tange a questão do relacionamento com lideranças.  Também, mas não só... como fala o texto, a todos aos que tocam, direta ou indiretamente aos filhos amados e escolhidos de Deus. Leia o texto inteiro e perceba as implicações disso.  Fomos durante décadas assustados e ameaçados por aqueles que se escondendo atrás de textos como este, procuram viver uma vida desregrada. Muitos tem tentado se colocar acima da lei, querendo uma posição livre de cobranças e de responsabilidades. Vamos contudo ainda nos atermos a esta passagem para que você possa analisar e sentir segurança e constatar o que estou afirmando. Meu objetivo é que você seja imbuído do intenso compromisso com a Verdade de Deus que nos leva a um aprofundamento no relacionamento com o Deus da Verdade! Veja, Jesus afirma: "conhecereis a verdade e a verdade vos libertará", Joao 08:32.   Desejo que você seja liberto ao constatar a verdade, não seja condenado por tocar em pessoas que você não tem o direito de tocar, que não são da sua propriedade, aliás, esses com o direito legal e constitucional de fazer o que quiser, desde que, não denigra a integridade de ninguém, inclusive de servir a Deus. O que eu constato é que seja qual for a situação que seja, tudo é livre, mas basta virar cristão, ou crente como queiram pronunciar... que a casa cai... vulgarmente falando, ou seja: São atacados de forma desrespeitosa, difamados, são alvos de seus interesses difamatórios, e isso Deus afirmou em defesa dos Seus, este texto de 1 Cronicas 16:22... e Salmos 105:15, ...ai daqueles que tocarem nos meus ungidos ..."  Me pergunto: Será que Deus falou isso porque?  Defato a resposta fica clara e de seu julgamento cabe definir a exata condição que Deus exprime Seu Amor pelos seus separados ungidos, os cristãos os crentes.  Creio que a primeira pergunta que você deve fazer é: O que significa ungido? 

De acordo com o contexto das passagens de 1 Cronicas 16:22 e Salmos 105:15 vemos que  Deus não se referia diretamente à liderança mas antes se referia a todo o povo de Deus, a linhagem escolhida dele.  O Salmo 105 diz textualmente "Salmos 105:12   Então, eram eles em pequeno número, pouquíssimos e forasteiros nela; 13   andavam de nação em nação, de um reino para outro reino. 14.   A ninguém permitiu que os oprimisse; antes, por amor deles, repreendeu a reis, 15   dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas".  Observamos que Deus ordenava aos gentios que respeitassem a linhagem de Abraão, Isaque e Jacó. É uma verdadeira usurpação utilizar-se deste texto para oprimir aqueles que desejam transparência nas ações da liderança, que procuram as provas bíblicas que corroboram as doutrinas e ensinos questionáveis.   A Bíblia nos exorta a vigilância, e nos encoraja provar e discernir os espíritos e examinar acuradamente as profecias. Da mesma maneira que o diabo usou a textos bíblicos descontextualizados para tentar a Jesus, lideres descomprometidos usam a tambem textos sem contexto como pretextos para se esquivarem de cobranças mesmo que aceitemos a interpretação fora de contexto e entendamos que ungidos são os líderes, será que realmente sua liderança pode se enquandrar nas caracteristicas de um ungido?  A Bíblia nos adverte sobre falsos mestres, e falsos profetas.   A Bíblia nos adverte sobre os falsos pastores e sobre os pastores que se desviaram do caminho.  Uma leitura das apocalípiticas cartas aos pastores das igrejas da Asia Menor pode nos concientizar das possibilidades de um desvio mortal no proceder dos pastores.  Alem disso, a unção não é algo proprietário e irrevogável. O ungido Davi, por exemplo, teve que orar muito diante de seu pecado clamando para que Deus não retirasse dele o seu Espirito. Ok.  A Bíblia relata a história de Sansão que foi mais util ao morrer do que enquanto vivia.   Quando o ungido não procede de acordo com a vontade de Deus não há como ser mais visto como ungido. Veja Eli e seus filhos, Arão e Miriã a profetiza, (Irmaos de Moisés) e o próprio Saul.   Donizete, o Deus que não ignorou Lucifer e o rejeitou bem como aos seus seguidores diante de seu pecado, o Deus que não ignorou e relevou a desobediência da raça humana e expulsou Adão e Eva do Eden, o Deus que não ignorou o erro de Cain e o rejeitou mesmo sendo o único descendente vivo de Adão e Eva, o mesmo Deus que rejeitou toda a humanidade, punindo-a com o dilúvio universal preservando apenas 8 almas, (Noé, sua esposa e seus três filhos e três noras, Genesis 06:09,22 e Genesis 07:01,24), o Deus que rejeitou Sodoma e Gomorra, o Deus que rejeitou milhares de Hebreus que pecaram e pereceram no deserto, o Deus que não igonorou os erros de grandes homens como Moisés; o Deus perante o qual os Serafins boquiabertos e estupefatos anunciam pela eternidade SANTO SANTO SANTO É O SENHOR, é o Deus que servimos hoje!!   Ele não muda nem mudou! Ele continua abominando o pecado e a iniquidade, que em ultima analise são violencia e agressão contra Ele próprio.  Teria Deus feito concessões para seus líderes?  Se é que um dia foram ungidos, ainda o são ???   Jesus nos orienta que muitos enganadores enganariam a muitos, e se fosse permitido até os escolhidos seriam enganados!.  Quero crer que você é um escolhido que não foi enganado! O Espirito nos adverte que nos ultimos tempos as pessoas acumulariam mestres conforme suas vontades e desejos, e dariam ouvidos a espiritos enganadores com doutrinas de demônios.  Creio que esta é a circunstancia! Mesmo que a maioria esteja ao lado dos erros da liderança isso não faz com que Deus alargue as portas do céu, e faça concessões especiais.  Ele não faz concessões.  Isso é certo, vimos agora mesmo acima todo contexto sobre todos os que Ele não poupou, não pouparia sequer um líder por parte exclusiva ou por prioridades ou seja lá por qual for o motivo, noa faz concessões.  Portanto, diga-se muito de entendimento de que Deus nos ensina e adverte, ou seja: Se um líder seu, ou um ungido como Ele mesmo refere nos textos bíblicos acima, portanto, se um ungido dEle errar ou cair fora de Sua vontade e de Sua ordem, Ele o punirá, não fará preferência com ninguém; portanto entendam bem isso: O mesmo Deus que não poupa nem sequer Moises, nem Adao e Eva, não poupa Lucifer, Seu anjo de maior hierarquia quando pecou na presença dEle, mandando-o para fora do paraíso, não pouparia nós ungidos dEle se pecássemos, portanto, adverte veementemente aos que tocam nos ungidos dEle (Os justos ungidos), não os injustos. E é isso que faço menssao neste estudo aos que desavergonhadamente mentem, infringem leis particulares, caluniam, inventam males, entre tantos outros referendos que não cabem aqui aos ungidos de Deus, neste caso faço menssao ao meu nome, Pr.Rogério, porque sou vítima, ordinária de alguns hipócritas, desumanos ao falarem e inventarem tantas ofencivas a meu respeito e assim igualmente a tantos outros homens e mulheres de Deus , ungidos do Senhor, que sofrem com tantos desprezos. Assim fica claro o qaunto Deus não gosta, tanto que nem menciona o que faria, apenas, adverte que ai dos que tocam nos meus ungidos, neste caso eu me recuo, tenho temor e tremor de Deus, sei o Deus verdadeiro e justo que sirvo. Serve para mim primeiramente, como serve para me defender o verbo coloquial de Deus nestes textos.  Eu não creio que certas pessoas sejam realmente más, quando chegam a tocar num ungido, defamando os crentes, etc. Mas fica uma alerta importante: Satanás astuto e ordinário que é e pai da mentira, convence esses poucos a tocarem nos crentes, Satanás não tem como tocar em Deus, então ele usa os não cristãos para tocar nos cristãos, com isso ele atinge seu alvo, tocar a Deus, porque ele sabe como ninguém que tocando nos cristãos, ele estaria tocando em Deus, tanto é verdade que os textos de 1 Cronicas e de Salmos falam exatamente isso. Vemos um Deus bravo, com justiça declarando Seu Amor pelos seus filhos. Entao eu digo: Cuidado, para não ser mais marionete do diabo, para não ser mais usado por ele em contrários aos filhos amados de Deus, porque a hora que Deus resolver realizar Sua justiça, ai daqueles... Ele dis no texto de 1 Cronicas... ai daqueles.... o ataque de Deus poderá ser igual ou pior a que usou com os que foram sitadas acima, quando não poupou nem seus maiores lideres e ungidos, quanto mais os que nem professam a fé ao seu filho Jesus Cristo. Ele disse, Ele fará, pode crer. Cuidado! Não toquem nos ungidos, cuidado.

A segunda pergunta a fazer é: O que significa tocar? Mesmo já questionando sua liderança e colocando dúvidas sobrecompromisso com Deus e sua Palavra, devemos seguir adiante com o raciocinio.    Supondo que ainda fossem parte dos que podem ainda ser considerados ungidos, e que fossem sinceros. A sinceridade não é sinonimo de acertividade, e muitos homens sinceros estão sinceramente errados e o fato de ser sincero não nos exime de procurarmos conhecer a verdade, uma vez que Deus nos ensina a vivermos na verdade e a verdade nos conduz a liberdade!  Ainda que a liderança de sua igreja fosse sincera, levantar-se contra suas atitudes erras seria tocar? O que é tocar? Voltando ao contexto das passagens de Cronicas e Salmos, vemos que tocar significava agredir, ofender, atacar, difamar, ofender, falar pelas costas, inventar mal, despresar, iludir, enganar, intristecer, deixar magoado, etc.    Literalmente o verbo hebraico naga'  quer dizer "colocar a mão sobre com violencia, com o abjetivo de machucar e ferir, para fazer o mal".   A continuação do versículo corrobora esta tradução, uma vez que ao traçar paralelo entre ungido e profeta, impõe paralelo entre tocar (naga') e maltratar (ra'a'), que quer dizer literalmente "saquear, roubar, estragar, causar ferimento."  Observamos que a intensão e o dolo são relevantes para entendermos o que significa tocar. Conforme o texto bíblico, não se deveria infringir violência nem agredir com a intensão de machucar e fazer o mal aos que Deus havia ungido. Quais suas motivações nesta demanda e  o que te move a reagir diante destas situações que estão te constrangendo?  Se o zelo e o amor pela verdade é o que esta te impulsionando, você não está enquadrado na proibição bíblica de "tocar nos ungidos". Observe também como você esta agindo, para que os resultados não sejam destrutivos e certamente você não estará comentedo uma infração destes preceitos bíblicos.

Por fim você deve se perguntar, o que Deus está achando de minha conduta? O que Deus espera de mim? Charles M. Sheldon escreveu um livro maravilhoso que deveria ser leitura obrigatória para todos os crentes. Só titulo do livro ja nos basta para refletirmos sobre sua situação: "Nos seus passos, o que faria Jesus?". Será que Jesus ficaria em silencio diante do erro e do pecado? Será que ele temeria falar contra os erros das lideranças?  A resposta é simples. Numa leitura rápida dos evangelhos encontraremos um Jesus destemido, militante e ativista, que repreende sem medo ou vergonha, os desmandos das lideranças políticas e religiosas de sua época. Neste caso, alguem poderia ter argumentado que Jesus estaria tocando nos ungidos, mas na verdade o ungido era quem os estava tocando nas pessoas.  Jesus fala com dureza, Ele ameaça e envergonha (é verdade! quem acha que Deus não envergonha o crente esta enganado!). Ele expõe publicamente os erros chegando a dizer que os escribas, saduceus e farizeus eram do diabo. Note que Jesus estava falando com os pastores de Israel, a elite sacerdotal, os copistas dos textos sagrados e com os professores e mestres da religião. Certamente alguem pode argumentar que Jesus tinha autoridade para faze-lo, mas não foi só Jesus que agiu de maneira tão veemente. O próprio Jesus reconhece e elogia o ministério de um homem como nós que também havia se levantado contra os erros e os desvios destas lideranças: João Batista. Os termos usados por João são fortes - raça de víboras, o machado esta posto a raiz da arvore, etc.  Diante desta atitude, Jesus afirma que João foi o maior dos profetas do Velho Testamento. Mesmo venerado pelo povo, João era um solitário clamando pelo arrependimento, era a "voz que clama no deserto". Antes de João vemos outros profetas clamando em nome do Senhor contra o erro. Jeremias por exemplo, no capitulo 7 de seu relato biográfico, descreve que Deus o levou a porta do templo com a missão de colocar o dedo no nariz dos principes, dos nobres, dos sacerdotes e levitas e apregoar uma caustica mensagem: "melhorai os vossos caminhos", Jeremias 07:03.  Imagine o quadro: você entrando em sua igreja e vê na porta um jovem fanatico dizendo para os pastores, os músicos e para os "grandões": Melhora sua vida!   Se acerta! Se arruma! O resultado foi doloroso, leia o livro de Jeremias e você o verá apanhando em cepos, preso em cisternas, maltratado e só.  Isaias também não ficou indolente diante dos erros de sua época. Uma leitura rápida do livro e você se surpreenderá ao constatar que segundo tema mais comum no livro do profeta messiânico é recriminar os pastores de Israel.  Ele desmascara os governantes que decidem segundo as recompensas, os sacerdotes que ensinam por um salário e os profetas que adivinham por dinheiro. O resultado desse ministério destemido foi tambem dor e sofrimento. Segundo a tradição talmudica, Isaias teria sido serrado ao meio por Manassés. E o que dizer de Ezequiel.  Leia o capitulo 34 do livro que inicia com uma ordem de Deus: "Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza e dize-lhes: Assim diz o SENHOR Deus: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Ezequiel 34:02. Não apascentarão os pastores as ovelhas?"   Se desejar podemos passear pelo Novo Testamento ... encontraremos Paulo repreendendo o grande Apostolo Pedro, falando contra as lideranças judaizantes e por ai segue. Como foi demonstrado, meu amigo, você precisa se posicionar, pois não podemos ficar indolentes diante do erro, uma vez que isso pode até desestruturar nossa própria vida.  Vale a orientação de Paulo para que sejamos guiados pelo amor, uma vez que, conforme 1 Corintios 13  "O AMOR NUNCA FALHA", se você agir em amor não vai errar.

 

Não Toqueis Nos Meus Ungidos

 

“Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas” (Salmo 105:15).  Este pequeno versículo contém uma poderosa advertência de nosso Senhor. E Ele fala sério cada uma dessas palavras: ai do país ou da pessoa que toca nos escolhidos de Deus. E ai da pessoa que maltrata Seus profetas.  Esta séria advertência tem dupla aplicação. Primeiro, os “ungidos” e os “profetas” aqui se referem ao Israel natural, o povo de Deus do Velho Testamento. No entanto a advertência de Deus para que não se maltrate Seus escolhidos, continua se aplicando atualmente. Também cobre Seu Israel espiritual, ou seja, a igreja.  Geralmente entendemos essa advertência como sendo em relação aos profetas do Velho Testamento, ou aos ministros atuais que defendem a verdade. Ela parece ser uma declaração da proteção de Deus aos Seus servos. Mas o contexto revela um significado além deste. Ela também tem a ver com uma aliança que Deus fez com Abraão. Na aliança, Deus promete dar a Abraão direito à posse da terra de Canaã:  “(Deus) Lembra-se perpetuamente da sua aliança, da palavra que empenhou para mil gerações; da aliança que fez com Abraão...e...Israel por aliança perpétua, dizendo: Dar-te-ei a terra de Canaã como quinhão da vossa herança. Então, eram eles em pequeno número...andavam de nação em nação, dum reino para outro reino. A ninguém permitiu que os oprimisse; antes, por amor deles, repreendeu a reis, dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas” (Salmo 105: 8-15).  O salmo 78 também refere-se a este acordo de terra que Deus fez com Abraão: “Levou-os até à sua terra santa, até ao monte que a sua destra adquiriu” (78:54). Vemos que Deus adquiriu Canaã com as próprias mãos. Então, “Da presença deles expulsou as nações, cuja região repartiu com eles por herança; e nas suas tendas fez habitar as tribos de Israel” (78:55).  O próprio Senhor demarcou as fronteiras para as terras do Seu povo. Estabeleceu “herança”, estabelecendo os limites “do Jordão até o mar”. Em outras palavras, Deus desenhou o mapa. Foi como se Ele estivesse numa montanha, e medisse os limites de Canaã pelo Seu Espírito, dizendo: “Tantos quilômetros para o norte, tantos para o sul, tantos para leste e oeste”.

Em resumo, Deus deu ao Seu povo uma concessão permanente de terra, através da aliança com Abraão. E os israelitas foram guiados à esta herança por Moisés. Por ordem de Deus, expulsaram as nações ímpias que ocupavam a terra. E quando se estabeleceram em sua terra prometida, Deus fez uma distinção entre eles e as outras nações. Eles se tornaram conhecidos como Seus “escolhidos”, um povo consagrado e ungido. O Senhor “a ninguém permitiu que os oprimisse; antes, por amor deles, repreendeu a reis, dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas” (Salmo 105: 14-15).  Moisés, profeta de Deus, declara: “o Altíssimo...fixou os limites dos povos, segundo os números dos filhos de Israel” (Deuteron. 32:8). Isto quer dizer que os limites que Deus estabeleceu para o Seu povo, foram designados para ser o local base da Sua igreja. E desta nação do Velho Testamento surgiria a igreja do Novo Testamento.  Quando Deus enviou este aviso, informou a humanidade: “Escolhi este povo para ser a minha porção. E os ungi para serem separados para Mim. Desde então, jamais permiti que qualquer pessoa ou nação os maltratasse”.

Pode-se objetar: “Mas os judeus sofreram terrivelmente ao longo da História. E Hitler e o Holocausto?” Sim, Israel foi muito maltratado. Mas os que os maltrataram sempre sofreram terríveis conseqüências. A advertência de Deus nos diz: “Ao tocar o Meu ungido, você corre perigo. Isto lhe custará muito”.  A Alemanha pagou um altíssimo preço pelo mal que cometeu. Não apenas a nação foi bombardeada e suas cidades arrasadas, como o povo enfrentou dificuldades por décadas. A partir da história da Alemanha, ouço a Palavra de Deus soando alto: “Não toqueis nos meus ungidos”.  Em verdade, desde o tempo de Abraão, o mundo inteiro tem estado sujeito à advertência: “Não maltrate o Meu povo Israel. E não toquem e nem mudem suas fronteiras, que Eu próprio medi para eles”. Não importa como sejam nossos políticos, ou qual a opinião que tenhamos sobre Israel: Deus vai julgar todo povo que tocar esta nação ou suas fronteiras. Se algum país ousar fazê-lo, o fará colocando em risco seu próprio futuro.

 

 

Quero Falar Sobre um Ponto Que Me Arrepia

Os Estados Unidos têm sido o melhor amigo e o protetor de Israel desde que este se tornou outra vez uma nação em 1948. Como todos os demais países, devemos guardar a advertência de Deus para não prejudicarmos Seu povo. Contudo, a declaração de nosso presidente em relação a Israel me assusta.

Desde os ataques de 11 de setembro, os EUA têm dirigido esforços para a formação de uma coalisão de nações contra o terrorismo. A coalisão deseja incluir nações árabes, mas muitas são inimigos jurados de Israel. Agora, como concessão à sustentação árabe, o presidente dos EUA tem buscado o estabelecimento de um estado palestino.  O estado palestino proposto seria desenhado a partir do território que Deus designou a Israel por aliança. Além disso, os palestinos reivindicam que uma parte de Jerusalém lhes seja dada como capital. Este tipo de ação iria diretamente contra o aviso de Deus. Molestaria Seus escolhidos por alterar suas fronteiras. E ridicularizaria Moisés, profeta de Deus, que declara: “O Altíssimo nos deu esta terra”.  Por favor, não pense que estou me aprofundando na área política. Como sentinela de Deus sou chamado a pregar Sua Palavra. Além disso, não sou contra um estado palestino. Porém creio que se houver este estado, ele deveria ser formado a partir da Jordânia e não de Israel. As escrituras deixam claro: as fronteiras de Israel são um assunto espiritual, e não só político.  Neste momento, está se desenvolvendo por todo o mundo uma antipatia por Israel. A causa palestina está ganhando mais apoio. Os líderes de Israel têm sentido-se abandonados. O primeiro ministro se manifestou em nome da maioria dos israelitas quando disse: “Fomos traídos. Se for preciso, ficaremos sós contra os países vizinhos. Mas sabemos que Deus estará conosco”.Claramente, a equipe de nosso presidente inclui simpatizantes pelos árabes. Eles podem não estar percebendo, mas estão lhe dando perigosos conselhos. Uma ação deste tipo pode trazer maldição sobre o nosso país. Por anos, nossa nação tem sido grandemente abençoada em parte devido à promessa de Deus a Abraão: “Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem” (Gênesis 12:3). Mas as escrituras deixam claro: “Eis que poderão suscitar contendas, mas não procederá de mim; quem conspira contra ti cairá diante de ti” (Isaías 54:15). Deus está dizendo: “Se algum país conspirar prejudicando Israel, não será por Minha direção”. O Senhor não terá nada a ver com uma causa deste tipo.   Suponhamos que nosso presidente busque orientação em relação às fronteiras de Israel, com alguns líderes cristãos ou teólogos. Creio que lhe diriam: “Deus desistiu de Israel no Velho Testamento. Desde então, os judeus deixaram de ser o povo escolhido. Eles rejeitaram a aliança, e por isso o Senhor os entregou à maldição. O único Israel atualmente é a Sião espiritual, a igreja de Jesus Cristo. Agora, os cristãos são os Seus ungidos”.  Estes intelectuais baseiam sua teologia em várias passagens bíblicas. Certa época, Deus diz que o pecado de Israel não tem cura: “Teu mal é incurável, a tua chaga é dolorosa” (Jeremias 30:12). Também declara: “Por causa da maldade das suas obras, os lançarei fora de minha casa; já não os amarei...O meu Deus os rejeitará, porque não o ouvem; e andarão errantes entre as nações” (Oséias 9: 15-17). “Disse-lhe o Senhor ...farei cessar o reino da casa de Israel...vós não sois meu povo, nem eu serei vosso Deus” (1: 4, 9).

Segundo estas passagens, Deus aparentemente nega a validez dos vínculos com Seu povo escolhido. Porém, mais adiante em Oséias, lemos: “...o meu povo é inclinado a desviar-se de mim...como te deixaria, ó Efraim?...Meu coração está comovido dentro de mim, as minhas compaixões, à uma, se acendem. Não executarei o furor da minha ira; não tornarei para destruir a Efraim, porque eu sou Deus e não homem, o Santo no meio de ti...Curarei a sua infidelidade, eu de mim mesmo os amarei, porque a minha ira se apartou deles...Eu te ouvirei e cuidarei de ti; sou como o cipreste verde; de mim procede o teu fruto” (Oséias 11: 7-9; 14: 4, 8).  Estas passagens deixam claro que Deus manteve Sua aliança com o Israel natural. E isso inclui o contrato de terras que fez com eles. O Senhor também diz que preservará Israel até a Sua volta, quando colocar os pés sobre o monte das Oliveiras (v. Zacarias 14:4). Quando Ele fizer isso, Israel estará em controle destas terras.  Se você ainda acha que Deus desistiu de Israel, considere as palavras do apóstolo Paulo: “Terá Deus, porventura, rejeitado o seu povo? De modo nenhum! Porque eu também sou israelita da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim. Deus não rejeitou o seu povo, a quem de antemão conheceu” (Rom. 11: 1-2). Paulo está falando claramente do Israel natural.

 

 

Ao Fazer Esta Advertência,o Senhor Também Se Referia à Sião Espiritual

Isaías chama a igreja de Deus de “Sião do Altíssimo”. Usando esta expressão, o profeta liga Sião a Cristo, o redentor. Em resumo, Sião representa o corpo de Cristo, a Jerusalém celestial, a igreja chamada e separada nestes últimos dias. Eu lhe pergunto: qual é a maior preocupação de Deus no mundo de hoje? Em que Ele está se concentrando nestes dias? A grande preocupação de nosso Senhor, na qual se concentra é Sião, a Sua igreja. Não estou me referindo à igreja apóstata, institucional. Estou falando da igreja invisível de Cristo, constituída dos crentes ungidos e consagrados.  Pode-se perguntar: “Mas Deus não está preocupado com a guerra contra o terrorismo? Ele não está se preocupando com a economia e o futuro do nosso país?” Sim, Ele está preocupado, mas só na medida em que estas coisas afetem Sua igreja. Ele se concentra nestes assuntos só quando eles influenciam os planos eternos que tem para o Seus.  “As nações são consideradas por ele como um pingo que cai dum balde e como um grão de pó na balança; as ilhas são como pó fino...todas as nações são perante ele como cousa que não é nada; ele as considera menos do que nada, como um vácuo” (Isaías 40: 15, 17). Pense nisso: a Inglaterra é uma ilha. Manhattan é uma ilha. De acordo com Isaías, ambas são pó fino aos olhos de Deus. Em verdade, todas as nações, incluindo os Estados Unidos, são menos do que nada aos olhos do Senhor. Deus está dizendo basicamente: “A minha preocupação eterna é com o mundo que se perde. E concentro-Me em como a Minha igreja vai alcançar os perdidos.”  Balaão profetizou: “(o povo de Deus) é povo que habita só e não será reputado entre as nações” (Números 23:9). Isto nos diz que o filhos de Deus compreendem um tipo diferente de nação, um povo separado. Não somos contados entre as nações do mundo. Em verdade, os vários membros do corpo de Cristo constituem uma nação espiritual dentro de cada país. Deus enfatiza o seguinte para nós: “A sua preocupação não deve simplesmente ser parte do que acontece no mundo. Deve ser a de conhecer os Meus propósitos eternos, e cumpri-los na terra”.  O fato é que Deus também abençoa uma nação ou a humilha, segundo a maneira que esta nação trata Sua igreja. Pense nisso: o único interesse de Deus em relação ao Egito sob o faraó, era em como esta nação tratava os escolhidos. Deus devastou os egípcios e afogou seu exército porque maltrataram Seu povo. Da mesma maneira, o único interesse de Deus pela Babilônia relacionava-se à sua ameaça de extinguir Israel nos tempos de Ester. Quando Hamã conspirou contra os judeus, Deus revelou isso e o removeu.  Veja também que quando Deus destruiu a Babilônia, não foi devido só à sua idolatria, sensualidade ou violência. Foi porque os babilônios haviam tocado Seus escolhidos. Eles tinham pego os vasos sagrados de adoração de Israel, e bebido deles. Como resultado, o império mais poderoso do mundo foi derrubado. Na hora que os babilônios invadiram os interesses de Deus, Ele os destruiu.

O nosso Senhor manterá contenda com toda nação do mundo, a fim de salvar e prosperar Sua santa Sião. Ele derrubará impérios inteiros simplesmente movendo Suas mãos julgadoras. Ele acabou com o império romano porque este tentou aniquilar Sua igreja em dez cruéis perseguições. Provavelmente a pior das campanhas foi sob o imperador Diocleciano. Este homem maligno perseguiu e matou cristãos com fúria. Mesmo assim, ao fazer isso, o número de cristãos cresceu. Isso finalmente levou Diocleciano à insanidade. Ele acabou abdicando da liderança de Roma, pois enlouqueceu tentando extingüir a causa de Cristo.  Em Gênesis 20, Deus julga o rei pagão Abimeleque, pois este chegou ao ponto de querer tocar ungidos de Deus. Abimeleque tinha levado Sara, esposa de Abraão, para seu harém. Mas Deus foi até ele em sonho, dizendo: “Você vai morrer”. O único interesse de Deus em relação a Abimeleque era preservar Sua escolhida, Sara. Ele ordena ao rei: “Restitui a mulher a seu marido, pois ele é profeta...se, porém, não lha restituires, sabe que certamente morrerás, tu e tudo o que é teu” (Gênesis 20: 7). Todos estes exemplos fornecem um retrato nítido do interesse de Deus pelos escolhidos. Ele se oporá a todos que prejudicarem Israel, ou tocarem Sua igreja.

 

 

Tudo Isso Se Relaciona à Tumultuada Situação Mundial

O nosso país está traumatizado pelos terroristas. As torres gêmeas foram destruídas, o pentágono atacado. E nos perguntamos: “Qual é o interesse de Deus em tudo isso?”

O nosso Senhor sofre com a morte dos inocentes. O Seu coração se determina a consolar e auxiliar viúvas e órfãos. As escrituras dizem que Ele destruiu reinos que negligenciaram atenção a tais pessoas que se viram abandonadas.  Porém, o interesse maior de Deus nestas calamidades é como elas tocaram Sua igreja. Ele não vai permitir que nada desvie os propósitos eternos para Seu povo. Ele determinou Seu plano para os escolhidos desde a fundação do mundo, e nada pode interferir com isso. Nenhum terrorista, religião ou nação pode alterar um til dos propósitos de Deus para o Seu povo. Tudo continua segundo a divina programação.

Jesus nasceu na hora certa. Ele chegou na hora exata que Deus determinara na eternidade, e nenhum rei, governo ou líder religioso poderia evitar isso. Jesus também foi crucificado e ressurrecto segundo o planejamento de Deus. Nada poderia impedir o eterno plano divino para salvar o mundo através do sacrifício de Seu Filho.  Finalmente, um pouco antes de ascender ao Pai, Jesus deu à Sua igreja ordens para marchar. Ele nos mandou ir por todo o mundo para pregar, evangelizar, fazer discípulos, curar, expulsar demônios. Após 2.000 anos, Sua verdade se mantém em marcha: os ungidos de Deus continuam avançando à frente. E todos os que os tocam ou molestam estão sendo removidos.

 

 

Deus Tem Uma Mensagem Para Todos os Terroristas Muçulmanos

Quando as torres gêmeas caíram, os terroristas de Osama bin Laden dançaram e se alegraram. E quando as bombas caíram sobre o Afeganistão, bin Laden avisou os EUA: “O terror que testemunharam é só o começo. Chegou a hora de os muçulmanos de todo o mundo provarem sua fé”. Com essa declaração, a jihad ou guerra santa contra os EUA começou.  Enquanto isso, governantes de várias partes do mundo, primeiros-ministros, embaixadores se reuniam com os líderes dos EUA no Marco Zero, nas torres gêmeas. A única coisa que conseguiam fazer era menear as cabeças, não acreditando na devastação e na carnificina. Logo mensagens chegavam aos montes de todo o globo, perguntando: “Qual será o impacto de tudo isto sobre os Estados Unidos? Quanto tempo vai durar? Será que Nova York algum dia voltará a ser o que era?”

Uma cena impressionantemente parecida ocorreu em Isaías 14. Judá tinha acabado de ser atacada pelos assírios, abalando a capital Jerusalém: “Porque o Senhor humilhou a Judá por causa de Acaz, rei de Israel; porque este permtira que Judá caísse em dissolução, e...se entregou à trangressão contra o Senhor” (2 Crônicas 28:19). Na mesma época, Palestina havia atacado o sul de Judá, capturando pelo menos cinco cidades, espalhando destruição.   Com a queda de Judá, os palestinos começaram a gritar e cantar. Mas Deus enviou Isaías para lhes dizer: “Não te alegres, tu, toda a Filístia, por estar quebrada a vara que te feria; porque da estirpe da cobra sairá uma áspide, e o seu fruto será uma serpente voadora. Os primogênitos dos pobres serão apascentados, e os necessitados se deitarão seguros...Uiva, ó porta; grita, ó cidade; tu, ó Filístia toda, treme; porque do Norte vem fumaça, e ninguém há que se afaste das fileiras” (Isaías 14: 29-31).

Deus estava predizendo o fim dos que se alegraram com a punição que Seu povo estava sofrendo. Ele avisa: “É melhor vocês pararem de gritar. Muito breve, farei com que Judá habite em segurança. E destruirei totalmente a vocês. Arrancarei suas raízes, e exterminarei sua espécie pela fome”.  Jerusalém era uma cidade líder na época. Sua devastação atemorizou as nações vizinhas. Mensageiros foram enviados com questões referentes às perspectivas e ao futuro de Judá: “Como isso vai mudar o país? E por que iria o seu Deus permitir a destruição de Sua própria cidade? Será que Jerusalém algum dia se levantará das cinzas e se recuperará?”

Logo Isaías foi visitado pelo governo de Judá e por líderes religiosos, que pedem: “Que se responderá, pois, aos mensageiros dos gentios (nações)?” (Isaías 14:32). Isaías respondeu: “Que o Senhor fundou a Sião, e nela encontram refúgio os aflitos do seu povo” (14:32). Em outras palavras: “Diga aos mensageiros: o Deus Todo Poderoso fundou essa igreja, Seus escolhidos. E as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

Ouço o Senhor proferindo esta mesma mensagem hoje. Está dizendo: “Diga aos terroristas que a igreja fundada sobre Cristo, a Rocha, está viva e ativa. A única coisa que eles fizeram foi despertar um gigante adormecido. Este gigante não se trata simplesmente do exército americano: trata-se da Minha igreja, os Meus escolhidos. O Meu exército de servos está empunhando armas agora. E está avançando contra o inimigo com armas que este desconhece”.  Que armas são essas? Não são bombas, mísseis, material químico, canhões. As armas que nos foram dadas são mais poderosas que todas estas. E têm a garantia de derrubarem qualquer fortaleza. Sabemos que Osama bin Laden e seus terroristas não conseguirão se esconder de nossas armas especiais.

É claro que estou falando do poder da oração e da fé. Não estou me referindo às preces superficiais de alguns que se voltaram para Deus nas semanas seguintes aos ataques. Estes voltaram à suas vidas sem oração, ineficientes. E nem estou falando das orações de ministros que negam a divindade de Cristo, e zombam da Sua ressureição. Suas orações não são sequer ouvidas.  Não, Deus tem posto em separado um santo remanescente para Si. E eles reconheceram os ataques de 11 de setembro como sendo um grito de despertar. São virgens sábias, crentes consagrados que adornaram suas lâmpadas, renovaram seu óleo. E neste instante, estão bombardeando os céus com oração.  Se estes terroristas simplesmente soubessem o que despertaram. A igreja de Jesus Cristo está orando como nunca. Sião pegou a artilharia pesada, e está travando a guerra ajoelhada. E pelo país inteiro os adolescentes cristãos estão se alistando para a batalha. Dizem aos pais e aos pastores: “Quero me oferecer para ser missionário em um país muçulmano, para pregar Jesus”. Agora mesmo, muitos ministros evangélicos se perguntam: “O que dizer ao nosso povo quando perguntam o que vai acontecer ao país? E se houver mais ataques terroristas?” Não se engane, o nosso país foi abalado tremendamente. E haverá mais terrorismo à frente. Mas no âmago, Deus nos deu algo inabalável que se mantém firme: Jesus Cristo fundou a igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

 

 

Cristo é o Ungido de Deus, o Seu Escolhido

Deus ungiu Seu Filho, Jesus. E os que estão em Cristo também são ungidos. A palavra ungido significa “consagrado a Cristo”. Resumindo: somos as pessoas peculiares e separadas para constituirmos o Seu corpo. Já lemos que Jesus intruiu os ungidos para levar o evangelho à todas as nações. Essa é deliberação determinada por Deus. E nenhuma pessoa ou nação ouse tentar impedir Seus propósitos eternos.

Porém sabemos que o Alcorão ensina os muçulmanos a matarem os cristãos, se estes tentarem ganhá-los para Cristo. Então, tenho uma pergunta sincera para os mulás e aiatolás do Taliban: por que não treinaram missionários em vez de terroristas, e os enviaram aos EUA e a outros países de população cristã? Se sua religião é tão superior, por que não tentaram nos converter? Do que vocês têm tanto medo, que precisam nos explodir? A sua mensagem será tão vazia e débil que vocês precisam aterrorizar as pessoas para que a aceitem?

Que o islamismo aprenda com o comunismo. A poderosa União Soviética lançou guerra contra a igreja de Jesus Cristo. Declarou-se país ateu, ensinando ateísmo nas escolas. Incendiou igrejas e proibiu Bíblias. E aterrorizou os escolhidos de Deus, prendendo ministros e torturando crentes.  Como Deus respondeu? Ele esmagou a cortina de ferro, não só a Rússia mas em toda a Europa. Deus declarou: “Eu fundei a igreja. E não permito que toquem Meus escolhidos. Chegou o seu fim. Vou acabar com vocês”. O Senhor pisoteou inteiramente o comunismo, rompendo o poderoso império soviético. Ele dividiu estados, jogou seus governos para o lado, e levou a economia à falência. A Rússia foi humilhada porque tocou na semente ungida de Deus, e maltratou Seus profetas. Qual o resultado final? Deus agora tem derramado um número incontável de ministros e missionários na Rússia. E creio que o mesmo sucederá no Afeganistão e no Paquistão. O Senhor abrirá portas que ninguém conseguiu abrir antes. Nada consegue impedir Seus propósitos eternos.  Mas os Estados Unidos também têm de aprender com a União Soviética. Não podemos continuar expulsando Deus de nossa sociedade. Bíblias já têm sido proibidas em salas de aula, e símbolos cristãos retirados de lugares públicos. Em verdade, pode estar chegando o tempo em que não será mais permitido discipular ou converter pessoas.  Contudo, não devemos nos afligir ou ficar preocupados. O Deus Todo Poderoso fundou Sua igreja. E qualquer nação que O tornar proscrito, é menos do que nada aos Seus olhos. O Senhor pode trazer o caos à esta nação, mas nestas ocasiões a sociedade irá reabrir suas portas ao evangelho. Escolas gritarão por socorro, e até membros do governo pedirão ajuda espiritual. Mais uma vez, os servos de Deus poderão pregar Sua verdade, em qualquer lugar, à qualquer hora.  “Exulta e jubila, ó habitante de Sião, porque grande é o Santo de Israel no meio de ti...o Senhor fundou a Sião, e nela encontram refúgio os aflitos do seu povo” (Isaías 12:6, 14:32). A igreja de Deus pode parecer pobre e insignificante. Parece haver tão poucos santos genuínos espalhados pela terra. E como Paulo diz, não há muitos ricos ou da nobreza. Mas o pequeno rebanho de Cristo permanecerá, confiando em Sua Palavra: “Eu fundei a igreja. E a minha igreja prevalecerá”. Nenhum terrorista, religião ou nação pode se levantar contra a cruz de Jesus. Ele adverte o mundo inteiro: “Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas” (Salmo 105:15).

 

 

PORQUE AQUELES QUE TOCAR EM VÓS TOCA NA MENINA DOS MEUS OLHOS, Zc.02:08

Em Dt. 32:10 a Bíblia diz que Israel foi achado por Deus no deserto, foi instruído por Deus e foi guardado como a menina dos olhos de Deus!  Observe o leitor que quando Deus fala em Israel aqui em Deuteronômio Ele está se referindo às doze tribos de Israel. Observe também que Em Zacarias 2:8 diz:  “... Porque aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho...”.  Quando diz “seu olho” o profeta esta se referindo ao olho de Deus! A Bíblia de Jerusalém diz: (Observe que este versículo aparece em 2:12 na Bíblia de Jerusalém).  “... Porque assim disse Iahweh dos exércitos (...) Quem vos toca, toca na pupila de meu olho. Eis que levanto minha mão contra elas (obs. se referindo às nações que despojam a “Israel” (historicamente se referindo ao Reino do Sul e profeticamente se referindo às doze tribos: Reino do Sul e do Norte como explicarei mais adiante!), para que sejam presa de seus escravos...”.  Observe o leitor que o Livro de Deuteronômio esta se referindo historicamente ao período da peregrinação das doze tribos de Israel no deserto, enquanto que o Livro de Zacarias esta se referindo historicamente ao período do retorno do Reino do Sul de Babilônia.
Observe porém o leitor que profeticamente o Livro de Zacarias 2:4 se refere a Jerusalém como uma “aldeia” “cidade” sem muros, sem fronteiras; e no verso 11 diz que:  “... E naquele dia (se referindo ao futuro que é hoje, fala de maneira profética) muitas nações se ajuntarão ao Senhor, e serão o “meu povo”: e habitarei no meio de ti, e saberás que o Senhor dos Exércitos me enviou a ti...”.  Em meu Livro “O POVO JUDEU É ÁRABE? O POVO ÁRABE É JUDEU?” defendo a tese e provo dentro da Bíblia que hoje várias nações Árabes, dentre elas Síria, Líbano, Iraque, Arábia Saudita, Jordânia Palestina e Egito são descendentes das dez tribos de Israel (Reino do Norte) e que essas terras lhes pertencem por herança e que o Israel de hoje (Reino do Sul) está equivocado em requerer essas terras (território prometido por Deus a Abraão) de volta, mas que é necessário a paz e a união entre esses países Árabes e os judeus (Israel atual) de hoje para formar novamente as doze tribos de Israel e o território prometido por Deus a Abraão.  Quando Zacarias escreveu o capítulo 2 (dois) ele esta se referindo que várias nações no futuro (ele diz: “... naquele dia...”, se referindo ao tempo de hoje) se ajuntarão ao Senhor e serão o povo de Deus (“... e serão o meu povo...”), ou seja, Zacarias esta se referindo ao Reino do Norte (as dez tribos de Israel que se transformariam em várias nações Árabes e que ao descobrirem que são descendentes de Isaque e que são irmãos de Israel (Reino do Sul) se unirão formando o bloco Árabe-Judeu conforme está profetizado em Apocalipse 17:12 quando fala do surgimento de dez blocos de nações, dentre eles o bloco Árabe-Judeu, no período da grande tribulação, algo permitido por Deus para unir novamente as doze tribos de Israel!
Apesar de Zacarias está profetizando para o Reino do Sul, ele está profetizando a união de muitas nações Árabes com Israel de hoje (Reino do Norte com o Reino do Sul), formando novamente as doze tribos de Israel.
Zacarias cita o versículo de Deuteronômio 32:10 referente às doze tribos de Israel não é à toa! Zacarias fala aqui, citando Deuteronômio 32:10 que aqueles que tocarem tanto no Reino do Sul, verso 8, como no Reino do Norte, verso 11, confirmando Dt. 32:10 que se refere às doze tribos de Israel, que aquele que toca nas doze tribos de Israel, toca na menina dos olhos de Deus!  No sentido espiritual este versículo refere-se a todo o povo que aceita a Jesus Cristo como seu único e suficiente salvador, porém estou analisando-o no sentido histórico e profético, referente ás doze tribos de Israel (mesmo que elas hoje precisem aceitar a Jesus Cristo como seu único e suficiente salvador, pois tanto o Reino do Sul como o Reino do Norte precisam declarar isso hoje!).
Tocar nas meninas dos olhos de Deus é tocar no “olho de Deus”, no sentido antropomórfico significa a parte mas delicada e sensível de um corpo. Em outras palavras é uma coisa inaceitável para um corpo humano! Quando um mosquitinho tenta entrar em um olho, as pálpebras fecham automaticamente, num reflexo inconsciente! Num linguajar mais rústico significa comprar uma briga com Deus!  Por isso Deus fala que levantará “Sua mão” contra essas nações e essas nações virá a ser presa daqueles que os serviram. O profeta neste versículo fala historicamente, volto a dizer, das nações Babilônia e Medo-Persa, porém profeticamente (escatologicamente) se refere hoje a todas as nações que se levantam contra as doze tribos de Israel (Reino do Norte e Reino do Sul, hoje Árabes e Judeus como explico em meu livro, no sentido de maltratar e aproveitar deste povo!).  Quero concluir este raciocínio explicando que várias nações têm errado ao “tocar” em países Árabes guerreando contra elas achando que estão ajudando o Israel de hoje (Reino do Sul), enquanto que não deveriam intrometer nesta briga entre irmãos! Pior ainda é quando invadem uma nação Árabe para tomar proveito das riquezas que Deus lhes deu com a desculpa esfarrapada de defender o Israel (Reino do Sul), o que é uma grande mentira, pois o que querem mesmo é a riqueza dos árabes!  Podemos ver nisso a degradação dos Estados Unidos da América do Norte que vem sofrendo catástrofes econômicas, ambientais e sociológicas entre muitas outras. Vários países da Europa e os Estados Unidos têm tocado na “menina dos olhos de Deus”, os árabes descendentes das dez tribos de Israel e com certeza não ficarão impunes da mão de Deus e sofrerão as catástrofes profetizadas no Livro do Apocalipse!   Erros teológicos ensinados principalmente nas igrejas Evangélicas e protestantes (sou pastor e teólogo, mas nisso dentre outras coisas não concordo com essa teologia norte-americana ensinada nos seminários) devem ser corrigidos para que catástrofes maiores, como as que já ocorreram com as Torres-gêmea, onde eram guardados a maior parte da riqueza Norte Americana e causou, devido à sua destruição, a queda econômica dos Estados Unidos e agora este derramamento de cerca de 800.000 (oitocentos mil) barris de petróleo no mar Norte Americano todos os dias, não continuem acontecendo!  Israel (Reino do Sul) precisa entender isso e lutar pela paz aceitando que essas terras pertencem às dez tribos (hoje Árabes, Reino do Norte) e entendendo que são irmãos. Árabes e Judeus precisam entender isso, aceitando a Jesus Cristo como seu único e suficiente salvador e promoverem a paz! Nações da Europa e os Estados Unidos precisam entender isso: Não tocar na “menina dos olhos de Deus” que são hoje os Árabes e os Judeus (doze tribos). Teólogos protestantes precisam entender isso e corrigirem sua teologia escatológica tendenciosa, achando que estão agradando a Deus ao levantar contra os Árabes em sua teologia escatológica e defendendo só o Reino do Sul (Israel hoje) e esquecendo-se do Reino do Norte, hoje os países Árabes. Ímpios precisão entender isso e espiritualmente falando não tocar num servo de Deus!  Queridos irmãos, falo agora no sentido espiritual a todos: não temas quando estiverem sofrendo afrontas e humilhação, pois quem toca em vós esta tocando na “menina dos olhos de Deus”. Podes ter certeza: Deus está ouvindo a sua dor e seu sofrimento e lutarás por você!  "O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; o Senhor levante sobre ti o seu rosto, e te dê a paz...” Números 6:24-26.


 

As conseqüências de quem toca no ungido do Senhor 

Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus a Paz do Senhor!  Este assunto de profunda relevância para todos aqueles que se dizem ser servos de Deus, pois a língua acaba sempre falar coisas que vão ao encontro de Deus. Todas as vezes que proferimos palavras de condenação contra aqueles que estão investidos de autoridade na casa do Senhor acabamos por atingir a sensibilidade dEle.   Nesta matéria vamos mostrar quais são as conseqüências de quem assim procede e o que devemos fazer para não cairmos nessa tentação.
Cada um de nós devemos obedecer aos nossos pastores Obedecer - Do latim "oboediscere" - 1. Sujeitar-se a vontade de; 2. Estar sob a autoridade de; estar sujeito; prestar vassalagem; 3. Não resistir, ceder; 4. Estar ou ficar sujeito a uma força ou influência. (Dicionário Aurélio). O
cristão que quer ter vitória em sua vida, deve ter um comportamento de obediência em relação ao seu pastor. A obediência as autoridades eclesiásticas é tão significativo quanto orar e jejuar muito. O cristão que desobedece ao pastor, com atos de rebeldia, e não reflete nas regras das autoridades, é um cristão derrotado!  "Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil". (Hb 13:17).  O versículo acima nos mostra que a obediência ao pastor tem que ser algo imprescindível na vida do cristão.  E por várias razões se tem esse respeito ao líder da igreja: 1. Por ser uma pessoa escolhida por Deus para agir como cabeça, ou seja, para se ter a organização nos departamentos; 2. Pela maturidade do pastor, pois a sua experiência, muitas vezes, excede em muito a de um membro, por isso os conselhos do pastor são baseados no que ele já viu e/ou viveu; 3. Como visto no texto aos Hebreus, eles zelam pelas nossas almas, e irão dar conta de nós. Essa obediência também não deve ser de maneira hipócrita. Não se obedece à frente da autoridade, e depois, às ocultas, desabar em murmurações.   "Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus", (Cl 3:22).  Note neste versículo que a obediência deve ser "temendo a Deus", e não temendo ao homem. Não se obedece ao pastor com medo do que o pastor pode fazer, mas se obedece ao pastor temendo a Deus. Deus a tudo vê e nada fica oculto aos seus olhos.  “Se alguém ensina alguma doutrina diversa, e não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, é soberbo, e nada sabe”. (1 Tm 6.3).  Mas toda essa obediência ao pastor, que é bíblica, não pode ser cega! Mas como assim cega? Veja bem, Deus jamais irá confundir a sua vida em nada. "Porque Deus não é Deus de confusão". (1 Co 14.33). Nenhuma ordem de nenhum líder pode ultrapassar a Bíblia Sagrada.  Há dois tipos de rebeldes. Há uns que afrontam a seu líder abertamente, com o dedo em riste; enquanto que há outros, que fazem a afronta veladamente, ou através de conversinhas nos bastidores da rebeldia e da difamação.  Datã, Coré e Abirão, e com eles mais duzentos e cinqüenta líderes bem conhecidos da comunidade, e que faziam parte do concílio, se levantaram em rebeldia e afrontaram aos ungidos Moisés e Arão.  Eles declararam que Moisés e Arão se consideravam acima da assembléia do Senhor, e assim, julgaram os homens de Deus.  Os rebeldes tocaram nos ungidos do Senhor e, por isso, pereceram. Foram destruídos eles, e todos os seus familiares. Nem os seus bens foram aproveitados, por estarem debaixo de maldição.  Moisés nos dá um grande ensino sobre como lidar com rebeldes.  A primeira atitude dele foi prostrar-se rosto em terra diante de Deus, em humilhação. Colocou-se sob o julgamento do Justo Juiz.  A segunda atitude que emitiu, foi erguer a voz, e confrontar os rebeldes na autoridade que Deus lhe houvera outorgado.  “Quando ouviu isso, Moisés prostrou-se, rosto em terra. Depois disse a Coré e a todos os seus seguidores: ‘Pela manhã o SENHOR mostrará quem lhe pertence e fará aproximar-se dele aquele que é santo, o homem a quem ele escolher.  Você, Coré, e todos os seus seguidores deverão fazer o seguinte: peguem incensários e amanhã coloquem neles fogo e incenso perante o Senhor. Quem o SENHOR escolher será o homem consagrado. Basta levitas!”(Nm.16:4-7).  Todo aquele que se levanta contra o ungido do Senhor, está se rebelando contra Deus que o ungiu. Moisés declarou diante deles:“É contra o SENHOR que você e todos os seus seguidores se ajuntaram! Quem é Arão, para que se queixem contra ele?”(Nm.16:11).  Quem toca no ungido toca na unção, e encontra-se com Deus irado à sua frente.
“Quando Coré reuniu todos os seus seguidores à entrada da Tenda do Encontro, incitando-os contra Moisés e Arão, a glória do SENHOR apareceu a toda a comunidade. E o Senhor disse a Moisés e a Arão: ‘Afastem-se dessa comunidade para que eu acabe com eles imediatamente’”.  E Moisés se colocou diante de Deus em intercessão pela comunidade. “Assim que Moisés acabou de dizer tudo isso, o chão debaixo deles fendeu-se e a terra abriu a sua boca e os engoliu juntamente com suas famílias, com todos os seguidores de Coré e com todos os seus bens. Desceram vivos à sepultura, com tudo o que possuíam; a terra fechou-se sobre eles e pereceram, desaparecendo do meio da assembléia. Então veio fogo da parte do SENHOR e consumiu os duzentos e cinqüenta homens que ofereciam incenso”(Nm.16:19-21,31-33,35).  Rebelião é operação do espírito de feitiçaria. Tanto faz rebelar-se, quanto praticar magia-negra é tudo a mesma coisa. É operar debaixo do governo de demônios.  Todo rebelde está enfeitiçado. Há um espírito de feitiçaria operando sobre ele. Está tão dopado, quanto um toxicômano em êxtase. Está fora de si.  Todos os que estão investidos de autoridade são ungidos, porque o princípio de autoridade emana de Deus.
  Isto é tão sério, que todos haverão de prestar contas a Deus pelo quanto de autoridade delegada receberam. Logo, rebelar-se é pecar.  Repreendendo ao rei Saul sobre a sua desobediência, o profeta Samuel declarou: “Acaso tem o SENHOR tanto prazer em holocaustos e em sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra?

A obediência é melhor do que o sacrifício, e a submissão são melhores do que a gordura de carneiros.  Pois a rebeldia é como o pecado da feitiçaria, e a arrogância como o mal da idolatria”(1Sm.15:22,23).
Absalão rebelou-se contra seu pai Davi e tentou usurpar-lhe o trono. Tocou no ungido do Senhor, e foi violentamente destruído.  “... Tomou três dardos, e traspassou com eles o coração de Absalão, estando ele ainda vivo no meio do carvalho. Cercaram-no dez jovens, que levavam as armas de Joabe, e feriram a Absalão, e o mataram”. (2sm.18:14,15).

 

 

Veja as conseqüências do tocar em um ungido.

• ESTERILIDADE

 

A esterilidade pode acontecer em diversas áreas. Pode dar-se em forma de pobreza emocional, ou em forma de relacionamentos frágeis tanto com familiares, quanto com as demais pessoas, ou também em forma de esterilidade financeira, e até espiritual. Mas pode dar-se também no aspecto físico.  Como vimos, Mical a esposa do rei profeta Davi tocou em seu esposo através das seguintes atitudes:  Primeiro, através de ciúme que expressou a sua desconfiança no esposo, quando da janela ficou indignada pelo fato do rei estar cantando e dançando no meio da rua, com muita liberdade, ante as mulheres da cidade.  Segundo, quando o desprezou em seu coração, como se ele fosse um cidadão qualquer de categoria pervertida. Terceiro, quando o afrontou através de palavras difamatórias.  O resultado de tais atitudes foi que ela passou a estar debaixo da maldição de esterilidade física, não podendo procriar. O relato bíblico deste fato diz: “E até o dia de sua morte, Mical, filha de Saul, jamais teve filhos”(2Sm.6:23).

• MORTE.

Absalão o filho de Davi que tentou usurpar-lhe o trono, e o perseguiu para matá-lo, foi assassinado pelo comandante Joabe e pelos soldados da sua guarda pessoal.  O jovem amalequita que se apresentou a Davi como o matador do rei Saul, foi morto por ordem de Davi, sob o argumento de ele ter tocado no ungido do Senhor.
Coré, Datã, Abirão e os seus duzentos e cinqüenta seguidores foram todos mortos numa ação direta de Deus, por terem atingido aos ungidos do Senhor.  Deus é taxativo em relação à rebeldia, quando diz que “Quem agir com rebeldia contra o juiz ou contra o sacerdote que ali estiver no serviço do SENHOR, terá que ser morto. Eliminem o mal do meio de Israel” (Dt. 17:12,13).  A morte pode vir em formas diversas, mas sempre culminará com a morte física do agressor da unção, e geralmente de forma brusca, ou através de enfermidades violentas, ou muito sofridas.  Deus leva a sério a questão do tocar no ungido e na unção que repousa sobre ele. Unção e ungido são algo muito sério e delicado. Não se pode brincar com ela.
• Quem toca no ungido é como tocar na menina dos olhos de Deus.
O Salmo 17 é um lamento que Davi faz a Deus e neste lamento, Davi apresenta as provas de sua retidão e pede a Deus que o proteja dos seus inimigos Em sua criatividade poética, Davi apela para que Deus o proteja como “a menina dos seus olhos” A pupila do olho é símbolo do que é mais sensível e precioso na vida de uma pessoa;
Por isso, Davi usa uma expressão proverbial e metafórica que fala de visão, de iluminação, de algo reflexível, e neste Salmo, Davi apela para a proteção e cuidado especial da parte de Deus Ao orar a Deus dessa forma precisamos considerar o pano de fundo da história que Davi estava vivenciando quando fez esse lamento.
O contexto histórico do momento que Davi estava vivendo nos mostra ingredientes de inveja, ciúme, porfia, ódio e rancor destilados contra a sua vida pelo Rei Saul; Saul estava dominado por sentimentos negativos de desolação e solidão, tanto da parte de Deus quanto da parte dos súditos do Reino de Israel O Rei achava que Davi era uma ameaça ao seu trono por isso o perseguia dia e noite para matá-lo;
Davi, temente a Deus e não querendo tocar no Ungido do Senhor abre sua alma em desespero perante Deus e exprime sua ansiedade; A despeito de tudo, Davi tinha a certeza de que Deus estava vendo tudo àquilo por que passava.  Aprenderemos neste Salmo de Davi como confrontar os inimigos de nossa alma que nos atacam para ferirem nossos sentimentos e para nos afastar de Deus. 
Aprenderemos com Davi neste Salmo como lidar com as mágoas, com as calúnias, com as mentiras e os dissabores que procuram afastar-nos do cuidado paterno de Deus.  Assim como “a menina dos olhos” é protegida pelas pálpebras, assim o Senhor nos protege, nos guarda e nos ensina a reagir contra as ameaças que podem ferir a nossa fé em Deus Neste Salmo, Davi expõe sua sensibilidade perante Deus e nos ensina como orar ao Pai Celestial quando se está carente e necessitado de ajuda e refúgio espiritual.
• Em primeiro lugar, ele apresenta seu desejo de ser ouvido por Deus– vv..1-5
• Em segundo lugar, ele faz sua oração pedindo a proteção de Deus– vv. 6-12
• Em terceiro lugar, ele clama a Deus por libertação – vv. 13-17 Não há nada mais confortante do que a certeza de que orando seremos ouvidos pelo Senhor; Por isso, Davi escancara seu coração perante o Senhor e apresenta seu profundo e desesperado desejo de ser ouvido pelo Senhor

I – SEU DESEJO DE SER OUVIDO.

1-5 Quando Davi escreveu este Salmo encontrava-se sob o ataque dos homens de Saul para matá-lo e tirá-lo do caminho do Trono de Israel Por causa do ciúme neurótico do rei Saul, Davi foi forçado a viver fugindo, para evitar o confronto pessoal Saul estava cheio de pânico e de ódio contra Davi por causa da popularidade de Davi no meio do povo. Embora Davi se mantivesse fiel ao Rei e evitasse pecar contra a autoridade do Rei, a inveja de Saul havia chegado a um grau de intensidade que Davi não teve alternativas, senão fugir para evitar o confronto Foi numa daquelas noites de insônia e angustia de alma que Davi fez esse Salmo e orou com todas as suas forças para que Deus o protegesse daquela perseguição Davi tinha, até então, consciência de sua inocência perante o rei e perante Deus. Sentia-se magoado pelas calúnias de que quisesse matar o rei e quisesse tomar-lhe o Trono, Por isso, Davi apela a Deus e exonera-se daquela acusação Ele pediu a intervenção do Senhor em seu favor porque sabia que não poderia jamais ocultar qualquer pecado que cometesse em sua vida perante Deus Quando Davi usa a palavra clamor, a exclamação denota “um grito agudo” do coração de quem tinha a certeza de que não havia pecado Davi havia examinado a si mesmo aos olhos penetrantes do Senhor e pediu por misericórdia; pediu por uma intervenção capaz de dar-lhe segurança Não havia no coração de Davi qualquer sentimento de impecabilidade, porque ele sabia, nenhuma justiça sua era perfeita. Mas Davi entendia que o “senso de justiça de Deus” é perfeito e que Ele Age com eqüidade; Jamais a justiça divina se equivale a justiça humana, e nem sempre a retribuição de Deus satisfaz o nosso senso de justiça, porque ele não faz o que queremos, mas coloca todas as coisas nos seus devidos lugares. Quantos de nós somos caluniados, maltratados, julgados mal indevidamente, e nos tornamos vitimas da maldade de pessoas inescrupulosas. Quantos de nós somos magoados e convivemos, às vezes, com cicatrizes profundas, tornando-nos prisioneiros de nossos sentimentos feridos. Mas Davi nos ensina a nos libertar desses sentimentos e a desfazermos as cicatrizes nos colocando sob o cuidado protetor de Deus; Existem muitas pessoas aqui na igreja em situação mal resolvida, que reagem de modo exagerado por causa de recordações não resolvidas.

SUA ORAÇAO PEDINDO PROTEÇÃO – VV.6- 12 Nesta parte da oração, Davi reconhece a soberania de Deus e sabe que Deus é Deus de maravilhas; Davi sabe que Deus é capaz de fazer coisas impossíveis aos homens; Davi sabe que os sentimentos de Deus não são vulneráveis como os sentimentos dos homens. É aqui nesta parte de sua oração que Davi apela para algo muito mais profundo que o simples pedido de proteção – Davi descobre um modo de ajuda divina apelando para uma figura antropomórfica, ou seja, algo típico dos homens que ele refere-se a Deus. Quando ilustra com a figura da “menina dos olhos de Deus”, Davi estava, na verdade, pedindo a Deus que sua vida fosse guardada do mesmo modo como “a pupila dos olhos” é protegida pelas pálpebras.
É interessante sabermos que a “menina dos olhos” refere-se a um “orifício que fica no centro da íris do olho, que, ao se contrair ou dilatar, regula a quantidade de luz que penetra no olho” Quando Davi utiliza essa figura sabia muito bem que, se ferida ou atingida “a pupila do olho” a cegueira seria inevitável Davi estava cercado por inimigos que queriam a sua destruição por causa do Reino de Israel. Esses inimigos tinha “lábios enganosos” que mentiam a seu respeito; que caluniavam e oprimiam a sua vida com ameaças constantes. Davi descobriu que nenhum outro socorro seria mais eficaz que o socorro que vem do Senhor A reação natural do “piscar dos olhos” é uma forma de proteger os olhos de serem atingidos por coisas de fora Quando Davi apela para esse tipo de proteção de Deus, ele sabia que “o tocar nos servos de Deus é como tocar a menina do olho de Deus”, como está escrito em Zacarias 2.8: “aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho” Existe um fato acerca da pupila do olho que deve chamar a nossa atenção. A palavra pupila vem do latim e significa: menina, boneca e ela ( a pupila) reflete a imagem da pessoa que fica em frente Quando nos chegamos para Deus podemos ver o nosso reflexo nos olhos de Deus. Vemos a nossa imagem refletida na “menina dos olhos de Deus”, do jeito que somos e como estamos perante Ele, e isto nos dá confiança do cuidado que Ele tem para conosco Depois da importância da “proteção”, a segunda maior importância que “a menina dos olhos de Deus” nos dá é a “intimidade com quem é refletida nos seus olhos” “intimidade” com Deus no modo como nos vemos Nele; Perto do final da vida, Moisés conclamou ao povo de Israel que louvasse ao Senhor por seu cuidado constante e falou ao povo num cântico inspirado: Dt 32.9.10.  Quando olhamos bem de perto nos olhos de alguém, vemos a nossa própria imagem; Se estamos bem perto da pessoa, vemos o nosso próprio reflexo; Se o nosso relacionamento com Deus é distante, a possibilidade de restauração também é distante. Se tivermos um relacionamento íntimo com Deus veremos o nosso reflexo nos olhos de Deus A Bíblia declara que os olhos de Deus são como “chama de fogo” que penetram todas as coisas; Quando nos chegamos para Ele, seus olhos revelam tudo o que somos; nada fica obscuro -Davi queria se sentir na intimidade da pupila dos olhos de Deus;
Davi queria se ver refletido nos olhos de Deus para ter a segurança de que estaria protegido por Ele Se você está distante de Deus e sua vida está mergulhada na angústia, Saiba que Deus não perdeu você de vista; Ele espera que você se aproxime e se veja refletido nos seus olhos, como Alguém que cuida de você e deseja livrá-lo do sofrimento.

 


Que Deus nos abençoe e nos guarde em nome de Jesus.

 

 

Estudo realizado por Pastor Rogério Costa

Caxias do Sul – 26/01/14

 

 

Ministério Igualdade Independente

www.ministerioigualdadeindependente.webnode.com.br

Projeto Plantar

www.projetoplantar.webnode.com

 

Envie um comentário sobre o que voce achou deste link!

biblia

Data: 16/06/2015 | De: Rose

Eu amei este estudo biblico da palavra de Deus. Que Deus possa abençoar este varao de Deus

Re:biblia

Data: 26/08/2015 | De: Pastor Rogério Costa

Tudo bem Rose, nao a conheço, mas obrigado pelo prestigio do meu site e pelo comentário. Deus abençoe voce grandemente.

Pr. Rogério Costa.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!