Sinopse do Capítulo

 

Êxodo (do latim tardio exŏdus do grego ἔξοδος, composto de ἐξ "fora" e ὁδός "via, caminho", significando partida) é o segundo livro do Antigo Testamento e do Pentateuco/Torá, vem depois do livro de Gênesis e antes do livro de Levítico.   Na tradição hebraica, chama-se Sh'moth (em hebraico: שמות, literalmente "nomes", hebreu moderno: Shmot).    A sua autoria foi tradicionalmente atribuída ao profeta Moisés pela tradição judaico-cristã.   A crítica acadêmica moderna descreve o livro do êxodo com um copilado de textos distintos, tendo recebido sua redação final no período posterior ao exílio babilônico entre os séculos 6 e 5 A.C.    O Livro do Êxodo dá continuidade ao livro da Gênesis, relata como Moisés conduz os israelitas do Egito pelo deserto até o Monte Sinai Bíblico, onde Yahveh se revela e oferece uma aliança: os israelitas devem manter a lei e, em retorno, receberiam a proteção de Yahveh que lhes daria Canaã (a Terra Prometida). Há muitas relatos bem conhecidos no Êxodo, como a passagem pelo Mar Vermelho (possivelmente, Mar dos Juncos), a revelação no Sinai, a entrega das tabuletas da lei, Bezerro de ouro e o aparecimento de maná no deserto.     O termo "Êxodo" deriva da versão Septuaginta Grega (LXX), que procurava intitular os livros a partir do seu conteúdo. O seu nome em hebraico é Shemôtht, que significa "Nomes", de acordo com o costume de judaico de intitular os livros a partir das suas palavras iniciais. (Êxodo 1:1 - "Estes são os nomes …"; em língua hebraica We élleh shemôtht).   De acordo com a tradição, o Êxodo e os outros quatro livros da Torá foram escritos por Moisés na segunda metade do 2º milênio a.C., entretanto estudiosos modernos divergem da autoria por Moisés.   A Edição Pastoral da Bíblia sustenta que os capítulos 25-31 e 35-40 foram acrescentados por sacerdotes após o exílio na Babilônia.    A Bíblia não cita o faraó do Êxodo por seu nome, a data bíblica do Êxodo pode ser estimada por 1 Reis 6:1, em que se lê que Salomão começou a construir o Templo no quarto ano de seu reinado, 480 anos depois que os filhos de Israel saíram do Egito. A maioria dos estudiosos da Bíblia estima que o quarto ano do reinado de Salomão foi o ano 967 a.C. Logo a data do Êxodo teria sido 1447 a.C. (967 + 480), quando governava Tutmósis III, mas não há nenhum documento nem resto arqueológico egípcio que confirme este excepcional acontecimento.   A figura mais popularmente associada ao faraó do Êxodo é Ramsés II, embora não haja qualquer evidência arqueológica de que ele tenha tido de lidar com as Pragas do Egito ou qualquer coisa similar ou que tenha perseguido escravos hebreus fugindo do Egito. A estela de Ramsés II em Beth Shan menciona dois povos conquistados que vieram a lhe "prestar obediência" na cidade de Ramsés ou Pi-Ramsés mas não menciona nem a construção da cidade nem os israelitas ou Hapirus.   Ainda, acredita-se que Pitom tenha sido construída no século 7 ACE.    Por outro lado outros estudiosos apontam o ano de 1250 AC. Isso porque, a conquista do Egito pelos Hicsos ocorreu por volta da metade do século XVII a.C, e seu domínio durou cerca de 511 anos.

 

Capítulos 01 ao 40

 


Êxodo – Capítulo 1

1 São estes os nomes dos filhos de Jacó que foram com ele para o Egito, cada um com a sua família:
2 Rúben, Simeão, Levi, Judá,
3 Issacar, Zebulom, Benjamim,
4 Dã, Naftali, Gade e Aser.
5 Os descendentes diretos de Jacó eram setenta pessoas ao todo. José, o outro filho, já estava no Egito.
6 Mais tarde José e todos os seus irmãos morreram, e também todos os outros daquela geração.
7 Mas os descendentes de Jacó, os israelitas, tiveram muitos filhos e aumentaram tanto, que se tornaram poderosos. E eles se espalharam por todo o Egito.
8 Depois o Egito teve um novo rei que não sabia nada a respeito de José.
9 Ele disse ao seu povo: – Vejam! O povo de Israel é forte e está aumentando mais depressa do que nós.
10 Em caso de guerra, eles poderiam se unir com os nossos inimigos, lutariam contra nós e sairiam do país. Precisamos achar um jeito de não deixar que eles se tornem ainda mais numerosos.
11 Por isso os egípcios puseram feitores para maltratar os israelitas com trabalhos pesados. E assim os israelitas construíram as cidades de Pitom e Ramessés, onde o rei do Egito guardava as colheitas de cereais.
12 Porém quanto mais os egípcios maltratavam os israelitas, tanto mais eles aumentavam. Os egípcios ficaram com medo deles
13 e os tornaram escravos, tratando-os com brutalidade.
14 Fizeram com que a vida deles se tornasse amarga, obrigando-os a fazer trabalhos pesados na fabricação de tijolos, nas construções e nas plantações. Em todos os serviços que os israelitas faziam, eles eram tratados com crueldade.
15 O rei do Egito deu a Sifrá e a Puá, que eram parteiras das mulheres israelitas, a seguinte ordem:
16 – Quando vocês forem ajudar as mulheres israelitas nos seus partos, façam o seguinte: se nascer um menino, matem; mas, se nascer uma menina, deixem que viva.
17 Porém as parteiras temiam a Deus e não fizeram o que o rei do Egito havia mandado. Pelo contrário, deixaram que os meninos vivessem.
18 Então o rei mandou chamar as parteiras e perguntou: – Por que vocês estão fazendo isso? Por que estão deixando que os meninos vivam?
19 Elas responderam: – É que as mulheres israelitas não são como as egípcias. Elas dão à luz com facilidade, e as crianças nascem antes que a parteira chegue.
20 As parteiras temiam a Deus, e por isso ele foi bom para elas e fez com que tivessem as suas próprias famílias. E o povo de Israel aumentou e se tornou muito forte.
22 Então o rei deu a seguinte ordem a todo o seu povo: – Joguem no rio Nilo todos os meninos israelitas que nascerem, mas deixem que todas as meninas vivam.

 

 

Êxodo – Capítulo 2

1 Um homem e uma mulher da tribo de Levi casaram.
2 A mulher ficou grávida e deu à luz um filho. Ela viu que o menino era muito bonito e então o escondeu durante três meses.
3 Como não podia escondê-lo por mais tempo, ela pegou uma cesta de junco, tapou os buracos com betume e piche, pôs nela o menino e deixou a cesta entre os juncos, na beira do rio.
4 A irmã do menino ficou de longe, para ver o que ia acontecer com ele.
5 A filha do rei do Egito foi até o rio e estava tomando banho enquanto as suas empregadas passeavam ali pela margem. De repente, ela viu a cesta no meio da moita de juncos e mandou que uma das suas escravas fosse buscá-la.
6 A princesa abriu a cesta e viu um bebê chorando. Ela ficou com muita pena dele e disse: – Este é um menino israelita.
7 Então a irmã da criança perguntou à princesa: – Quer que eu vá chamar uma mulher israelita para amamentar e criar esta criança para a senhora?
8 – Vá – respondeu a princesa. Então a moça foi e trouxe a própria mãe do menino.
9 Aí a princesa lhe disse: – Leve este menino e o crie para mim, que eu pagarei pelo seu trabalho. A mulher levou o menino e o criou.
10 Quando ele já estava grande, ela o levou à filha do rei, que o adotou como filho. Ela pôs nele o nome de Moisés e disse: – Eu o tirei da água.
11 Moisés já era homem feito. Um dia ele saiu para visitar o seu povo e viu como os israelitas eram obrigados a fazer trabalhos pesados. Viu também um egípcio batendo num israelita, um patrício seu.
12 Moisés olhou para os lados e, vendo que não havia ninguém ali, matou o egípcio e escondeu o corpo na areia.
13 No dia seguinte voltou e viu dois israelitas brigando. Então perguntou ao que maltratava o outro: – Por que você está batendo no seu patrício?
14 O homem respondeu: – Quem pôs você como nosso chefe ou nosso juiz? Você está querendo me matar como matou o egípcio? Então Moisés ficou com medo e pensou: “Já descobriram o que eu fiz.”
15 Quando o rei do Egito soube do que Moisés havia feito, quis matá-lo; porém ele fugiu e foi morar na terra de Midiã. Jetro, o sacerdote de Midiã, tinha sete filhas. Certo dia, quando Moisés estava sentado perto de um poço, elas vieram tirar água e encheram os bebedouros para dar de beber às ovelhas e às cabras do seu pai.
17 Então chegaram alguns pastores e começaram a enxotar as moças dali. Porém Moisés se levantou, e as defendeu, e deu água aos animais.
18 Quando elas voltaram ao lugar onde o seu pai estava, ele perguntou: – Por que é que vocês voltaram tão cedo hoje?
19 Elas responderam: – Um egípcio nos defendeu dos pastores, tirou água para nós e ainda deu água para os nossos animais.
20 – E onde está ele? – perguntou Jetro. – Por que vocês o deixaram lá? Vão chamá-lo para que venha jantar com a gente.
21 Depois Jetro convidou Moisés para ficar morando ali, e ele aceitou. Então Jetro lhe deu a sua filha Zípora em casamento.
22 Quando ela teve um filho, Moisés pôs nele o nome de Gérson e disse: – Sou hóspede em terra estrangeira.
23 Alguns anos depois o rei do Egito morreu, mas os israelitas continuaram gemendo por causa da sua escravidão. Eles gritavam pedindo socorro, e os seus pedidos chegaram até Deus.
24 Deus ouviu os gemidos deles e lembrou da aliança que havia feito com Abraão, com Isaque e com Jacó.

25 Deus viu a escravidão dos israelitas e ficou preocupado com eles.

 

 

Êxodo – Capítulo 3

1 Moisés cuidava das ovelhas e das cabras de Jetro, o seu sogro, o sacerdote de Midiã. Um dia Moisés levou o rebanho para o outro lado do deserto e foi até o monte Sinai, o monte sagrado.
2 Ali o Anjo do SENHOR apareceu a ele numa chama de fogo no meio de um espinheiro. Moisés viu que o espinheiro estava em fogo, porém não se queimava.
3 Então pensou: “Que coisa esquisita! Por que será que o espinheiro não se queima? Vou chegar mais perto para ver.”
4 Quando o SENHOR Deus viu que Moisés estava chegando mais perto para ver melhor, ele o chamou do meio do espinheiro e disse: – Moisés! Moisés! – Estou aqui – respondeu Moisés.
5 Deus disse: – Pare aí e tire as sandálias, pois o lugar onde você está é um lugar sagrado. E Deus continuou:
6 – Eu sou o Deus dos seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Aí Moisés cobriu o rosto porque ficou com medo de olhar para Deus.
7 Então o SENHOR disse: – Eu tenho visto como o meu povo está sendo maltratado no Egito; tenho ouvido o seu pedido de socorro por causa dos seus feitores. Sei o que estão sofrendo.
8 Por isso desci para libertá-los do poder dos egípcios e para levá-los do Egito para uma terra grande e boa. É uma terra boa e rica, onde moram os cananeus, os heteus, os amorreus, os perizeus, os heveus e os jebuseus.
9 De fato, tenho ouvido o pedido de socorro do meu povo e tenho visto como os egípcios os maltratam.
10 Agora venha, e eu o enviarei ao rei do Egito para que você tire de lá o meu povo, os israelitas.
11 Moisés perguntou a Deus: – Quem sou eu para ir falar com o rei do Egito e tirar daquela terra o povo de Israel?
12 Deus respondeu: – Eu estarei com você. Quando você tirar do Egito o meu povo, vocês vão me adorar neste monte, e isso será uma prova de que eu o enviei.
13 Porém Moisés disse: – Quando eu for falar com os israelitas e lhes disser: “O Deus dos seus antepassados me enviou a vocês”, eles vão me perguntar: “Qual é o nome dele?” Aí o que é que eu digo?
14 Deus disse: – EU SOU QUEM SOU. E disse ainda: – Você dirá o seguinte: “EU SOU me enviou a vocês.
15 O SENHOR, o Deus dos seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vocês. Este é o seu nome para sempre, e assim ele será lembrado por vocês em todos os tempos.”
16 Depois Deus disse: – Vá, reúna os líderes do povo de Israel e diga que eu, o SENHOR, o Deus dos seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, apareci a você e ordenei que lhes dissesse: “Tenho visto a sua situação e sei o que os egípcios estão fazendo com vocês.
17 Eu resolvi tirá-los do Egito, onde estão sendo maltratados. E vou levá-los para uma terra boa e rica, a terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos perizeus, dos heveus e dos jebuseus.”
18 – O meu povo ouvirá o que você vai dizer. Depois você e os líderes do povo de Israel irão falar com o rei do Egito. Digam a ele: “O SENHOR, o Deus dos hebreus, apareceu a nós. Agora deixe-nos ir para o deserto, a uma distância de três dias de viagem, para oferecer sacrifícios ao SENHOR, nosso Deus.”
19 Eu sei que, se o rei do Egito não for obrigado, ele não deixará vocês irem embora.
20 Por isso eu vou usar o meu poder e fazer coisas terríveis para castigar os egípcios. Depois disso o rei deixará que vocês saiam do Egito.
21 – Eu farei com que os egípcios respeitem vocês. E, quando vocês saírem, não irão de mãos vazias.
22 Cada mulher israelita deverá pedir às mulheres egípcias que estiverem morando na casa dela ou que sejam suas vizinhas que lhe dêem objetos de prata e de ouro e roupas com que vocês vestirão os seus filhos e as suas filhas. E assim vocês tomarão as riquezas dos egípcios.



 

Êxodo – Capítulo 4

1 Aí Moisés respondeu a Deus, o SENHOR: – Mas os israelitas não vão acreditar em mim, nem vão dar atenção ao que eu falar e vão dizer que o SENHOR não me apareceu.
2 Então o SENHOR perguntou: – O que é isso que você tem na mão? – Um bastão – respondeu Moisés.
3 Deus disse: – Jogue-o no chão. Ele jogou, e o bastão virou uma cobra. E Moisés fugiu dela.
4 Aí o SENHOR ordenou a Moisés: – Estenda a mão e pegue a cobra pelo rabo. Moisés estendeu a mão e pegou a cobra pelo rabo, e de novo ela virou um bastão na mão dele.
5 Então o SENHOR disse: – Faça isso para provar aos israelitas que o SENHOR, o Deus dos seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, apareceu a você.
6 E o SENHOR continuou: – Agora ponha a mão no peito. Moisés obedeceu. E, quando tirou a mão do peito, ela estava leprosa, branca como a neve.
7 – Ponha outra vez a mão no peito – ordenou Deus, o SENHOR. Ele pôs a mão no peito novamente. E, quando a tirou, ela estava tão boa como o resto do corpo.
8 Então o SENHOR lhe disse: – Se com o primeiro milagre os israelitas não acreditarem em você e não se convencerem, então com o segundo vão acreditar.
9 Mas, se com esses dois milagres ainda não crerem e não quiserem ouvir o que você disser, tire água do rio Nilo e derrame no chão, que ela virará sangue.
10 Moisés respondeu ao SENHOR: – Ó Senhor, eu nunca tive facilidade para falar, nem antes nem agora, depois que começaste a falar comigo. Quando começo a falar, eu sempre me atrapalho.
11 Porém o SENHOR lhe disse: – Quem dá a boca ao ser humano? Quem faz com que ele seja surdo ou mudo? Quem lhe dá a vista ou faz com que fique cego? Sou eu, Deus, o SENHOR.
12 Agora vá, pois eu o ajudarei a falar e lhe direi o que deve dizer.
13 Aí Moisés pediu: – Não, Senhor. Por favor, manda outra pessoa.
14 Então o SENHOR ficou irritado com Moisés e disse: – Por acaso Arão, o levita, não é seu irmão? Eu sei que ele tem facilidade para falar. Além disso, ele está vindo para se encontrar com você e vai ficar contente ao vê-lo.
15 Você falará com Arão e lhe dirá o que ele deve dizer. Eu os ajudarei a falar e direi o que vocês devem fazer.
16 Arão falará ao povo em seu lugar. Ele será o seu representante e falará ao povo por você. E você será como Deus para ele, explicando o que ele deve dizer.
17 Leve este bastão porque é com ele que você vai fazer os milagres.
18 Então Moisés voltou para a casa de Jetro, o seu sogro, e disse: – Deixe que eu volte para visitar os meus parentes no Egito. Quero ver se eles ainda vivem. – Vá em paz – respondeu Jetro.
19 Quando Moisés ainda estava na região de Midiã, o SENHOR Deus lhe tinha dito: – Volte para o Egito, pois todos os que queriam matá-lo já morreram.
20 Então Moisés fez com que a sua mulher e os seus filhos montassem um jumento e começou com eles a sua viagem de volta para o Egito. Moisés tinha na mão o bastão que Deus havia mandado que ele levasse.
21 E mais uma vez o SENHOR disse a Moisés: – Eu lhe dei poder para fazer muitos milagres. Quando você voltar para o Egito, esteja pronto para fazê-los diante do rei daquela terra. Mas eu vou fazer com que ele fique teimoso e não deixe o povo de Israel sair de lá.
22 Então você lhe dirá que eu, o SENHOR, digo o seguinte: “Israel é o meu primeiro filho.
23 Já lhe disse que deixe o meu filho sair a fim de me adorar. Mas você não deixou, e por isso eu vou matar o seu filho mais velho.”
24 Durante a viagem para o Egito, num lugar onde Moisés e a sua família estavam passando a noite, o SENHOR se encontrou com Moisés e procurou matá-lo.
25 Aí Zípora, a sua mulher, pegou uma pedra afiada, cortou o prepúcio do seu filho e com ele tocou o pé de Moisés. E disse: – Você é um marido de sangue para mim.
26 Ela disse isso por causa da circuncisão. E assim o SENHOR deixou Moisés viver.
27 Nesse meio tempo o SENHOR disse a Arão: – Vá se encontrar com Moisés no deserto. Ele foi, e se encontrou com Moisés no monte sagrado, e o beijou.
28 Moisés contou a Arão tudo o que o SENHOR tinha dito quando havia mandado que ele voltasse para o Egito e falou também dos milagres que Deus tinha ordenado que ele fizesse.
29 Aí Moisés e Arão foram para o Egito e reuniram todos os líderes do povo de Israel.
30 Arão contou-lhes tudo o que o SENHOR Deus tinha dito a Moisés, e em seguida Moisés fez os milagres diante do povo.
31 Todos acreditaram e, quando souberam que o SENHOR tinha vindo até eles e tinha visto como estavam sendo maltratados, eles se curvaram e adoraram a Deus.

 

 

Êxodo – Capítulo 5

1 Depois Moisés e Arão foram falar com o rei do Egito e disseram: – O SENHOR, o Deus do povo de Israel, disse: “Deixe que o meu povo vá ao deserto a fim de fazer ali uma festa em minha honra.”
2 – Quem é o SENHOR? – perguntou o rei. – Por que devo ouvi-lo e deixar que o povo de Israel vá ao deserto? Eu não conheço o SENHOR e não vou deixar que os israelitas saiam daqui.
3 Moisés e Arão responderam: – O Deus dos hebreus veio falar conosco. Por isso deixe-nos viajar três dias pelo deserto a fim de oferecermos sacrifícios ao SENHOR, nosso Deus. Se não formos, ele nos matará com doenças e na guerra.
4 Aí o rei do Egito disse a Moisés e a Arão: – Por que vocês estão atrapalhando o trabalho do povo? Façam com que aqueles escravos voltem ao trabalho!
5 Ele disse também: – Agora que há tantos israelitas no país, vocês querem que eles deixem de trabalhar?
6 Naquele mesmo dia o rei deu aos feitores e aos chefes de turmas a seguinte ordem:
7 – Daqui em diante vocês não vão mais dar palha ao povo, para fazer tijolos. Que eles mesmos ajuntem a palha.
8 Mas vocês exijam que eles façam a mesma quantidade de tijolos, nem um tijolo a menos. São uns preguiçosos e é por isso que gritam: “Vamos oferecer sacrifícios ao nosso Deus!”
9 Façam essa gente trabalhar mais duro ainda e os mantenham ocupados, a fim de que não tenham tempo de ouvir mentiras.
10 Então os feitores e os chefes de turmas saíram e foram dizer ao povo o seguinte: – O rei disse que não vai mais fornecer palha a vocês.
11 Ele manda que vocês vão ajuntar palha onde puderem achar. Mas terão de continuar fazendo a mesma quantidade de tijolos.
12 Por isso o povo se espalhou por toda a terra do Egito, ajuntando a palha que sobrava das colheitas.
13 Os feitores forçavam os israelitas a fazer todos os dias a mesma quantidade de tijolos que costumavam fazer quando recebiam palha.
14 Os feitores batiam nos israelitas chefes de turmas que haviam sido encarregados do trabalho e perguntavam: – Por que vocês não estão fazendo a mesma quantidade de tijolos que faziam antes?
15 Então os israelitas chefes de turmas foram se queixar ao rei. Eles disseram: – Por que é que o senhor nos trata assim, nós que somos seus empregados?
16 Agora não nos dão mais palha, mas exigem que continuemos fazendo tijolos! Além disso batem em nós; no entanto, os seus feitores é que são os culpados.
17 Mas o rei respondeu: – Vocês são uns preguiçosos e não querem trabalhar. É por isso que estão me pedindo que os deixe ir oferecer sacrifícios a Deus, o SENHOR.
18 Voltem ao trabalho. Vocês não receberão palha, mas terão de fazer a mesma quantidade de tijolos.
19 Os israelitas chefes de turmas viram que estavam numa situação difícil, quando lhes foi dito que fizessem todos os dias a mesma quantidade de tijolos que faziam antes.
20 Depois de falarem com o rei, eles se encontraram com Moisés e Arão, que os estavam esperando,
21 e lhes disseram: – O SENHOR Deus está vendo o que vocês estão fazendo e os castigará; pois, por causa de vocês, o rei e os seus funcionários estão com ódio de nós. Vocês deram a eles um motivo para nos matarem!
22 Moisés falou outra vez com Deus, o SENHOR. Ele disse: – Ó Senhor, por que tratas tão mal este povo? Por que me mandaste para cá?
23 Pois, desde que vim falar em teu nome com o rei do Egito, ele tem maltratado este povo. E tu não fizeste nada para ajudá-los.

 

 

Êxodo – Capítulo 6

1 Então o SENHOR Deus respondeu a Moisés: – Agora você verá o que vou fazer com o rei do Egito. Eu vou obrigá-lo a deixar que o meu povo vá embora. Sim, eu o forçarei a expulsar os israelitas do seu país.
2 Deus disse a Moisés: – Eu sou o SENHOR.
3 Eu apareci a Abraão, a Isaque e a Jacó como o Deus Todo-Poderoso, porém não deixei que me conhecessem pelo meu nome de SENHOR.
4 Fiz uma aliança com eles e prometi dar-lhes a terra de Canaã, onde tinham vivido como estrangeiros.
5 Agora eu ouvi os gemidos dos israelitas, que estão sendo escravizados pelos egípcios, e lembrei da aliança que fiz com eles.
6 Portanto, diga aos israelitas o seguinte: “Eu sou o SENHOR. Vou livrá-los da escravidão do Egito. Estenderei o braço poderoso para fazer cair sobre os egípcios um castigo horrível e salvarei vocês.
7 Farei com que vocês sejam o meu povo e eu serei o seu Deus. Vocês ficarão sabendo que eu sou o SENHOR, seu Deus, o Deus que os vai livrar da escravidão no Egito.
8 Eu os levarei para a terra que jurei que daria a Abraão, a Isaque e a Jacó. E eu darei essa terra para ser propriedade de vocês. Eu sou o SENHOR.”
9 Moisés repetiu essas palavras aos israelitas, mas eles não quiseram ouvi-lo, pois estavam desanimados por causa da dureza da sua escravidão.
10 Então o SENHOR disse a Moisés:
11 – Vá dizer a Faraó, rei do Egito, que deixe que os israelitas saiam do país.
12 Porém Moisés respondeu ao SENHOR: – Se até os israelitas não querem me dar atenção, o rei também não vai querer. Eu não tenho facilidade para falar.
13 No entanto o SENHOR ordenou que Moisés e Arão dissessem aos israelitas e a Faraó, rei do Egito, que eles dois tinham ordem para tirar do país o povo de Israel.
14 Esta é a lista dos grupos de famílias dos antepassados de Moisés e Arão: Rúben, o primeiro filho de Jacó, foi pai de quatro filhos: Enoque, Palu, Hezrom e Carmi. São esses os grupos de famílias de Rúben.
15 Simeão foi pai de seis filhos: Jemuel, Jamim, Oade, Jaquim, Zoar e Saul, filho de uma mulher cananéia. São esses os grupos de famílias de Simeão.
16 Levi foi pai de três filhos: Gérson, Coate e Merari. Levi viveu cento e trinta e sete anos.
17 Gérson foi pai de dois filhos: Libni e Simei, e eles tiveram muitos descendentes.
18 São estes os filhos de Coate: Anrão, Isar, Hebrom e Uziel. Coate viveu cento e trinta e três anos.
19 Merari foi pai de dois filhos: Mali e Musi. São esses os grupos de famílias de Levi, com os seus descendentes.
20 Anrão casou com Joquebede, sua tia por parte de pai, e ela lhe deu dois filhos: Arão e Moisés. Anrão viveu cento e trinta e sete anos.
21 Isar foi pai de três filhos: Corá, Nefegue e Zicri.
22 Uziel também foi pai de três filhos: Misael, Elzafã e Sitri.
23 Arão casou com Eliseba, filha de Aminadabe e irmã de Nasom. Ela lhe deu quatro filhos: Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar.
24 Corá foi pai de três filhos: Assir, Elcana e Abiasafe. São esses os grupos de famílias de Corá.
25 Eleazar, filho de Arão, casou com uma das filhas de Putiel, e ela lhe deu um filho, chamado Finéias. São esses os chefes das famílias e dos grupos de famílias da tribo de Levi.
26 Arão e Moisés foram os que receberam do SENHOR Deus esta ordem: “Tirem do Egito as tribos de Israel.”
27 Foram eles que falaram com Faraó, rei do Egito, a fim de tirar de lá os israelitas.
28 Quando o SENHOR falou com Moisés, no Egito,
29 ele disse: – Eu sou o SENHOR. Diga a Faraó, rei do Egito, tudo o que vou dizer a você.
30 Porém Moisés respondeu: – Ó SENHOR, eu não tenho facilidade para falar. Como é que o rei vai me ouvir?
 

 

 

Êxodo – Capítulo 7

1 Então o SENHOR Deus disse a Moisés: – Vou fazer com que você seja como Deus para o rei; e Arão, o seu irmão, falará por você como profeta.
2 Você dirá a Arão tudo o que eu mandar, e ele falará com o rei, pedindo que deixe os israelitas saírem da terra dele.
3 Mas eu vou fazer com que o rei fique teimoso e farei muitos milagres e coisas espantosas no Egito.
4 O rei não vai ouvir vocês. Porém eu farei com que caia sobre ele um castigo terrível e levarei para fora do Egito os meus exércitos, isto é, o povo de Israel.
5 Quando eu levantar a mão contra os egípcios e tirar do meio deles os israelitas, os egípcios ficarão sabendo que eu sou o SENHOR.
6 Moisés e Arão fizeram tudo como o SENHOR havia mandado.
7 Quando falaram com o rei do Egito, Moisés tinha oitenta anos, e Arão, oitenta e três.
8 O SENHOR Deus disse a Moisés e a Arão:
9 – Se o rei do Egito mandar que vocês façam um milagre, você, Moisés, dirá a Arão que pegue o bastão e o jogue no chão na frente do rei. O bastão virará uma cobra.
10 Aí Moisés e Arão foram se encontrar com o rei e fizeram como o SENHOR havia mandado. Arão jogou o bastão diante do rei e dos seus funcionários, e o bastão virou uma cobra.
11 Então o rei mandou vir os sábios e os mágicos, e com a sua mágica eles fizeram a mesma coisa.
12 Cada um deles jogou a sua vara de mágico no chão, e elas viraram cobras. Porém o bastão de Arão engoliu as varas de mágico deles.
13 No entanto, como o SENHOR tinha dito, o rei continuou teimando e não atendeu o pedido de Moisés e Arão.
14 Então o SENHOR Deus disse a Moisés: – O rei está teimando e não quer deixar o povo sair do Egito.
15 Vá procurá-lo amanhã cedo, quando ele for até o rio Nilo. Pegue o bastão que virou cobra e espere o rei na beira do rio.
16 E diga-lhe o seguinte: “O SENHOR, o Deus dos hebreus, me mandou dizer-lhe que deixasse o povo dele ir embora para adorá-lo no deserto. Porém até agora o senhor não obedeceu à ordem de Deus.
17 Portanto, Deus lhe diz que, por causa daquilo que ele vai fazer agora, o senhor vai saber que ele é Deus, o SENHOR. Ó rei, agora eu vou bater na água do rio com este bastão que estou segurando, e a água vai virar sangue.
18 Os peixes que estão no rio vão morrer, e o rio vai cheirar tão mal, que os egípcios terão nojo de beber água dele.”
19 E o SENHOR disse também a Moisés: – Diga a Arão que pegue o bastão e estenda a mão sobre os rios, os canais, os poços e os reservatórios, para que as suas águas virem sangue. Assim, haverá sangue até nas tigelas de madeira e nas jarras de pedra.
20 Moisés e Arão fizeram como o SENHOR havia mandado. Na frente do rei e dos seus funcionários, Arão levantou o bastão e bateu no rio, e a água virou sangue.
21 Os peixes morreram, e o rio cheirou tão mal, que os egípcios não podiam beber água dele. E em todo o Egito houve sangue.
22 Porém, com as suas artes, os mágicos do Egito fizeram a mesma coisa. E assim o rei continuou teimando. Como o SENHOR tinha dito, ele não atendeu o pedido de Moisés e Arão.
23 Pelo contrário, ele voltou para o seu palácio, sem se preocupar com o que havia acontecido.
24 Todos os egípcios cavaram buracos na beira do rio para beber água limpa, pois não podiam beber da água do rio.
25 E passaram sete dias, depois que o SENHOR Deus bateu nas águas do rio.


 

Êxodo – Capítulo 8

1 Depois o SENHOR Deus disse a Moisés: – Vá falar com o rei e diga que o SENHOR está dizendo a ele o seguinte: “Deixe que o meu povo saia do país a fim de me adorar.
2 Se você não deixar, eu castigarei o seu país, cobrindo-o de rãs.
3 O rio Nilo ficará cheio de rãs, e elas sairão dele e entrarão no palácio do rei, no seu quarto, na sua cama, nas casas dos seus funcionários e do seu povo e até dentro dos fornos e das bacias de amassar pão.
4 As rãs pularão em cima de você, do seu povo e de todos os seus funcionários.”
5 O SENHOR Deus disse ainda a Moisés: – Diga a Arão que estenda o bastão sobre os rios, os canais e os poços e faça com que as rãs saiam das águas e cubram a terra do Egito.
6 Aí Arão estendeu a mão sobre as águas do Egito, e as rãs saíram das águas e cobriram todo o país.
7 Porém os mágicos, com as suas artes, fizeram a mesma coisa; eles também trouxeram rãs sobre a terra do Egito.
8 Então o rei mandou chamar Moisés e Arão e lhes disse: – Peçam ao SENHOR Deus que livre a mim e o meu povo dessas rãs, e eu deixarei que o seu povo vá e ofereça sacrifícios a ele.
9 Moisés respondeu: – Terei muito prazer em levar o seu pedido. Diga quando é que o senhor quer que eu peça a Deus em seu favor, em favor dos seus funcionários e do seu povo, para que as rãs sumam do seu palácio e das casas e fiquem somente no rio.
10 O rei respondeu: – Orem por mim amanhã. E Moisés disse: – Ó rei, vou fazer como pediu, e assim o senhor ficará sabendo que não há outro deus como o SENHOR, nosso Deus.
11 O senhor, os seus funcionários e o seu povo ficarão livres das rãs; só no rio Nilo é que haverá rãs.
12 Moisés e Arão saíram do palácio do rei. Depois Moisés pediu ao SENHOR Deus que retirasse as rãs que ele havia mandado contra o rei.
13 E o SENHOR atendeu o seu pedido: as rãs que estavam nas casas, nos quintais e nos campos morreram.
14 Os egípcios fizeram muitos montes de rãs, e um cheiro horrível se espalhou pelo país inteiro.
15 Quando o rei viu que as rãs tinham morrido, continuou teimando, como o SENHOR tinha dito, e não atendeu o pedido de Moisés e Arão.
16 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Diga a Arão que bata na terra com o bastão para que em todo o Egito o pó vire piolhos.
17 E Arão bateu na terra com o bastão, e todo o pó do Egito virou piolhos, que cobriram as pessoas e os animais.
18 Os mágicos tentaram fazer aparecer piolhos, mas não conseguiram. E as pessoas e os animais continuaram cobertos de piolhos.
19 Então os mágicos disseram ao rei: – Foi Deus quem fez isso! Mas o rei continuou teimando, como o SENHOR tinha dito, e não atendeu o pedido de Moisés e Arão.
20 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Amanhã cedo, quando o rei for até a beira do rio, vá falar com ele e diga-lhe que eu, o SENHOR, digo o seguinte: “Deixe que o meu povo saia do país a fim de me adorar.
21 Se você não deixar, eu mandarei moscas para castigar você, os seus funcionários e o seu povo. As casas dos egípcios ficarão cheias de moscas, e o chão ficará coberto com elas.
22 Mas naquele dia separarei a região de Gosém, onde mora o meu povo, para que ali não haja moscas. Assim, você ficará sabendo que eu, o SENHOR, estou aqui neste país.
23 Farei diferença entre o meu povo e o seu povo. Este milagre vai acontecer amanhã.”
24 Assim fez Deus, o SENHOR, e entraram grandes enxames de moscas no palácio do rei e nas casas dos seus funcionários. E, por causa das moscas, houve muito prejuízo no Egito inteiro.
25 Então o rei chamou Moisés e Arão e disse: – Vão oferecer sacrifícios ao seu Deus, porém façam isso aqui mesmo, no Egito.
26 Moisés respondeu: – Isso não daria certo, pois os animais que oferecemos em sacrifício ao SENHOR, nosso Deus, são sagrados para os egípcios. Se eles virem a gente matar os animais que eles adoram, com certeza nos matarão a pedradas.
27 Nós temos de caminhar três dias pelo deserto até chegarmos ao lugar onde vamos oferecer sacrifícios ao SENHOR, nosso Deus, como ele mesmo nos ordenou.
28 Então o rei disse: – Se vocês não forem muito longe, eu os deixarei ir ao deserto oferecer sacrifícios ao SENHOR, seu Deus. Orem também por mim.
29 Moisés respondeu: – Logo que eu sair daqui, vou orar a Deus para que estes enxames de moscas deixem o senhor, os seus funcionários e o seu povo. Mas o senhor não deve nos enganar outra vez, proibindo que o povo vá oferecer sacrifícios a Deus, o SENHOR.
30 Então Moisés saiu do palácio e orou a Deus, o SENHOR.
31 O SENHOR fez o que Moisés havia pedido: ele fez com que as moscas deixassem o rei, os seus funcionários e o seu povo. Não ficou uma só mosca.
32 Mas ainda dessa vez o rei continuou teimando e não deixou o povo ir.


 

Êxodo – Capítulo 9

1 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Vá falar com o rei e diga que o SENHOR, o Deus dos hebreus, diz o seguinte: “Deixe que o meu povo saia do país a fim de me adorar.
2 Pois, se você não deixar e continuar impedindo que ele vá,
3 eu o castigarei com uma doença horrível, que atacará todos os seus animais, isto é, os cavalos, os jumentos, os camelos, o gado, as ovelhas e as cabras.
4 Farei diferença entre os animais dos israelitas e os dos egípcios, e não morrerá nenhum animal dos israelitas.
5 Eu, o SENHOR, marquei um prazo: farei isso amanhã.”
6 No dia seguinte o SENHOR fez como tinha dito, e todos os animais dos egípcios morreram; porém não morreu nenhum dos animais dos israelitas.
7 O rei mandou ver o que havia acontecido e foi informado de que não havia morrido nenhum animal dos israelitas. Apesar disso o rei continuou teimando e não deixou o povo ir.
8 Então o SENHOR Deus disse a Moisés e a Arão: – Peguem punhados de cinza de um forno, e que Moisés jogue essa cinza para o ar diante do rei do Egito.
9 Ela se espalhará como um pó fino sobre toda a terra do Egito, e em todos os lugares a cinza produzirá tumores que se abrirão em úlceras nas pessoas e nos animais.
10 Assim, Moisés e Arão pegaram cinza e ficaram de pé na frente do rei. Moisés jogou a cinza para cima, e ela produziu tumores, que viraram úlceras nas pessoas e nos animais.
11 Os mágicos não puderam aparecer diante de Moisés porque eles e todos os outros egípcios estavam cobertos de tumores.
12 Porém o SENHOR Deus fez com que o rei continuasse teimando. E, como o SENHOR tinha dito a Moisés, o rei não atendeu o pedido de Moisés e Arão.
13 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Amanhã cedo vá se encontrar com o rei e diga-lhe que o SENHOR, o Deus dos hebreus, diz o seguinte: “Deixe que o meu povo saia do país a fim de me adorar.
14 Pois desta vez eu vou fazer todas as minhas pragas caírem sobre você, sobre os seus funcionários e sobre o seu povo, para que você fique sabendo que em todo o mundo não há ninguém como eu.
15 Se eu tivesse atacado você e o seu povo com doenças, você já teria sido completamente destruído.
16 Mas estou deixando que você viva para mostrar a você o meu poder e para fazer com que o meu nome seja conhecido no mundo inteiro.
17 Você ainda continua orgulhoso e não quer deixar o meu povo ir.
18 Porém amanhã a esta hora eu vou fazer cair uma chuva de pedra tão forte como nunca houve igual em toda a história do Egito.
19 Portanto, agora mande recolher o seu gado e tudo o que você tem no campo. Se as pessoas e os animais que estiverem no campo não forem para casa, quando cair a chuva de pedra, todos eles morrerão.”
20 Alguns funcionários do rei ficaram com medo daquilo que o SENHOR tinha dito e levaram os seus escravos e os seus animais para os abrigos.
21 Mas os que não deram atenção ao que o SENHOR tinha dito deixaram os seus escravos e os seus animais nos campos.
22 Então o SENHOR Deus disse a Moisés: – Levante a mão para o céu, e cairá chuva de pedra em toda a terra do Egito. Cairá sobre o povo, sobre os animais e sobre todas as plantas do campo.
23 Moisés levantou o bastão para o céu, e o SENHOR mandou trovões, chuva de pedra e raios sobre o país. Ele fez cair
24 uma pesada chuva de pedra sobre todo o Egito, e a chuva e os raios caíram sem parar. Essa foi a pior tempestade que o Egito já teve em toda a sua história.
25 Em todo o Egito a chuva de pedra acabou com tudo o que estava no campo, incluindo as pessoas e os animais. Destruiu todas as plantas e quebrou todas as árvores.
26 Somente na região de Gosém, onde estavam os israelitas, a chuva de pedra não caiu.
27 Então o rei mandou chamar Moisés e Arão e disse: – Desta vez eu pequei. O SENHOR Deus é justo; eu e o meu povo somos culpados.
28 Orem ao SENHOR. Chega de trovões e de chuva de pedra! Eu os deixarei ir; vocês não precisam esperar mais.
29 Moisés respondeu: – Quando sair da cidade, eu levantarei as mãos em oração a Deus, o SENHOR. Os trovões vão parar, e não haverá mais chuva de pedra. Isso para que o senhor, ó rei, fique sabendo que a terra é de Deus.
30 Mas eu sei que o senhor e os seus funcionários ainda não temem a Deus, o SENHOR.
31 O linho e a cevada foram destruídos, pois a cevada já estava com espigas, e o linho estava em flor.
32 Porém o trigo e o centeio não foram destruídos, pois ainda não haviam brotado.
33 Depois de ter estado com o rei, Moisés saiu da cidade e levantou as mãos em oração a Deus, o SENHOR. Aí os trovões, a chuva e a chuva de pedra pararam.
34 Porém, quando o rei viu que tinha parado de chover e que não trovejava mais, nem caía chuva de pedra, ele tornou a pecar. Ele e os seus funcionários continuaram teimando. E, como o SENHOR tinha dito por meio de Moisés, o rei não deixou que os israelitas fossem embora.

 

 

Êxodo – Capítulo 10

1 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Vá falar com o rei, pois eu fiz com que ele e os seus funcionários continuassem teimando, para que eu pudesse fazer esses milagres no meio deles.
2 E também para que você pudesse contar aos seus filhos e aos seus netos como eu zombei dos egípcios e quantas coisas espantosas fiz no meio deles. Assim vocês ficarão sabendo que eu sou Deus, o SENHOR.
3 Moisés e Arão foram falar com o rei do Egito e lhe disseram: – O SENHOR, o Deus dos hebreus, diz isto: “Até quando você vai continuar não querendo se humilhar diante de mim? Deixe que o meu povo saia do país a fim de me adorar.
4 Se não, amanhã eu vou trazer gafanhotos para o seu país.
5 O chão não poderá mais ser visto, pois eles cobrirão a terra do Egito. Eles comerão tudo o que a chuva de pedra não destruiu e até as árvores que sobraram.
6 Eles encherão as suas casas, as casas de todos os seus funcionários e de todo o seu povo. E essa desgraça será pior do que tudo o que os seus pais e os seus antepassados já viram!” Moisés disse isso e saiu do palácio.
7 Então os funcionários do palácio disseram ao rei: – Até quando esse sujeito vai ser um perigo para nós? Deixe que os homens vão embora, para adorarem o SENHOR, o Deus deles. Por acaso o senhor não sabe que o Egito está arrasado?
8 Aí Moisés e Arão foram levados de novo até a presença do rei, e este lhes disse: – Vocês podem ir adorar o SENHOR, seu Deus. Mas eu quero saber quem é que vai.
9 Moisés respondeu: – Iremos todos nós, com as nossas crianças e os nossos velhos. Levaremos os nossos filhos e filhas, as nossas ovelhas e cabras e o nosso gado, pois temos de dar uma festa em honra de Deus, o SENHOR.
10 Então o rei disse: – Pois que o SENHOR vá com vocês! Mas não vou deixar, de jeito nenhum, que vocês levem as suas mulheres e os seus filhos! É claro que vocês estão planejando uma revolução.
11 Não! Somente os homens podem ir adorar ao SENHOR, se é isso o que vocês querem. E Arão e Moisés foram expulsos da presença do rei.
12 Aí o SENHOR Deus disse a Moisés: – Estenda a mão sobre o Egito para que venham gafanhotos. Eles virão e comerão todas as plantas da terra, tudo o que a chuva de pedra não destruiu.
13 Moisés estendeu o bastão sobre o Egito, e o SENHOR mandou do Leste um vento que soprou sobre o país o dia inteiro e a noite inteira. Quando amanheceu, o vento tinha trazido os gafanhotos.
14 Eles se espalharam sobre todo o Egito e invadiram toda aquela região em quantidades enormes, como nunca havia acontecido antes e nunca mais acontecerá.
15 Eles cobriram de tal maneira o chão, que este ficou preto. Devoraram toda a vegetação e todas as frutas das árvores que haviam sobrado da chuva de pedra. Em todo o Egito não sobrou nada verde nas árvores e nas plantas.
16 Então o rei mandou chamar imediatamente Moisés e Arão e lhes disse: – Eu pequei contra o SENHOR, seu Deus, e contra vocês.
17 Agora peço que perdoem o meu pecado ainda esta vez e que orem ao SENHOR, seu Deus, para que ele tire de mim este castigo terrível.
18 Moisés saiu do palácio e orou a Deus, o SENHOR.
19 Aí o SENHOR fez soprar um vento oeste muito forte, que levantou os gafanhotos e os jogou no mar Vermelho; e não ficou um só gafanhoto em todo o Egito.
20 Porém o SENHOR fez com que o rei continuasse teimando, e este não deixou que os israelitas fossem embora.
21 Então o SENHOR Deus disse a Moisés: – Levante a mão para o céu a fim de que em todo o Egito haja uma escuridão tão grossa, que possa até ser tocada.
22 Moisés levantou a mão para o céu, e durante três dias uma grande escuridão cobriu todo o Egito.
23 Os egípcios não podiam ver uns aos outros, e naqueles dias ninguém saiu de casa. Porém em todas as casas dos israelitas havia claridade.
24 Aí o rei mandou chamar Moisés e lhe disse: – Vocês podem ir adorar a Deus, o SENHOR. Levem também as suas mulheres e os seus filhos, mas as ovelhas, as cabras e o gado ficarão aqui.
25 Moisés respondeu: – Nesse caso o senhor deveria nos dar os animais para oferecermos em sacrifício e queimarmos em honra do SENHOR, nosso Deus.
26 Nós não queremos isso. Nós vamos levar também os nossos animais, e não ficará nenhum, pois temos de escolher alguns para usá-los na adoração a Deus, o SENHOR. Enquanto não chegarmos lá, não saberemos quais os animais que deveremos oferecer em sacrifício ao SENHOR.
27 Porém o SENHOR fez com que o rei continuasse teimando, e este não deixou que os israelitas saíssem do Egito.
28 O rei disse a Moisés: – Saia da minha presença e nunca mais apareça aqui! Pois, no dia em que tornar a me ver, você morrerá!
29 – O senhor está certo – respondeu Moisés. – Nunca mais eu o verei.


 

 

Êxodo – Capítulo 11

1 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Vou mandar só mais um castigo sobre o rei do Egito e sobre o seu povo. Depois disso ele os deixará ir. Na verdade ele expulsará todos vocês.
2 Porém agora diga aos israelitas, homens e mulheres, que peçam aos seus vizinhos e vizinhas jóias de prata e de ouro.
3 E o SENHOR fez com que os egípcios respeitassem os israelitas. De fato, os funcionários do rei e todo o povo consideravam Moisés um grande homem.
4 Então Moisés disse ao rei: – O SENHOR Deus diz: “Perto da meia-noite eu vou passar pelo Egito,
5 e no país inteiro morrerá o filho mais velho de cada família, desde o filho do rei, que é o herdeiro do trono, até o filho da escrava que trabalha no moinho; morrerá também a primeira cria dos animais.
6 Em todo o Egito haverá gritos de dor, como nunca houve antes e nunca mais haverá.
7 Mas, entre os israelitas, nem mesmo um cachorro latirá para uma pessoa ou um animal. E assim vocês ficarão sabendo que o SENHOR faz diferença entre os egípcios e os israelitas.”
8 E Moisés continuou: – Então todos estes seus funcionários virão me procurar e se ajoelharão diante de mim, pedindo que eu vá embora e leve todo o meu povo. Depois disso eu sairei. Moisés saiu muito zangado da presença do rei.
9 Então o SENHOR Deus disse a Moisés: – O rei não vai dar atenção a vocês para que eu possa fazer coisas espantosas no Egito.
10 Moisés e Arão fizeram todas essas coisas espantosas diante do rei do Egito. Porém o SENHOR fez com que o rei continuasse teimando, e este não deixou que os israelitas saíssem do país.

 

 

Êxodo – Capítulo 12

1 O SENHOR Deus falou com Moisés e Arão no Egito. Ele disse:
2 – Este mês será para vocês o primeiro mês do ano.
3 Diga a todo o povo israelita o seguinte: no dia dez deste mês cada pai de família escolherá um carneirinho ou um cabrito para a sua família, isto é, um animal para cada casa.
4 Se a família for pequena demais para comer o animal inteiro, então o dono da casa e o seu vizinho mais próximo o comerão juntos, repartindo-o de acordo com o número de pessoas e a quantidade que cada um puder comer.
5 O animal deverá ser um carneirinho ou um cabrito sem defeito, de um ano.
6 Vocês o guardarão até o dia catorze deste mês, e na tarde desse dia todo o povo israelita matará os animais.
7 Pegarão um pouco do sangue e o passarão nos batentes dos lados e de cima das portas das casas onde os animais vão ser comidos.
8 Nessa noite a carne deverá ser assada na brasa e comida com pães sem fermento e com ervas amargas.
9 A carne não deverá ser comida crua nem cozida; o animal inteiro, incluindo a cabeça, as pernas e os miúdos, será assado na brasa.
10 Não deixem nada para o dia seguinte e queimem o que sobrar.
11 Já vestidos, calçados e segurando o bastão, comam depressa o animal. Esta é a Páscoa de Deus, o SENHOR.
12 – Nessa noite eu passarei pela terra do Egito e matarei todos os primeiros filhos, tanto das pessoas como dos animais. E castigarei todos os deuses do Egito. Eu sou o SENHOR.
13 O sangue nos batentes das portas será um sinal para marcar as casas onde vocês moram. Quando estiver castigando o Egito, eu verei o sangue e então passarei por vocês sem parar, para que não sejam destruídos por essa praga.
14 Comemorem esse dia como festa religiosa para lembrar que eu, o SENHOR, fiz isso. Vocês e os seus descendentes devem comemorar a Festa da Páscoa para sempre.
15 – Durante sete dias vocês comerão pão sem fermento. Por isso, no primeiro dia tirem o fermento das suas casas. Pois qualquer pessoa que comer pão feito com fermento, desde o primeiro até o sétimo dia, será expulsa do meio do povo de Israel.
16 No primeiro dia e também no sétimo, façam uma reunião para adorar a Deus. Nenhum trabalho será feito nesses dias, a não ser para preparar comida.
17 Comemorem a Festa dos Pães sem Fermento no aniversário do dia em que eu tirei do Egito as tribos do povo de Israel. Essa comemoração será uma lei permanente, que passará de pais a filhos.
18 Desde a tarde do dia catorze do primeiro mês até a tarde do dia vinte e um do mesmo mês, o pão que vocês comerem será feito sem fermento.
19 Durante esses sete dias não haverá fermento nas suas casas, pois quem comer pão com fermento, seja um estrangeiro que estiver vivendo no país, seja um israelita, será expulso do meio do povo de Israel.
20 Portanto, nesses dias não comam nada que tenha fermento. Em todas as suas casas só será comido pão sem fermento.
21 Moisés mandou chamar todos os líderes do povo e disse: – Escolham carneiros ou cabritos e os matem para que todas as famílias israelitas possam comemorar a Páscoa.
22 Peguem um galho de hissopo e o molhem no sangue que estiver na bacia e passem nos batentes dos lados e de cima da porta das suas casas. E que ninguém saia de casa durante toda a noite.
23 Quando o SENHOR passar para matar os egípcios, verá o sangue ali nos batentes e não deixará que o Anjo da Morte entre nas suas casas para matá-los.
24 Vocês e os seus descendentes devem obedecer a essa ordem para sempre.
25 Quando entrarem na terra que o SENHOR lhes dará, como prometeu, vocês deverão continuar realizando essa cerimônia religiosa.
26 Quando os seus filhos perguntarem: “O que quer dizer essa cerimônia?”,
27 vocês responderão: “É o sacrifício da Páscoa em honra do SENHOR Deus, pois no Egito ele passou pelas casas dos israelitas e não parou. O SENHOR matou os egípcios, mas não matou as nossas famílias.” Então os israelitas se ajoelharam e adoraram a Deus, o SENHOR.
28 Depois foram e fizeram tudo o que ele havia ordenado a Moisés e Arão.
29 À meia-noite, o SENHOR Deus matou os filhos mais velhos de todas as famílias do Egito, desde o filho do rei, que era o herdeiro do trono, até o filho do prisioneiro que estava na cadeia; e matou também a primeira cria dos animais.
30 Naquela noite o rei, os seus funcionários e todos os outros egípcios saíram da cama. É que em todo o Egito havia gente chorando e gritando, pois em todas as casas havia um filho morto.
31 Nessa mesma noite o rei mandou chamar Moisés e Arão e lhes disse: – Saiam daqui, vocês e todos os outros israelitas! Deixem o meu país. Vão adorar a Deus, o SENHOR, como vocês pediram.
32 Peguem as suas ovelhas e cabras e o seu gado e vão embora. E peçam a Deus que me abençoe.
33 Os egípcios insistiram com os israelitas para que saíssem do país o mais depressa possível. Eles diziam: – Se vocês não saírem, todos nós morreremos!
34 Assim, cada família israelita pegou a massa de pão sem fermento, pôs numa bacia, embrulhou a bacia num pano e carregou no ombro.
35 Os israelitas fizeram como Moisés havia ordenado e pediram aos egípcios jóias de prata e de ouro e roupas.
36 O SENHOR Deus fez com que os egípcios dessem de boa vontade aos israelitas tudo o que eles pediam. Assim o povo de Israel tomou as riquezas dos egípcios.
37 Os israelitas saíram a pé de Ramessés e foram para Sucote. Eram mais ou menos seiscentos mil homens, sem contar as mulheres, as crianças e os velhos.
38 Com eles foram muitas outras pessoas, e também muitas ovelhas e cabras, e muito gado.
39 Os israelitas fizeram pão sem fermento com a massa que haviam levado do Egito, pois os egípcios os haviam expulsado do país tão de repente, que eles não tinham tido tempo de preparar comida, nem de preparar massa com fermento.
40 Os israelitas tinham vivido no Egito quatrocentos e trinta anos.
41 No dia em que terminaram os quatrocentos e trinta anos, todas as tribos do povo de Deus, o SENHOR, saíram do Egito.
42 Essa foi a noite em que o SENHOR ficou vigiando para tirá-los do Egito. Ela é dedicada ao SENHOR para sempre, como a noite que deverá ser comemorada por todos os israelitas.
43 O SENHOR Deus disse a Moisés e a Arão: – Esta é a lei para a Páscoa: nenhum estrangeiro poderá comer a refeição da Páscoa.
44 Porém todo escravo comprado poderá comer dela depois de ser circuncidado.
45 Os estrangeiros, tanto os que estiverem de passagem como os que estiverem vivendo no país, vivendo de salário, não poderão tomar essa refeição.
46 Ela deverá ser comida na casa onde foi preparada: não será tirada dali. E não quebrem nenhum osso do animal.
47 Todo o povo de Israel deve comemorar essa festa religiosa.
48 Não poderão tomar parte nela os homens que não tiverem sido circuncidados. Porém, se algum estrangeiro estiver morando com vocês e quiser comemorar a Páscoa em honra do SENHOR, vocês deverão primeiro circuncidá-lo e também todos os outros homens e meninos da sua família. Depois ele poderá tomar parte na comemoração e será como se fosse uma pessoa nascida em Israel.
49 A mesma lei será para os israelitas nascidos no país e para os estrangeiros que vivem entre vocês.
50 Todos os israelitas obedeceram e fizeram o que o SENHOR havia ordenado a Moisés e a Arão.
51 Naquele dia o SENHOR tirou do Egito as tribos do povo de Israel.

 

 

Êxodo – Capítulo 13

1 O SENHOR Deus disse a Moisés:
2 – Separe para mim todo primeiro filho. Todo primeiro filho homem dos israelitas e todo primeiro filhote macho dos animais domésticos são meus.
3 Moisés disse ao povo: – Lembrem deste dia, o dia em que vocês saíram do Egito, onde eram escravos. Este é o dia em que o SENHOR os tirou de lá pelo seu grande poder. Portanto, não comam pão feito com fermento.
4 Vocês estão saindo do Egito neste dia, no primeiro mês, o mês de abibe.
5 O SENHOR jurou aos seus antepassados que daria a vocês a terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos heveus e dos jebuseus. É uma terra boa e rica. Quando ele os levar para aquela terra, vocês deverão comemorar essa festa religiosa no primeiro mês de cada ano.
6 Durante sete dias vocês comerão pão sem fermento; e no sétimo dia haverá uma festa religiosa em honra do SENHOR.
7 Nesses sete dias vocês comerão pão sem fermento. Em toda a sua terra não deverá haver fermento, nem pão feito com fermento.
8 Nesse dia vocês contarão aos seus filhos que estão fazendo isso por causa daquilo que o SENHOR fez por vocês quando saíram do Egito.
9 Essa festa será como um sinal para vocês, como se fosse uma coisa amarrada na mão ou na testa, e os ajudará a lembrarem de recitar e de estudar a lei de Deus, o SENHOR; pois com grande poder ele os tirou do Egito.
10 Portanto, comemorem essa festa religiosa no dia certo, todos os anos.
11 – O SENHOR Deus fará com que vocês entrem na terra dos cananeus, conforme ele jurou a vocês e aos seus antepassados. Quando ele lhes der essa terra,
12 vocês darão ao SENHOR todo primeiro filho homem. Todo primeiro filhote macho também pertencerá a ele.
13 Mas, se quiserem ficar com o primeiro filhote macho de uma jumenta, ofereçam a Deus um carneiro; se não quiserem, quebrem o pescoço do jumentinho. Fiquem com todo primeiro filho homem de vocês, pagando por ele o preço determinado.
14 No futuro, quando os seus filhos perguntarem o que isso quer dizer, vocês responderão: “Com grande poder o SENHOR nos tirou do Egito, onde éramos escravos.
15 Quando o rei do Egito teimou em não nos deixar sair, o SENHOR matou todos os primeiros filhos no Egito, tanto das pessoas como dos animais. É por isso que oferecemos ao SENHOR em sacrifício todo primeiro filhote macho. Mas pagamos o preço determinado para ficar com os nossos primeiros filhos.
16 Isso será como uma lembrança, como alguma coisa amarrada nas mãos ou na testa. E nos fará lembrar que com o seu grande poder o SENHOR nos tirou do Egito.”
17 Quando o rei deixou que o povo israelita saísse do Egito, Deus não os levou pelo caminho que vai pelo país dos filisteus, embora fosse o mais curto. Deus pensou assim: “Não quero que os israelitas mudem de idéia e voltem para o Egito, quando virem que terão de guerrear.”
18 Por isso Deus fez com que o povo desse uma volta pelo caminho do deserto, na direção do mar Vermelho. Os israelitas saíram do Egito armados para guerrear.
19 Moisés levou o corpo de José, pois José havia feito os israelitas jurarem que fariam isso. Ele tinha dito: “Quando Deus os libertar, levem daqui o meu corpo.”
20 Os israelitas saíram de Sucote e acamparam em Etã, onde começa o deserto.
21 Durante o dia o SENHOR ia na frente deles numa coluna de nuvem, para lhes mostrar o caminho. Durante a noite ele ia na frente deles numa coluna de fogo, para iluminar o caminho, a fim de que pudessem andar de dia e de noite.
22 A coluna de nuvem sempre ia adiante deles durante o dia, e a coluna de fogo ia durante a noite.


 

Êxodo – Capítulo 14

1 O SENHOR Deus disse a Moisés:
2 – Diga aos israelitas que voltem e acampem em frente de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar Vermelho, perto de Baal-Zefom.
3 Assim o rei do Egito vai pensar que os israelitas estão andando sem rumo, perdidos no deserto.
4 Eu farei com que o rei continue teimoso e persiga vocês. Então eu derrotarei o rei e o seu exército, mostrando assim o meu poder. E os egípcios ficarão sabendo que eu sou Deus, o SENHOR. E os israelitas obedeceram.
5 Quando contaram ao rei do Egito que os israelitas tinham fugido, ele e os seus funcionários mudaram de idéia e disseram: – Vejam só o que fizemos! Deixamos que os nossos escravos, os israelitas, fugissem de nós!
6 Então o rei mandou preparar o seu carro de guerra e o seu exército.
7 Ele saiu com todos os carros de guerra, incluindo os seiscentos melhores, que eram comandados pelos seus oficiais.
8 O SENHOR fez com que Faraó, rei do Egito, continuasse teimando, e ele foi atrás dos israelitas, que estavam saindo de maneira vitoriosa.
9 Os egípcios, com todos os seus cavalos, carros de guerra e cavaleiros, saíram atrás dos israelitas e os alcançaram onde eles estavam acampados, na beira do mar Vermelho, perto de Pi-Hairote e de Baal-Zefom.
10 Quando os israelitas viram o rei e o seu exército marchando contra eles, ficaram apavorados e gritaram pedindo a ajuda de Deus, o SENHOR.
11 E disseram a Moisés: – Será que não havia sepulturas no Egito? Por que você nos trouxe para morrermos aqui no deserto? Veja só o que você fez, nos tirando do Egito!
12 O que foi que lhe dissemos no Egito? Pedimos que nos deixasse em paz, trabalhando como escravos para os egípcios. Pois é melhor ser escravo dos egípcios do que morrer aqui no deserto!
13 Porém Moisés respondeu: – Não tenham medo. Fiquem firmes e vocês verão que o SENHOR vai salvá-los hoje. Nunca mais vocês vão ver esses egípcios.
14 Vocês não terão de fazer nada: o SENHOR lutará por vocês.
15 O SENHOR disse a Moisés: – Por que você está me pedindo ajuda? Diga ao povo que marche.
16 Levante o bastão e o estenda sobre o mar. A água se dividirá, e os israelitas poderão passar em terra seca, pelo meio do mar.
17 Eu farei com que os egípcios fiquem ainda mais teimosos, e eles entrarão no mar atrás dos israelitas. E eu ficarei famoso quando derrotar o rei do Egito, todo o seu exército, os seus carros de guerra e os seus cavaleiros.
18 Quando eu derrotar os egípcios, eles saberão que eu sou Deus, o SENHOR.
19 Então o Anjo de Deus, que ia na frente dos israelitas, mudou de lugar e passou para trás. Também a coluna de nuvem saiu da frente deles e foi para trás,
20 ficando entre os egípcios e os israelitas. A nuvem era escura para os egípcios, porém iluminava o povo de Israel. Assim, durante a noite inteira, o exército egípcio não conseguiu chegar perto dos israelitas.
21 Moisés estendeu a mão sobre o mar, e Deus, o SENHOR, com um vento leste muito forte, fez com que o mar recuasse. O vento soprou a noite inteira e fez o mar virar terra seca. As águas foram divididas,
22 e os israelitas passaram pelo mar em terra seca, com muralhas de água nos dois lados.
23 Os egípcios os perseguiram e foram atrás deles até o meio do mar com todos os seus cavalos, carros de guerra e cavaleiros.
24 Logo antes de amanhecer, da coluna de fogo e de nuvem o SENHOR olhou para o exército dos egípcios e fez com que eles ficassem apavorados.
25 Os carros de guerra andavam com grande dificuldade, pois Deus fez com que as rodas ficassem atoladas. Então os egípcios disseram: – Vamos fugir dos israelitas! O SENHOR está lutando a favor deles e contra nós.
26 Então o SENHOR Deus disse a Moisés: – Estenda a mão sobre o mar para que as águas voltem e cubram os egípcios, os seus carros de guerra e os seus cavaleiros.
27 Moisés estendeu a mão sobre o mar, e, quando amanheceu, o mar voltou ao normal. Os egípcios tentaram escapar das águas, porém o SENHOR os jogou dentro do mar.
28 As águas voltaram e cobriram os carros de guerra, os cavaleiros e todo o exército egípcio que havia perseguido os israelitas no mar. E não sobrou nenhum egípcio com vida.
29 Mas os israelitas atravessaram o mar em terra seca, com muralhas de água nos dois lados.
30 Naquele dia o SENHOR salvou o povo de Israel dos egípcios, e os israelitas os viram mortos na praia.
31 Quando viram o poder com que o SENHOR havia derrotado os egípcios, os israelitas o temeram. E creram em Deus, o SENHOR, e no seu servo Moisés.


 

 

Êxodo – Capítulo 15

1 Então Moisés e os israelitas cantaram esta canção a Deus, o SENHOR: Cantarei ao SENHOR porque ele conquistou uma vitória maravilhosa; ele jogou os cavalos e os cavaleiros dentro do mar.
2 O SENHOR é o meu forte defensor; foi ele quem me salvou. Ele é o meu Deus, e eu o louvarei. Ele é o Deus do meu pai, e eu cantarei a sua grandeza.
3 O SENHOR é um guerreiro; o seu nome é SENHOR.
4 Ele jogou no mar o exército egípcio e os seus carros de guerra; os seus melhores oficiais se afogaram no mar Vermelho.
5 O mar profundo os cobriu; como uma pedra eles foram até o fundo.
6 A tua mão direita, ó SENHOR, tem um poder terrível; ela despedaça o inimigo.
7 Como é maravilhosa a tua vitória! Derrotas os teus inimigos e com a tua ira furiosa tu os queimas como se fossem palha.
8 Tu sopraste, e as águas se amontoaram; as ondas se levantaram como muralhas, e o fundo do mar ficou duro como gelo.
9 Os inimigos disseram: “Nós iremos atrás deles e os alcançaremos; pegaremos todas as coisas que são deles e ficaremos com tudo o que quisermos. Com as nossas espadas nós os mataremos.”
10 Porém tu, ó SENHOR, sopraste, e os egípcios se afogaram; afundaram como chumbo no mar bravo.
11 Não há outro deus como tu, ó SENHOR! Quem é santo e majestoso como tu? Quem pode fazer os milagres e as maravilhas que fazes?
12 Estendeste a mão direita, e a terra engoliu os que nos perseguiam.
13 Por causa do teu amor tu guiaste o povo que salvaste; com o teu grande poder tu os levaste para a tua terra santa.
14 Os povos ouviram falar do que fizeste e estão tremendo de medo. Os filisteus ficaram apavorados.
15 Os chefes dos edomitas estão assustados, os poderosos moabitas perderam a coragem, e todos os cananeus estão tremendo.
16 O medo e o terror caíram sobre eles. Eles viram o teu grande poder e ficaram parados como se fossem pedras até que tivesse passado o teu povo, o povo que livraste da escravidão.
17 Tu levarás o teu povo para viver no teu monte, o lugar, ó Senhor, que escolheste para morar, o Templo que tu mesmo construíste.
18 O SENHOR Deus será rei para todo o sempre!
19 Os israelitas atravessaram o mar em terra seca. Porém, quando os carros de guerra dos egípcios, com os seus cavalos e cavaleiros, entraram no mar, o SENHOR Deus fez com que as águas voltassem e os cobrissem.
20 A profetisa Míriam, que era irmã de Arão, pegou um pandeiro, e todas as mulheres a acompanharam, tocando pandeiro e dançando.
21 E Míriam cantou para elas assim: Cantem ao SENHOR porque ele conquistou uma vitória gloriosa; ele jogou os cavalos e os cavaleiros dentro do mar.
22 Aí Moisés levou o povo de Israel do mar Vermelho para o deserto de Sur. Eles caminharam três dias no deserto e não acharam água.
23 Então chegaram a um lugar chamado Mara, porém não puderam beber a água dali porque era amarga. Por isso aquele lugar era chamado de Mara.
24 O povo reclamou com Moisés e perguntou: – O que vamos beber?
25 Então Moisés, em voz alta, pediu socorro a Deus, o SENHOR, e o SENHOR lhe mostrou um pedaço de madeira. Moisés jogou a madeira na água, e a água ficou boa de beber. Foi nesse lugar que o SENHOR Deus deu leis aos israelitas e os pôs à prova.
26 Ele disse: – Se vocês prestarem atenção no que eu digo, se fizerem o que é certo e se guardarem os meus mandamentos, eu não os castigarei com nenhuma das doenças que mandei contra os egípcios. Eu sou o SENHOR, que cura vocês.
27 Depois os israelitas chegaram a Elim, onde havia doze fontes de água e setenta palmeiras. E acamparam ali, perto da água.

 

 

Êxodo – Capítulo 16

1 O povo de Israel saiu de Elim e foi para o deserto de Sim, que fica entre Elim e o monte Sinai. Chegaram ali no dia quinze do segundo mês depois da sua saída do Egito.
2 Ali, no deserto, todos eles começaram a reclamar contra Moisés e Arão,
3 dizendo assim: – Teria sido melhor que o SENHOR tivesse nos matado no Egito! Lá, nós podíamos pelo menos nos sentar e comer carne e outras comidas à vontade. Vocês nos trouxeram para este deserto a fim de matar de fome toda esta multidão.
4 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Agora eu vou fazer chover do céu pão para vocês. E o povo deverá sair, e cada um deverá juntar uma porção que dê para um dia. Assim eu os porei à prova para saber se eles vão obedecer às minhas ordens.
5 No sexto dia deverão juntar e preparar o dobro do que costumam juntar nos outros dias.
6 Então Moisés e Arão disseram ao povo: – Hoje à tarde vocês ficarão sabendo que foi o SENHOR Deus quem os tirou do Egito.
7 Amanhã de manhã vocês verão a glória do SENHOR, pois o SENHOR ouviu as reclamações de vocês contra ele. Foi contra ele, e não contra nós, que vocês reclamaram; pois, afinal de contas, quem somos nós?
8 E Moisés continuou: – É Deus, o SENHOR, quem vai lhes dar carne para comerem de tarde e pão à vontade de manhã, pois o SENHOR ouviu vocês reclamando contra ele. As suas reclamações são contra ele e não contra nós; pois, afinal de contas, quem somos nós?
9 Aí Moisés disse a Arão: – Diga a todo o povo que venha e fique diante de Deus, o SENHOR, pois ele ouviu as reclamações deles.
10 Enquanto Arão estava falando a todo o povo, eles olharam para o deserto, e, de repente, a glória do SENHOR apareceu numa nuvem.
11 E o SENHOR disse a Moisés:
12 – Eu tenho ouvido as reclamações dos israelitas. Diga-lhes que hoje à tarde, antes de escurecer, eles comerão carne. E amanhã de manhã comerão pão à vontade. Aí ficarão sabendo que eu, o SENHOR, sou o Deus deles.
13 À tarde apareceu um grande bando de codornas; eram tantas, que cobriram o acampamento. E no dia seguinte, de manhã, havia orvalho em volta de todo o acampamento.
14 Quando o orvalho secou, por cima da areia do deserto ficou uma coisa parecida com escamas, fina como a geada no chão.
15 Os israelitas viram aquilo e não sabiam o que era. Então perguntaram uns aos outros: – O que é isso? Moisés lhes disse: – Isso é o alimento que o SENHOR está mandando para vocês comerem.
16 Esta é a ordem que ele deu: “Cada um de vocês deverá juntar o que for necessário para comer, de acordo com o número de pessoas que houver na família, dois litros por pessoa.”
17 E assim fizeram os israelitas. Uns pegaram mais, e outros, menos.
18 Quando mediram, aconteceu que os que haviam pegado muito não tinham demais; e não faltava nada para os que haviam pegado pouco. Cada um havia pegado exatamente o necessário para comer.
19 Então Moisés lhes disse: – Ninguém deverá guardar nada para o dia seguinte.
20 Mas alguns não obedeceram à ordem de Moisés e guardaram uma parte daquele alimento. E no dia seguinte o que tinha sido guardado estava cheio de bichos e cheirava mal. Aí Moisés ficou muito irritado com eles.
21 Todas as manhãs cada um pegava o necessário para comer naquele dia, pois o calor do sol derretia o que ficava no chão.
22 No sexto dia pegaram o dobro, isto é, quatro litros para cada pessoa. Os líderes do povo foram e contaram a Moisés o que estava acontecendo.
23 E Moisés lhes disse: – Amanhã é dia de descanso, o sábado santo, separado para Deus, o SENHOR. Por isso o SENHOR deu a seguinte ordem: “Os que quiserem assar esse alimento no forno, que assem; e os que quiserem cozinhar, que cozinhem. E guardem para o dia seguinte o que sobrar.”
24 Conforme a ordem de Moisés, todos guardaram para o dia seguinte o que havia sobrado. E não cheirou mal, nem criou bicho.
25 Moisés disse: – Comam isto hoje, pois é sábado, o dia de descanso separado para Deus, o SENHOR. Neste dia vocês não acharão no campo nada de comer.
26 Recolham esse alimento durante seis dias; porém no sétimo dia, que é o dia de descanso, não haverá alimento no chão.
27 No sétimo dia algumas pessoas saíram para pegar o alimento, porém não acharam nada.
28 Então o SENHOR Deus disse a Moisés: – Até quando vocês vão desobedecer às minhas ordens e às minhas leis?
29 Lembrem que eu, o SENHOR, dei a vocês um dia de descanso e foi por isso que no sexto dia eu lhes dei alimento para dois dias. No sétimo dia fiquem todos onde estiverem; ninguém deverá sair de casa.
30 Assim, o povo não trabalhou no sétimo dia.
31 Os israelitas deram àquele alimento o nome de maná. Ele era parecido com uma sementinha branca e tinha gosto de bolo de mel.
32 Moisés disse: – O SENHOR Deus mandou que fossem guardados dois litros de maná para que, no futuro, os nossos descendentes possam ver o alimento que ele nos deu para comermos no deserto, quando nos tirou do Egito.
33 Então Moisés disse a Arão: – Pegue uma vasilha, ponha nela dois litros de maná e coloque-a na presença de Deus, o SENHOR, a fim de ser guardada para os nossos descendentes.
34 Arão fez como o SENHOR havia ordenado a Moisés e colocou a vasilha diante da arca da aliança para que ficasse guardada ali.
35 Durante quarenta anos os israelitas tiveram maná para comer, até que chegaram a uma terra habitada, isto é, até que chegaram à fronteira de Canaã.
36 A porção de maná para cada pessoa era a décima parte da medida-padrão, que tinha vinte litros.


 

Êxodo – Capítulo 17

1 O povo de Israel saiu do deserto de Sim, caminhando de um lugar para outro, de acordo com as ordens de Deus, o SENHOR. Eles acamparam em Refidim, mas ali não havia água para beber.
2 Então reclamaram contra Moisés e lhe disseram: – Dê-nos água para beber. Moisés respondeu: – Por que vocês estão reclamando? Por que estão pondo o SENHOR à prova?
3 Mas o povo estava com muita sede e continuava reclamando e gritando contra Moisés. Eles diziam: – Por que você nos tirou do Egito? Será que foi para nos matar de sede, a nós, aos nossos filhos e às nossas ovelhas e cabras?
4 Então Moisés clamou pedindo a ajuda de Deus, o SENHOR. Ele disse: – O que é que eu faço com este povo? Mais um pouco, e eles vão querer me matar a pedradas.
5 O SENHOR disse a Moisés: – Escolha entre eles alguns líderes e passe com eles na frente do povo. Leve também o bastão com o qual você bateu no rio Nilo.
6 Eu estarei diante de você em cima de uma rocha, ali no monte Sinai. Bata na rocha, e dela sairá água para o povo beber. E Moisés fez isso na presença dos líderes do povo de Israel.
7 Então deram àquele lugar os nomes de Massá e de Meribá, pois os israelitas reclamaram contra Moisés e puseram o SENHOR à prova, perguntando: – O SENHOR está com a gente ou não?
8 Os amalequitas vieram e atacaram os israelitas em Refidim.
9 Então Moisés deu a Josué a seguinte ordem: – Escolha alguns homens e amanhã cedo vá com eles lutar por nós contra os amalequitas. Eu ficarei no alto do monte, segurando o bastão de Deus.
10 Josué fez o que Moisés havia ordenado e foi combater os amalequitas. Enquanto isso, Moisés, Arão e Hur subiram até o alto do monte.
11 Quando Moisés ficava com os braços levantados, os israelitas venciam. Porém, quando ele abaixava os braços, eram os amalequitas que venciam.
12 Quando os braços de Moisés ficaram cansados, Arão e Hur pegaram uma pedra e a puseram perto dele para que Moisés se sentasse. E os dois, um de cada lado, seguravam os braços de Moisés. Desse modo os seus braços ficaram levantados até o pôr-do-sol.
13 E assim Josué derrotou completamente os amalequitas.
14 Então o SENHOR Deus disse a Moisés: – Escreva um relatório dessa vitória a fim de que ela seja lembrada. Diga a Josué que eu vou destruir completamente os amalequitas.
15 Moisés construiu um altar e lhe deu o seguinte nome: “O SENHOR Deus é a minha bandeira.”
16 Depois disse: – Segurem bem alto a bandeira do SENHOR! O SENHOR combaterá para sempre os amalequitas!



 

Êxodo – Capítulo 18

1 Jetro, o sacerdote de Midiã e sogro de Moisés, soube de tudo o que Deus havia feito por Moisés e pelo povo de Israel. E soube também como o SENHOR havia tirado do Egito os israelitas.
2 Então ele foi para o lugar onde Moisés estava, levando Zípora, a mulher de Moisés. Moisés havia mandado Zípora e os dois filhos dela para a casa de Jetro.
3 O nome de um deles era Gérson, pois Moisés tinha dito: “Sou hóspede em terra estrangeira.”
4 O nome do outro era Eliézer, pois Moisés tinha dito: “O Deus do meu pai me ajudou e não deixou que eu fosse morto pelo rei do Egito.”
5 Jetro, o sogro de Moisés, foi com a mulher e os dois filhos de Moisés para o deserto onde Moisés estava acampado, no monte sagrado.
6 Ele havia mandado um recado a Moisés, dizendo que estava chegando, com a mulher e os filhos dele.
7 Então Moisés saiu para se encontrar com Jetro, curvou-se em sinal de respeito e o beijou. Cada um perguntou ao outro se ia bem de saúde, e depois eles entraram na barraca de Moisés.
8 Ele contou ao sogro tudo o que o SENHOR Deus, por causa do seu amor pelo povo de Israel, tinha feito com o rei do Egito e com os egípcios. Falou também a respeito das dificuldades que o povo havia tido no caminho e como o SENHOR os havia socorrido.
9 Jetro ficou muito contente com tudo o que o SENHOR havia feito pelo povo de Israel, tirando-o do Egito.
10 E disse: – Louvado seja o SENHOR Deus, que libertou vocês das mãos dos egípcios e do seu rei!
11 Agora sei que o SENHOR é mais poderoso do que todos os deuses, pois livrou os israelitas do poder dos egípcios, quando eles os trataram com tanto desprezo.
12 Em seguida Jetro trouxe uma oferta para ser completamente queimada e animais para serem mortos como sacrifício a Deus. Arão e todos os líderes do povo de Israel foram com ele para comer a refeição sagrada.
13 No dia seguinte Moisés sentou-se para julgar as questões do povo e ficou ocupado desde a manhã até a noite.
14 Quando Jetro viu tudo o que Moisés estava fazendo, perguntou: – Por que você está agindo assim? Por que está resolvendo sozinho os problemas do povo, com todas essas pessoas em pé ao seu redor, desde a manhã até a noite?
15 Moisés respondeu: – Eu tenho de fazer isso porque as pessoas vêm falar comigo para saber o que Deus quer.
16 Quando duas pessoas têm uma questão, elas vêm falar comigo para que eu resolva quem está certo. E explico os mandamentos e as leis de Deus a todos.
17 Então Jetro disse: – O que você está fazendo não está certo.
18 Desse jeito você vai ficar cansado demais, e o povo também. Isso é muito trabalho para você fazer sozinho.
19 Agora escute o meu conselho, e Deus o ajudará. Está certo que você represente o povo diante de Deus e também que leve a ele os problemas deles.
20 Você deve ensinar-lhes as leis de Deus e explicar o que devem fazer e como devem viver.
21 Mas você deve escolher alguns homens capazes e colocá-los como chefes do povo: chefes de mil, de cem, de cinqüenta e de dez. Devem ser homens que temam a Deus, que mereçam confiança e que sejam honestos em tudo.
22 Serão eles que sempre julgarão as questões do povo. Os casos mais difíceis serão trazidos a você, mas os mais fáceis eles mesmos poderão resolver. Assim será melhor para você, pois eles o ajudarão nesse trabalho pesado.
23 Se você fizer isso, e se for essa a ordem de Deus, você não ficará cansado, e todas essas pessoas poderão ir para casa com as suas questões resolvidas.
24 Moisés aceitou o conselho de Jetro
25 e escolheu homens capazes entre todos os israelitas. Ele os colocou como chefes de mil, de cem, de cinqüenta e de dez.
26 Eles sempre julgaram as questões do povo, resolvendo as mais fáceis e trazendo para Moisés as mais difíceis.
27 Então Moisés se despediu de Jetro, e Jetro voltou para casa.


 

 

Êxodo – Capítulo 19

1 Os israelitas partiram de Refidim. E, no dia primeiro do terceiro mês depois de terem saído do Egito, chegaram ao deserto do Sinai. Eles armaram o acampamento ao pé do monte Sinai.
3 E Moisés subiu o monte para se encontrar com Deus. E do monte o SENHOR Deus o chamou e lhe disse: – Diga aos descendentes de Jacó, os israelitas, o seguinte:
4 “Vocês viram com os seus próprios olhos o que eu, o SENHOR, fiz com os egípcios e como trouxe vocês para perto de mim como se fosse sobre as asas de uma águia.
5 Agora, se me obedecerem e cumprirem a minha aliança vocês serão o meu povo. O mundo inteiro é meu, mas vocês serão o meu povo, escolhido por mim.
6 Vocês são um povo separado somente para mim e me servirão como sacerdotes.” É isso o que você dirá aos israelitas.
7 Então Moisés foi, chamou os líderes do povo e contou tudo o que o SENHOR lhe havia ordenado.
8 Então todos responderam ao mesmo tempo: – Nós faremos tudo o que o SENHOR ordenou. E Moisés levou essa resposta ao SENHOR.
9 Ele disse a Moisés: – Eu vou falar com você numa nuvem escura para que o povo possa ouvir a nossa conversa e para que, daqui em diante, sempre confie em você. Moisés contou a Deus, o SENHOR, o que o povo havia respondido,
10 e o SENHOR lhe disse: – Vá falar ao povo e mande que eles passem o dia de hoje e de amanhã purificando-se para me adorar. Eles devem lavar as suas roupas
11 e se aprontar para depois de amanhã. Nesse dia eu descerei sobre o monte Sinai, onde todo o povo poderá me ver.
12 Marque limites em volta da montanha, para que o povo não passe dali, e diga-lhes que não subam o monte, nem cheguem perto dele. Se alguma pessoa puser o pé nele, deverá ser morta.
13 Ninguém deverá tocar nessa pessoa; ela será morta a pedradas ou com flechas. Isso deve ser feito tanto com pessoas como com animais. Porém, quando a trombeta tocar, o povo poderá subir o monte.
14 Então Moisés desceu do monte e mandou que o povo se purificasse para adorar a Deus. E todos lavaram as suas roupas.
15 Aí Moisés disse: – Fiquem prontos para depois de amanhã e até lá não tenham relações sexuais.
16 Na manhã do terceiro dia houve trovoadas e relâmpagos, uma nuvem escura apareceu no monte, e ouviu-se um som muito forte de trombeta. E todo o povo que estava no acampamento tremeu de medo.
17 Moisés os levou para fora do acampamento a fim de se encontrarem com Deus, e eles ficaram parados ao pé do monte.
18 Todo o monte Sinai soltava fumaça, pois o SENHOR havia descido sobre ele no meio do fogo. A fumaça subia como se fosse a fumaça de uma fornalha, e todo o povo tremia muito.
19 O som da trombeta foi ficando cada vez mais forte. Moisés falou, e Deus respondeu no barulho do trovão.
20 O SENHOR desceu no alto do monte Sinai e chamou Moisés para que fosse até lá. Moisés subiu,
21 e o SENHOR lhe disse: – Desça e avise ao povo que não passe os limites para chegar perto a fim de me ver. Se passarem, muitos deles morrerão.
22 Avise também os sacerdotes que eles devem se purificar a fim de poderem chegar perto de mim. Se não se purificarem, eu os matarei.
23 Moisés disse a Deus, o SENHOR: – O povo não poderá subir o monte, pois tu nos mandaste respeitar este monte como lugar sagrado e mandaste também marcar limites em volta dele.
24 Então o SENHOR respondeu: – Desça e depois volte com Arão. Porém os sacerdotes e o povo não devem passar os limites a fim de subir até o lugar onde estou. Se fizerem isso, eu os matarei.
25 Aí Moisés desceu até o lugar onde o povo estava e contou o que Deus tinha dito.




Êxodo – Capítulo 20

1 Deus falou, e foi isto o que ele disse:
2 – Meu povo, eu, o SENHOR, sou o seu Deus. Eu o tirei do Egito, a terra onde você era escravo.
3 – Não adore outros deuses; adore somente a mim.
4 – Não faça imagens de nenhuma coisa que há lá em cima no céu, ou aqui embaixo na terra, ou nas águas debaixo da terra.
5 Não se ajoelhe diante de ídolos, nem os adore, pois eu, o SENHOR, sou o seu Deus e não tolero outros deuses. Eu castigo aqueles que me odeiam, até os seus bisnetos e trinetos.
6 Porém sou bondoso com aqueles que me amam e obedecem aos meus mandamentos e abençôo os seus descendentes por milhares de gerações.
7 – Não use o meu nome sem o respeito que ele merece; pois eu sou o SENHOR, o Deus de vocês, e castigo aqueles que desrespeitam o meu nome.
8 – Guarde o sábado, que é um dia santo.
9 Faça todo o seu trabalho durante seis dias da semana;
10 mas o sétimo dia da semana é o dia de descanso, dedicado a mim, o SENHOR, seu Deus. Não faça nenhum trabalho nesse dia, nem você, nem os seus filhos, nem as suas filhas, nem os seus escravos, nem as suas escravas, nem os seus animais, nem os estrangeiros que vivem na terra de vocês.
11 Em seis dias eu, o SENHOR, fiz o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles, mas no sétimo dia descansei. Foi por isso que eu, o SENHOR, abençoei o sábado e o separei para ser um dia santo.
12 – Respeite o seu pai e a sua mãe, para que você viva muito tempo na terra que estou lhe dando.
13 – Não mate.
14 – Não cometa adultério.
15 – Não roube.
16 – Não dê testemunho falso contra ninguém.
17 – Não cobice a casa de outro homem. Não cobice a sua mulher, os seus escravos, o seu gado, os seus jumentos ou qualquer outra coisa que seja dele.
18 O povo ouviu os trovões e o som da trombeta e viu os relâmpagos e a fumaça que saía do monte. Então eles tremeram de medo e ficaram de longe.
19 E disseram a Moisés: – Se você falar, nós ouviremos; mas, se Deus falar conosco, nós seremos mortos.
20 Então Moisés respondeu: – Não tenham medo, pois Deus só quer pôr vocês à prova. Ele quer que vocês continuem a temê-lo a fim de que não pequem.
21 E o povo ficou em pé de longe, e somente Moisés chegou perto da nuvem escura onde Deus estava.
22 Então o SENHOR ordenou que Moisés dissesse aos israelitas o seguinte: – Vocês viram que lá do céu eu lhes falei.
23 Não façam deuses de prata ou de ouro para adorá-los ao mesmo tempo que vocês adoram a mim.
24 Façam um altar de terra para mim e em cima dele ofereçam as suas ovelhas e os seus bois como sacrifícios que serão completamente queimados e como ofertas de paz. Eu separarei lugares para que neles vocês me adorem, e nesses lugares eu me encontrarei com vocês e os abençoarei.
25 Se fizerem um altar de pedras para mim, não usem pedras cortadas com ferramentas. Pois na construção do meu altar não poderão ser usadas pedras cortadas com ferramentas.
26 Não façam o meu altar com degraus; porque, se fizerem, a nudez de vocês vai aparecer ali.





Êxodo – Capítulo 21

1 Deus ordenou a Moisés que desse aos israelitas estas leis:
2 – Se você comprar um escravo israelita, ele deverá trabalhar seis anos para você. Mas no sétimo ano ele ficará livre, sem ter de pagar nada.
3 Se ele era solteiro quando se tornou seu escravo, não levará a mulher quando for embora. Mas, se era casado, então poderá levar a mulher.
4 Se o dono do escravo lhe der uma mulher, e ela der à luz filhos e filhas, a mulher e os filhos serão do dono, e o escravo irá embora sozinho.
5 Se o escravo disser que ama a sua mulher, os seus filhos e o seu dono e não quiser ser posto em liberdade,
6 então o dono o levará ao lugar de adoração. Ali ele o encostará na porta ou no batente da porta e furará a orelha dele com um furador. Então ele será seu escravo por toda a vida.
7 – Se um homem vender a sua filha para ser escrava, ela não ficará livre como ficam os escravos do sexo masculino.
8 Se um homem a comprar e disser que quer casar com ela, mas depois não gostar dela, ele terá de vendê-la novamente ao pai dela. O seu dono não poderá vendê-la a estrangeiros, pois ele não agiu direito com ela.
9 Se alguém comprar uma escrava para fazê-la casar com seu filho, deverá tratá-la como se fosse sua filha.
10 Se um homem casar com uma segunda mulher, deverá continuar a dar à primeira a mesma quantidade de alimentos e de roupas e os mesmos direitos que ela possuía antes.
11 Se ele não cumprir essas três coisas, ela poderá sair livre, sem ter de pagar nada.
12 – Deverá ser morto todo aquele que ferir uma pessoa de modo que ela morra.
13 Porém, se foi apenas um acidente, não tendo havido intenção de matar, então aquele que matou deverá fugir para um lugar que eu escolherei e ali ele ficará livre.
14 Mas, se um homem ficar com raiva e matar outro de propósito, deverá ser morto, ainda que ele tenha fugido para o meu altar a fim de se salvar.
15 – Quem bater no pai ou na mãe será morto.
16 – Quem levar à força uma pessoa para vendê-la ou para ficar com ela como escrava será morto.
17 – Quem amaldiçoar o pai ou a mãe será morto.
18 – Se durante uma briga um homem ferir o outro com uma pedra ou com um soco, ele não será castigado se aquele que foi ferido não morrer. Mas, se este ficar de cama,
19 e mais tarde se levantar, e começar a andar fora da casa com a ajuda de uma bengala, então aquele que o feriu terá de pagar o tempo que o outro perdeu e também as despesas do tratamento.
20 – Se alguém ferir a pauladas o seu escravo, e ele morrer na hora, o que bateu será castigado. Mas, se o escravo morrer só um ou dois dias depois, o dono não será castigado. Pois a perda do escravo já é um castigo para o dono. Essa lei vale também para as escravas.
22 – Se alguns homens estiverem brigando e ferirem uma mulher grávida, e por causa disso ela perder a criança, mas sem maior prejuízo para a sua saúde, aquele que a feriu será obrigado a pagar o que o marido dela exigir, de acordo com o que os juízes decidirem.
23 Mas, se a mulher for ferida gravemente, o castigo será vida por vida,
24 olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé,
25 queimadura por queimadura, ferimento por ferimento, machucadura por machucadura.
26 – Se alguém ferir o olho do seu escravo, e ele perder a vista, o escravo terá de ser libertado como pagamento pelo olho perdido. E, se alguém quebrar um dente do seu escravo, ele terá de ser libertado como pagamento pelo dente. Essa lei vale também para as escravas.
28 – Se um boi chifrar um homem ou uma mulher, e a pessoa morrer, o boi deverá ser morto a pedradas, e ninguém comerá a sua carne. Mas o dono do boi não será castigado.
29 Porém, se o boi tinha o costume de chifrar as pessoas, e o seu dono sabia disso e não o prendeu, e o boi matar algum homem ou alguma mulher, o boi será morto a pedradas. E o seu dono também será morto.
30 No entanto, se deixarem que o dono pague uma multa para salvar a sua vida, então ele terá de pagar tudo o que for exigido.
31 Se um boi matar um menino ou uma menina, o dono será julgado por esta mesma lei.
32 Se um boi chifrar um escravo ou uma escrava, o dono receberá como pagamento trinta barras de prata, e o boi será morto a pedradas.
33 – Se alguém tirar a tampa de um poço ou se cavar um poço e não o tapar, e nele cair um boi ou um jumento,
34 essa pessoa terá de pagar ao dono o preço do animal. Ela fará o pagamento em dinheiro, porém o animal morto será seu.
35 Se o boi de um homem ferir o boi de outro, e o boi que foi ferido morrer, o boi vivo será vendido, e o dinheiro será repartido entre os dois homens; e o boi morto será dividido também entre os dois.
36 Porém, se o boi já era conhecido como boi chifrador, e o seu dono não o prendeu, ele dará ao outro homem um boi vivo, mas o boi morto será seu.

 

 

Êxodo – Capítulo 22

1 Se alguém roubar um boi ou uma ovelha e matar ou vender o animal, pagará cinco bois por um boi e quatro ovelhas por uma ovelha.
2 Quem roubou deverá pagar por aquilo que roubou. Se não tiver com que pagar, então deverá ser vendido como escravo para pagar por aquilo que roubou. Se o animal roubado, seja boi, jumento ou ovelha, for encontrado vivo com a pessoa que o roubou, ela pagará dois por um. – Se um ladrão for apanhado roubando de noite uma casa e for morto, quem o matar não será culpado pela morte do ladrão. Mas, se isso acontecer durante o dia, ele será culpado de assassinato.
5 – Se alguém deixar que os seus animais pastem num campo ou numa plantação de uvas, ou se os largar para comerem as colheitas de outras pessoas, esse alguém pagará com o melhor do seu próprio campo ou com o melhor da sua própria plantação de uvas.
6 – Se alguém acender uma fogueira no seu campo, e o fogo pegar nos espinheiros e se espalhar pelo campo de outro homem e destruir os feixes de trigo ou as plantações que já estiverem maduras, aquele que acendeu a fogueira pagará todos os prejuízos.
7 – Se alguém receber de outra pessoa dinheiro ou objetos para serem guardados, e isso for roubado da sua casa, o ladrão, se for achado, pagará o dobro.
8 Mas, se o ladrão não for encontrado, o dono da casa será levado ao lugar de adoração e ali deverá jurar que não roubou o que lhe foi dado para guardar.
9 – Se uma pessoa ficar com um boi, um jumento, uma ovelha, roupas ou qualquer coisa perdida, e aparecer alguém dizendo que é o dono, o caso deverá ser levado até o lugar de adoração. Aquele que Deus declarar culpado pagará ao dono o dobro.
10 – Se alguém entregar um animal para o seu vizinho tomar conta, seja jumento, boi, ovelha ou outro animal qualquer, e o animal morrer ou ficar aleijado, ou se for roubado sem que ninguém veja o roubo,
11 o homem que tomou conta deverá jurar em nome de Deus, o SENHOR, que não roubou o animal. Se o animal não tiver sido roubado, o dono aceitará o juramento, e o outro não precisará pagar nada.
12 Porém, se, de fato, o animal tiver sido roubado, então o outro terá de pagar ao dono pelo animal.
13 Se o animal tiver sido morto por animais selvagens, o outro terá de trazer como prova o que sobrou e não pagará nada pelo animal morto.
14 – Se alguém pedir emprestado um animal, e este ficar doente ou morrer quando o seu dono não estiver presente, quem pediu emprestado deverá pagar o preço dele.
15 Mas, se isso acontecer quando o dono estiver presente, o outro não precisará pagar nada. Se o animal tiver sido alugado, só será pago o aluguel.
16 – Se um homem seduzir uma virgem que não estava com casamento contratado, ele pagará o dote da moça e casará com ela.
17 Porém, se o pai dela não quiser que a moça case com ele, então ele pagará ao pai uma quantia em dinheiro, de acordo com o preço de uma noiva virgem.
18 – Mate toda mulher que fizer feitiçaria.
19 – Quem tiver relações sexuais com um animal será morto.
20 – Condene à morte toda pessoa que oferecer sacrifícios a qualquer outro deus e não somente a mim, o SENHOR.
21 – Não maltratem, nem persigam um estrangeiro que estiver morando na terra de vocês. Lembrem que vocês foram estrangeiros no Egito.
22 Não maltratem as viúvas nem os órfãos.
23 Se vocês os maltratarem, eu, o SENHOR, os atenderei quando eles pedirem socorro.
24 Eu ficarei irado e matarei vocês na guerra. As suas mulheres ficarão viúvas, e os seus filhos ficarão órfãos.
25 – Se você emprestar dinheiro a algum pobre do meu povo, não faça como o agiota, que cobra juros.
26 Se você receber a capa do seu vizinho como garantia de uma dívida, devolva-a antes que anoiteça.
27 Pois a capa é a única coisa que ele tem com que se cobrir quando dorme, para esquentar o corpo. Sem a capa, ele não tem nada com que se cobrir. Quando ele clamar a mim pedindo ajuda, eu o atenderei, pois sou bondoso.
28 – Não rogue pragas contra Deus e não amaldiçoe nenhuma das autoridades do seu povo.
29 – Traga-me no tempo certo as ofertas de cereais, de vinho e de azeite. – Entregue-me o seu primeiro filho.
30 Entregue-me o primeiro filhote das suas vacas e das suas ovelhas. Deixe que o primeiro filhote macho fique com a mãe sete dias; porém, no oitavo dia, ofereça-o a mim.

31 – Vocês são um povo separado para mim; por isso não comam a carne de animais que tenham sido mortos por animais selvagens; dêem essa carne aos cães.

 

 

Êxodo – Capítulo 23

1 – Não espalhe notícias falsas e não minta no tribunal para ajudar alguém.
2 Não siga a maioria quando ela faz o que é errado e não dê testemunho falso para ajudar a maioria a torcer a justiça.
3 Não faça injustiça, nem mesmo para favorecer o pobre.
4 – Se você vir o boi ou o jumento do seu inimigo andando perdido, leve-o de volta para ele.
5 Se o jumento dele cair debaixo da carga, não o deixe ali, mas ajude o dono a pôr o animal de pé.
6 – Quando um pobre comparecer ao tribunal, não cometa injustiça contra ele.
7 Não faça acusações falsas, nem condene à morte uma pessoa inocente. Pois eu condenarei aquele que fizer essas coisas más.
8 Não aceite dinheiro para torcer a justiça, pois esse dinheiro faz com que as pessoas fiquem cegas e não vejam o que é direito, prejudicando assim a causa daqueles que são inocentes.
9 – Não maltratem os estrangeiros que moram no meio de vocês. Vocês sabem como eles sofrem por serem estrangeiros, pois vocês foram estrangeiros no Egito.
10 – Durante seis anos você semeará as suas terras e colherá o que elas produzirem.
11 Porém no sétimo ano deixe que a terra descanse e não colha nada que crescer nela. Mas os pobres poderão comer o que crescer ali, e os animais selvagens comerão o que sobrar. Faça isso também com as suas plantações de uvas e de azeitonas.
12 – Trabalhe seis dias por semana, mas no sétimo dia não faça nenhum trabalho para que os seus escravos, os seus animais e os estrangeiros que trabalham para você possam descansar.
13 – Dêem atenção a tudo o que eu, o SENHOR, tenho dito a vocês. Não façam orações a outros deuses, nem mesmo falem os nomes deles.
14 – Três vezes por ano vocês comemorarão uma festa em minha honra.
15 No mês de abibe, o mês em que vocês saíram do Egito, comemorem a Festa dos Pães sem Fermento como eu ordenei. Durante os sete dias da festa não comam pão feito com fermento. Que ninguém venha me adorar sem trazer uma oferta.
16 – Comemorem a Festa da Colheita logo que vocês começarem a colher o que plantaram. – Comemorem a Festa das Barracas no outono, quando vocês colherem as uvas e as frutas dos pomares.
17 Três vezes por ano, nessas três festas, todos os homens devem vir adorar a mim, o SENHOR Deus.
18 – Quando vocês oferecerem um animal em sacrifício a mim, não me tragam pão feito com fermento. A gordura dos animais mortos nos sacrifícios, durante as minhas festas, deverá ser queimada no mesmo dia.
19 – Todos os anos tragam à casa do SENHOR, seu Deus, os primeiros cereais que colherem. – Não cozinhem um cabrito ou um carneirinho no leite da sua própria mãe.
20 – Eu enviarei um anjo adiante de vocês para protegê-los na viagem e para levá-los ao lugar que lhes preparei.
21 Dêem atenção e obedeçam ao anjo. Não se revoltem contra ele, pois ele age em meu nome e não perdoará revoltas.
22 Se vocês lhe obedecerem e fizerem tudo o que ele mandar, eu lutarei contra todos os inimigos de vocês.
23 O meu anjo irá adiante de vocês e os levará até a terra dos amorreus, dos heteus, dos perizeus, dos cananeus, dos heveus e dos jebuseus. E eu destruirei todos esses povos.
24 Não se curvem diante dos deuses deles, nem os adorem, e não sigam os seus costumes religiosos. Destruam os deuses deles e quebrem as colunas do deus Baal.
25 Se vocês adorarem a mim, o SENHOR, seu Deus, eu os abençoarei, dando-lhes comida e água, e tirarei de vocês todas as doenças.
26 Na terra de vocês nenhuma mulher terá aborto, nem ficará sem ter filhos. E eu darei a vocês uma vida longa.
27 – Farei com que os povos que são contra vocês tenham medo de mim. Farei com que haja confusão entre os povos contra quem vocês vão lutar e farei com que os inimigos fujam de vocês.
28 Farei com que os seus inimigos fiquem apavorados. E, quando vocês forem avançando, eu expulsarei os heveus, os cananeus e os heteus.
29 Não os expulsarei num ano só; se eu fizesse isso, a terra ficaria deserta, e os animais selvagens se tornariam numerosos demais, prejudicando vocês.
30 Pelo contrário, eu expulsarei esses povos pouco a pouco, até que vocês se tornem mais numerosos e tomem posse da terra.
31 Farei com que os limites da terra de vocês vão desde o golfo de Ácaba até o rio Eufrates e do mar Mediterrâneo até o deserto. Eu lhes darei poder para dominarem os povos daquelas terras, e vocês irão avançando e os expulsando.
32 Não façam nenhum acordo com eles, nem com os seus deuses.
33 Não deixem que esses povos vivam na terra de vocês. Se deixarem, eles farão com que vocês pequem contra mim. Se vocês adorarem os deuses deles, isso será uma armadilha mortal para vocês.




Êxodo – Capítulo 24

1 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Você, Arão, Nadabe, Abiú e setenta líderes do povo de Israel, subam o monte e venham até a minha presença. E, quando ainda estiverem um pouco longe, ajoelhem-se para me adorar.
2 Só você, Moisés, chegará perto de mim; os outros, não. E o povo não deverá subir o monte.
3 Moisés foi e contou ao povo tudo o que o SENHOR tinha dito e todos os mandamentos que ele tinha dado. Então os israelitas responderam todos juntos: – Nós faremos tudo o que o SENHOR ordenou.
4 Então Moisés escreveu todas as leis de Deus, o SENHOR. No dia seguinte, de manhã, ele construiu um altar ao pé do monte e colocou ali doze colunas de pedra, uma para cada tribo das doze tribos do povo de Israel.
5 Aí Moisés mandou que alguns moços queimassem animais em sacrifício ao SENHOR e matassem touros como ofertas de paz.
6 Moisés pôs a metade do sangue dos animais em bacias e derramou a outra metade no altar.
7 Depois pegou o livro da aliança, onde estavam escritos os mandamentos do SENHOR, e o leu em voz alta para o povo. Eles disseram: – Nós obedeceremos a Deus, o SENHOR, e faremos tudo o que ele mandar.
8 Então Moisés pegou o sangue das bacias, borrifou o povo com ele e disse: – Este é o sangue que sela a aliança que o SENHOR fez com vocês quando deu todos esses mandamentos.
9 Moisés, Arão, Nadabe, Abiú e setenta líderes do povo de Israel subiram o monte
10 e viram o Deus de Israel. Debaixo dos pés dele havia alguma coisa parecida com um piso feito de safiras, azul como o céu.
11 Deus não matou esses líderes de Israel; eles viram a Deus e depois comeram e beberam juntos.
12 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Suba o monte onde eu estou e fique aqui, pois eu vou lhe dar as placas de pedra que têm as leis e os mandamentos que escrevi, a fim de que você os ensine ao povo.
13 Moisés e Josué, o seu auxiliar, se aprontaram, e Moisés começou a subir o monte sagrado.
14 Então Moisés disse aos líderes: – Esperem aqui até nós voltarmos. Arão e Hur ficarão com vocês. Quem tiver alguma questão para resolver deverá falar com eles.
15 Então Moisés subiu o monte Sinai, e uma nuvem cobriu o monte.
16 A glória do SENHOR desceu sobre o monte, e para os israelitas a luz parecia um fogo que queimava lá no alto. A nuvem cobriu o monte durante seis dias, e no sétimo dia o SENHOR, lá da nuvem, chamou Moisés.
18 Moisés entrou no meio da nuvem. E ficou ali no monte quarenta dias e quarenta noites.



 

Êxodo – Capítulo 25

1 O SENHOR Deus disse a Moisés:
2 – Diga aos israelitas que me dêem uma oferta. Receba as ofertas que eles quiserem dar de bom coração.
3 Essas ofertas podem ser ouro, prata ou bronze;
4 fios de lã azul, púrpura e vermelha; linho fino; tecido feito de pêlos de cabra;
5 peles de carneiro tingidas de vermelho e peles finas; madeira de acácia;
6 azeite para lamparinas; especiarias para a preparação do azeite de ungir e para o incenso de cheiro agradável;
7 pedras de ônix e outras pedras de valor para serem colocadas no manto sacerdotal e no peitoral do Grande Sacerdote.
8 Os israelitas deverão fazer uma Tenda Sagrada para mim a fim de que eu possa morar no meio deles.
9 – E você, Moisés, faça a Tenda e todos os seus móveis de acordo com o modelo que eu vou lhe mostrar.
10 – Diga aos israelitas que façam uma arca de madeira de acácia, de um metro e dez de comprimento por sessenta e seis centímetros de largura e sessenta e seis de altura.
11 Revistam de ouro puro essa caixa, por dentro e por fora. E em toda a volta coloquem um remate de ouro.
12 Façam também quatro argolas de ouro e ponham nos quatro pés, ficando duas argolas de cada lado.
13 Façam cabos de madeira de acácia e revistam de ouro.
14 Enfiem os cabos nas argolas nos lados da arca, para que ela possa ser carregada.
15 Os cabos ficarão nas argolas da arca e não serão tirados dela.
16 Eu lhe darei as duas placas de pedra, onde estão escritos os mandamentos; e você porá essas placas na arca.
17 – Faça também uma tampa de ouro puro, de um metro e dez de comprimento por sessenta e seis centímetros de largura.
18 Faça dois querubins de ouro batido,
19 um para cada ponta da tampa. Isso deve ser feito de modo que os querubins formem uma só peça com a tampa.
20 Os querubins ficarão de frente um para o outro, olhando para a tampa. As suas asas ficarão abertas, cobrindo a tampa.
21 Coloque dentro da arca as duas placas de pedra que eu vou lhe dar e ponha a tampa na arca.
22 Ali eu me encontrarei com você e, de cima da tampa, do meio dos dois querubins, eu lhe darei as minhas leis para o povo de Israel.
23 – Você deverá fazer também uma mesa de madeira de acácia, com as seguintes medidas: oitenta e oito centímetros de comprimento por quarenta e quatro de largura e sessenta e seis de altura.
24 Revista de ouro puro a mesa e coloque um remate de ouro em volta dela.
25 Em volta da mesa faça um friso de quatro dedos de largura e um remate de ouro em volta do friso.
26 Faça também quatro argolas de ouro e ponha nos quatro cantos, perto dos quatro pés.
27 Perto do friso deverão ser colocadas as argolas por onde passam os cabos para se carregar a mesa.
28 Esses cabos deverão ser feitos de madeira de acácia e revestidos de ouro. A mesa será carregada por esses cabos.
29 Faça os pratos, os copos, as taças e as jarras que serão usados para as ofertas de vinho. Tudo isso deverá ser feito de ouro puro.
30 A mesa será colocada na frente da arca da aliança, e em cima da mesa estarão sempre os pães sagrados que são oferecidos a mim.
31 – Faça um candelabro de ouro puro. A sua base e a sua haste deverão ser de ouro batido. As flores que enfeitarão o candelabro, com os seus botões e as suas pétalas, formarão uma só peça com ele.
32 Dos seus lados sairão seis braços, três de um lado e três do outro.
33 Cada um dos seis braços deverá ter três flores com o formato de flor de amendoeira, com os seus botões e as suas pétalas.
34 – A haste do candelabro deverá ter quatro flores com o formato de flor de amendoeira, com os seus botões e as suas pétalas.
35 Debaixo de cada um dos três pares de braços deverá haver um botão de amendoeira.
36 Os botões, os braços e o candelabro deverão formar uma só peça de ouro puro batido.
37 Faça sete lamparinas para o candelabro e coloque-as na parte de cima, de maneira que iluminem a frente dele.
38 As tesouras de cortar os pavios das lamparinas e os cinzeiros deverão ser de ouro puro.
39 Use trinta e quatro quilos de ouro puro para fazer o candelabro e todas as peças que o acompanham.
40 – E tenha o cuidado de fazer tudo de acordo com o modelo que eu lhe mostrei no monte.

 

 

Êxodo – Capítulo 26

1 O SENHOR disse a Moisés: – Faça a parte de dentro da Tenda Sagrada com dez cortinas de tecido feito de linho fino e de fios de lã azul, púrpura e vermelha. Nessas cortinas serão bordadas figuras de querubins.
2 Cada cortina deverá ter doze metros e meio de comprimento por um metro e oitenta de largura.
3 Costure cinco delas umas nas outras, formando assim uma só peça. Faça a mesma coisa com as outras cinco.
4 Ponha laçadas de tecido azul na beirada de fora da última cortina de cada uma das duas peças de cortinas.
5 Faça cinqüenta laçadas para a beirada da primeira cortina da primeira peça e cinqüenta para a beirada da última cortina da segunda peça, de modo que as laçadas fiquem de frente umas para as outras.
6 Faça também cinqüenta prendedores de ouro e com eles junte os dois jogos de cortinas para que formem uma só peça.
7 – Faça uma cobertura para a Tenda, com onze pedaços de pano feito de pêlos de cabra.
8 Os pedaços deverão ter o mesmo tamanho, medindo treze metros e trinta de comprimento por um metro e oitenta de largura.
9 Costure cinco pedaços uns nos outros, formando uma peça, e os outros seis, formando outra peça, ficando o sexto pedaço dobrado na parte da frente da Tenda.
10 Ponha cinqüenta laçadas na beirada do último pedaço da primeira peça e cinqüenta laçadas na beirada da outra peça.
11 Faça também cinqüenta prendedores de bronze e passe esses prendedores nas laçadas, juntando assim as duas peças uma com a outra para que formem uma cobertura só.
12 A metade da cortina que sobrar ficará pendurada na parte de trás da Tenda.
13 Os quarenta e cinco centímetros que sobrarem de cada lado do comprimento das cortinas ficarão de um lado e do outro para cobrir a Tenda.
14 – Faça mais uma cobertura, de peles de carneiro tingidas de vermelho; e em cima desta coloque outra cobertura, feita de peles finas.
15 – Faça também armações de madeira de acácia para a Tenda.
16 Cada uma das armações terá quatro metros e quarenta e cinco de comprimento por sessenta e sete centímetros de largura.
17 Cada armação terá dois encaixes para juntar uma à outra. Você fará isso com todas as armações da Tenda.
18 Faça vinte armações para o lado sul
19 e ponha debaixo dessas vinte armações quarenta bases de prata, duas debaixo de cada armação, para firmarem os seus dois encaixes.
20 Faça também vinte armações para o lado norte
21 e quarenta bases de prata, duas para cada armação.
22 Para o lado de trás da Tenda, o lado oeste, você fará seis armações
23 e mais duas armações para os cantos da Tenda.
24 Essas armações dos cantos deverão ser juntadas na base, formando uma só peça até a primeira argola que fica na parte de cima. As duas armações que formam os dois cantos deverão ser colocadas desse jeito.
25 Portanto, haverá oito armações com as suas dezesseis bases de prata, duas debaixo de cada armação.
26 – Faça quinze travessas de madeira de acácia, cinco para as armações de um lado da Tenda,
27 cinco para as armações do outro lado e cinco para as armações do lado oeste, na parte de trás.
28 A travessa do centro passará a meia altura entre as armações, de um lado da Tenda até o outro.
29 Revista de ouro essas armações e ponha nelas argolas de ouro, por onde passarão os cabos, que também deverão ser revestidos de ouro.
30 Arme a Tenda de acordo com o modelo que eu lhe mostrei no monte.
31 – Faça uma cortina de tecido feito de linho fino e de fios de lã azul, púrpura e vermelha e bordada com figuras de querubins.
32 Pendure essa cortina em quatro postes de madeira de acácia revestidos de ouro, que terão prendedores de ouro e serão fixados em quatro bases de prata.
33 Pendure a cortina debaixo dos prendedores e atrás da cortina ponha a arca da aliança, onde estão as duas placas de pedra. A cortina separará o Lugar Santo do Lugar Santíssimo.
34 Ponha a tampa na arca da aliança, no Lugar Santíssimo.
35 Fora do Lugar Santíssimo ponha a mesa no lado norte da Tenda e coloque o candelabro no lado sul.
36 – Para a entrada da Tenda faça uma cortina de tecido feito de linho fino e de fios de lã azul, púrpura e vermelha e enfeitada com bordados.
37 Para segurarem essa cortina, faça cinco postes de madeira de acácia revestidos de ouro e com prendedores de ouro. E faça cinco bases de bronze para os postes.




Êxodo – Capítulo 27

1 O SENHOR disse a Moisés: – Faça um altar de madeira de acácia. Ele será quadrado, medindo dois metros e vinte de comprimento por dois metros e vinte de largura e um metro e trinta de altura.
2 Nos quatro cantos ponha quatro pontas, que formarão uma só peça com o altar, que deverá ser revestido de bronze.
3 Faça vasilhas para recolher a gordura e as cinzas e faça pás, bacias, garfos e braseiros; todas essas peças serão feitas de bronze.
4 Faça também uma grelha de bronze em forma de rede e nos seus cantos ponha quatro argolas de bronze.
5 Coloque essas argolas debaixo da beirada do altar, de maneira que a grelha chegue até a metade da altura do altar.
6 Para carregar o altar, faça cabos de madeira de acácia e revista-os de bronze.
7 Esses cabos deverão ser enfiados nas argolas, de um lado e do outro do altar, quando este tiver de ser carregado.
8 Esse altar, feito de madeira, será oco, de acordo com o modelo que eu lhe mostrei no monte.
9 – Faça para a Tenda Sagrada um pátio cercado de cortinas de linho fino. No lado sul as cortinas deverão ter quarenta e quatro metros de comprimento.
10 Elas serão sustentadas por vinte postes e vinte bases feitos de bronze. Os ganchos dos postes e os suportes das cortinas serão de prata.
11 Faça a mesma coisa no lado norte do pátio.
12 O pátio terá vinte e dois metros de largura; portanto, nos lados oeste e leste as cortinas deverão ter vinte e dois metros de comprimento. Para sustentarem as cortinas, haverá dez postes e dez bases.
14 Cada lado da entrada terá cortinas de seis metros e sessenta de comprimento, com três postes e três bases.
16 Na entrada do pátio haverá uma cortina de oito metros e oitenta de comprimento. Faça essa cortina de tecido feito de linho fino e de fios de lã azul, púrpura e vermelha e enfeitada com bordados. A cortina será sustentada por quatro postes e quatro bases.
17 Todos os postes em volta do pátio deverão ser unidos por suportes de prata. Os seus ganchos serão de prata, e as suas bases serão de bronze.
18 O pátio terá quarenta e quatro metros de comprimento por vinte e dois de largura; a altura das cortinas será de dois metros e vinte. As cortinas serão de linho fino, e as bases, de bronze.
19 Todos os objetos usados no serviço da Tenda, as estacas da Tenda e as estacas do pátio serão de bronze.
20 – Moisés, mande que os israelitas lhe tragam o melhor azeite para o candelabro, a fim de que ele possa ser aceso todas as tardes.
21 Arão e os seus filhos colocarão o candelabro na Tenda da Minha Presença, do lado de fora da cortina que está na frente da arca da aliança. O azeite ficará ali queimando na minha presença, desde a tarde até de manhã. Essa ordem deverá ser obedecida para sempre pelos israelitas e pelos seus descendentes.




Êxodo – Capítulo 28

1 O SENHOR disse a Moisés: – Mande chamar o seu irmão Arão e os filhos dele, Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar. Separe-os do povo de Israel para que me sirvam como sacerdotes.
2 Faça roupas de sacerdote para o seu irmão a fim de darem a ele dignidade e beleza.
3 Chame todas as pessoas a quem eu dei habilidade e mande que façam as roupas de Arão, para que ele seja consagrado como meu sacerdote.
4 Mande que façam um peitoral, um manto sacerdotal, uma sobrepeliz, uma túnica bordada, uma mitra e um cinto. Essas pessoas farão roupas de sacerdote para o seu irmão Arão e os filhos dele, a fim de que eles me sirvam como sacerdotes.
5 Esses artesãos deverão usar fios de lã azul, púrpura e vermelha, fios de ouro e linho fino.
6 – Os artesãos farão o manto sacerdotal de fios de lã azul, púrpura e vermelha, de linho fino e de fios de ouro e o enfeitarão com bordados.
7 Nas duas pontas do manto haverá duas alças que deverão ser presas nos dois lados do manto.
8 O cinto que passará pela cintura do manto para prendê-lo será feito dos mesmos materiais do manto, formando com ele uma só peça.
9 Pegue duas pedras de ágata e grave nelas os nomes dos filhos de Jacó,
10 seis nomes numa pedra e seis nomes na outra, por ordem de idade.
11 Escolha um bom ourives para gravar nas duas pedras os nomes dos filhos de Jacó e para montar as pedras em engastes de ouro.
12 Coloque essas duas pedras nas alças do manto sacerdotal para representarem as doze tribos do povo de Israel. Assim, Arão levará nos ombros esses nomes para que eu, o SENHOR, sempre lembre do meu povo.
13 Faça dois engastes de ouro
14 e duas correntes de ouro puro entrelaçadas em forma de cordão, que você prenderá nos engastes.
15 – Faça um peitoral, que o Grande Sacerdote usará para descobrir a vontade de Deus. Como o manto sacerdotal, o peitoral também será feito de fios de lã azul, púrpura e vermelha e de linho fino enfeitado com bordados.
16 O peitoral será quadrado e dobrado em dois. Terá um palmo de comprimento e um palmo de largura.
17 Coloque nele quatro carreiras de pedras preciosas. Na primeira carreira ponha um rubi, um topázio e uma granada.
18 Na segunda carreira ponha uma esmeralda, uma safira e um diamante.
19 A terceira carreira terá uma turquesa, uma ágata e uma ametista.
20 A quarta carreira terá um berilo, um ônix e um jaspe. As pedras deverão ser montadas em engastes de ouro.
21 Em cada uma dessas doze pedras será gravado o nome de um dos filhos de Jacó para representar as doze tribos de Israel.
22 Com fios de ouro puro trançados faça cordões para o peitoral.
23 Faça também duas argolas de ouro e as prenda nas pontas da parte de cima do peitoral.
24 Passe os dois cordões de ouro nas duas argolas
25 e prenda as duas pontas dos cordões nos dois engastes de ouro do peitoral, que serão presos nas duas alças do manto, na parte da frente.
26 Faça outras duas argolas de ouro, que serão presas nas duas pontas de baixo do peitoral, na borda do lado de dentro do manto.
27 Faça ainda mais duas argolas de ouro e prenda-as nas pontas das duas alças do manto, em baixo, na frente dele, perto da costura e acima do cinto.
28 Com um cordão azul prenda as argolas do peitoral nas argolas do manto, para que o peitoral fique preso acima do cinto e não se solte.
29 – Quando entrar no Lugar Santo, Arão usará esse peitoral, gravado com os nomes das tribos do povo de Israel para que eu, o SENHOR, sempre lembre do meu povo.
30 Ponha o Urim e o Tumim no peitoral para que estejam em cima do coração de Arão quando ele estiver na minha presença. Nessas ocasiões Arão deverá usar o peitoral para que ele possa saber o que eu quero que o povo de Israel faça.
31 – A sobrepeliz, roupa que vai por cima do manto sacerdotal, será tecida inteiramente de fios de lã azul.
32 Nela haverá uma abertura para passar a cabeça. Essa abertura será rematada com uma tira de malha para que não se rasgue.
33 Em volta de toda a barra coloque aplicações em forma de romãs, feitas de fios de lã azul, púrpura e vermelha. Entre uma romã e outra ponha sininhos de ouro.
35 Arão deverá usar essa sobrepeliz quando estiver servindo como sacerdote, tanto quando estiver na minha presença no Lugar Santo como quando sair dele. Nessas ocasiões, o som dos sininhos será ouvido, e Arão não será morto.
36 – Faça também uma placa de ouro puro e grave nela a seguinte frase: “Separado para o SENHOR.”
37 Amarre essa placa na frente da mitra, com um cordão de lã azul.
38 Arão deverá usá-la na testa para que eu, o SENHOR, aceite todas as ofertas que os israelitas me trouxerem, e para que eles não sejam culpados se cometerem algum erro ao oferecê-las a mim.
39 – Você tecerá para o sacerdote uma túnica de linho fino, uma mitra de linho fino e um cinto bordado.
40 – Para os filhos de Arão faça túnicas, cintos e mitras a fim de lhes darem dignidade e beleza.
41 Com essas roupas vista o seu irmão Arão e os filhos dele. Depois consagre-os e dedique-os, derramando azeite na cabeça deles, para que me sirvam como sacerdotes.
42 Faça calções de linho para cobrir a nudez deles, calções que vão da cintura até as coxas.
43 Arão e os seus filhos deverão usá-los sempre que entrarem na Tenda da Minha Presença ou quando chegarem perto do altar para servirem como sacerdotes no Lugar Santo. Deste modo eles não se arriscarão a morrer por mostrarem a sua nudez. Arão e os seus descendentes obedecerão a essa ordem para sempre.


 

 

Êxodo – Capítulo 29

1 O SENHOR disse a Moisés: – A fim de separar Arão e os seus filhos como sacerdotes para o meu serviço, faça o seguinte: pegue um touro novo e dois carneiros sem defeito.
2 Pegue farinha de trigo e faça alguns pães com azeite e outros sem azeite, todos sem fermento. Faça também alguns pães achatados e passe azeite em cima.
3 Ponha tudo isso numa cesta e ofereça a mim quando você fizer o sacrifício do touro novo e dos dois carneiros.
4 – Traga Arão e os filhos dele para a entrada da Tenda da Minha Presença e mande que eles se lavem.
5 Depois vista Arão com as suas roupas de sacerdote, isto é, a túnica, o manto sacerdotal, a sobrepeliz, o peitoral e o cinto que passa pela cintura do manto.
6 Ponha nele a mitra e amarre nela a placa sagrada em que estão gravadas as palavras “Separado para o SENHOR”.
7 Em seguida ponha na cabeça dele o azeite de ungir.
8 – Traga os filhos de Arão e vista túnicas neles.
9 Ponha faixas em volta da sua cintura e mitra na sua cabeça. É assim que você consagrará Arão e os seus filhos. Ele e os seus descendentes deverão me servir para sempre como sacerdotes.
10 – Traga também o touro novo para a frente da Tenda da Minha Presença, e Arão e os seus filhos porão as mãos na cabeça dele.
11 Mate o touro ali na minha presença, na entrada da Tenda.
12 Depois pegue o sangue do touro e, com o dedo, ponha sobre as pontas do altar e derrame o resto na base do altar.
13 Em seguida queime no altar, como oferta para mim, as seguintes partes do animal: toda a gordura que cobre os miúdos, a melhor parte do fígado, os dois rins e a gordura que os cobre.
14 Mas queime fora do acampamento a carne do animal, o couro e as tripas. Essa é uma oferta para tirar os pecados dos sacerdotes.
15 – Depois pegue um dos carneiros, e Arão e os seus filhos porão as mãos na cabeça dele.
16 Mate o carneiro, pegue o sangue e com ele borrife os quatro lados do altar.
17 Corte o carneiro em pedaços, lave os miúdos e as pernas traseiras e ponha em cima da cabeça e dos outros pedaços.
18 Queime o carneiro inteiro em cima do altar como uma oferta de alimento. O cheiro dessa oferta me agrada.
19 – Depois pegue o outro carneiro, e Arão e os seus filhos porão as mãos na cabeça dele.
20 Mate esse carneiro e ponha uma parte do sangue dele na ponta da orelha direita de Arão e na ponta da orelha direita dos seus filhos. Também ponha o sangue sobre o dedo polegar da mão direita deles e sobre o dedão do pé direito; e com o resto do sangue borrife os quatro lados do altar.
21 Pegue um pouco do sangue que está no altar e o azeite de ungir e com eles borrife Arão, e as suas roupas, e os seus filhos, e as roupas deles. Então ele, os seus filhos e as roupas de todos eles estarão separados para mim.
22 Esse carneiro é oferecido para a ordenação dos sacerdotes. Retire a gordura desse carneiro, o rabo, a gordura que cobre os miúdos, a melhor parte do fígado, os dois rins com a gordura que os cobre e a coxa direita.
23 – Da cesta de pães sem fermento que foram oferecidos a mim, pegue um pão de cada tipo: um pão feito com azeite, outro pão sem azeite e um pão achatado.
24 Ponha esses pães nas mãos de Arão e dos filhos dele e faça com que eles os separem para mim como oferta especial.
25 Depois pegue os pães das suas mãos e queime em cima do altar, como alimento oferecido a mim. O cheiro dessa oferta me agrada.
26 Pegue o peito do carneiro e o separe para mim como oferta especial. Essa parte do animal ficará para você.
27 – Na cerimônia de ordenação de um sacerdote, o peito e a coxa do carneiro deverão ser separados para mim como oferta especial e deverão ser dados para os sacerdotes.
28 As ofertas de paz dos israelitas serão feitas assim, para sempre. O peito e a coxa do animal pertencem aos sacerdotes. Essa é a oferta do povo para mim, o SENHOR.
29 – Depois da morte do sacerdote Arão, as suas roupas passarão para os seus filhos, e eles as usarão quando forem ordenados.
30 O filho de Arão que ficar no lugar dele como sacerdote e que entrar na Tenda da Minha Presença para servir no Lugar Santo deverá usar essas roupas sete dias.
31 – A carne do carneiro usado na ordenação de Arão e dos seus filhos deverá ser cozida num lugar sagrado.
32 Na entrada da Tenda da Minha Presença eles deverão comer essa carne com o pão que ficar na cesta.
33 Quando eles forem ordenados, comerão o que foi oferecido como sacrifício para tirar os seus pecados. Somente os sacerdotes poderão comer esse alimento, pois ele é sagrado.
34 Por isso a carne ou o pão que não forem comidos naquele mesmo dia deverão ser queimados. Não deverão ser comidos, pois são sagrados.
35 – Conforme eu mandei, faça durante sete dias as cerimônias para ordenar Arão e os seus filhos.
36 Cada dia ofereça um touro novo como sacrifício para conseguir o perdão dos pecados de todos. Com um sacrifício para tirar pecados você purificará o altar e depois o ungirá a fim de torná-lo santo.
37 Faça isso todos os dias, durante sete dias. Então o altar ficará completamente santo, e qualquer pessoa ou coisa que tocar nele sofrerá por causa do poder da sua santidade.
38 – Todos os dias, e para sempre, sacrifique dois carneirinhos de um ano.
39 Sacrifique um deles de manhã e o outro à tarde.
40 Junto com o primeiro carneirinho ofereça um quilo de farinha de trigo misturada com um litro de azeite. E, como oferta, derrame um litro de vinho.
41 À tarde ofereça outro carneirinho e junto com ele a mesma quantidade de farinha, azeite e vinho, como de manhã. Essa é uma oferta de alimento trazida para mim, o SENHOR, e o seu cheiro me agrada.
42 E essa oferta a ser queimada deve ser oferecida para sempre na minha presença, na entrada da Tenda da Minha Presença. Ali eu me encontrarei com o meu povo e falarei com você.
43 Ali me encontrarei com o povo de Israel, e a minha glória fará com que esse lugar fique santo.
44 Eu farei com que a Tenda e o altar fiquem santos e separarei Arão e os seus filhos para me servirem como sacerdotes.
45 Morarei no meio do povo de Israel e serei o Deus deles.
46 Eles ficarão sabendo que eu, o SENHOR, sou o Deus que os tirou do Egito para morar entre eles. Eu sou o SENHOR, o Deus deles.


 

 

Êxodo – Capítulo 30

1 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Faça também um altar de madeira de acácia para queimar incenso em cima dele.
2 Esse altar será quadrado, medindo quarenta e cinco centímetros de comprimento por quarenta e cinco de largura; e terá noventa centímetros de altura. Nos quatro cantos haverá pontas, que formarão uma só peça com o altar.
3 A tampa, os quatro lados e as pontas deverão ser revestidos de ouro puro. E ponha um remate de ouro em volta do altar.
4 Ponha também duas argolas de ouro debaixo do remate, uma de cada lado. Por dentro dessas argolas passarão os cabos com que se carregará o altar.
5 Esses cabos deverão ser feitos de madeira de acácia e revestidos de ouro.
6 Ponha o altar em frente da cortina que ficará diante da arca da aliança. Ali eu me encontrarei com você.
7 De manhã, quando Arão for cuidar das lamparinas, ele deverá queimar incenso cheiroso.
8 Ao anoitecer, quando for acender as lamparinas, ele deverá fazer a mesma coisa. Essa oferta de incenso continuará para sempre, de geração em geração.
9 Nesse altar não ofereçam incenso comum, nem animais, nem cereais e não derramem ofertas de vinho sobre ele.
10 Uma vez por ano Arão fará uma cerimônia de purificação do altar, pondo nas suas quatro pontas o sangue do animal sacrificado para tirar os pecados do povo. Isso deverá ser feito para sempre, uma vez por ano. Esse altar deverá ser completamente santo, separado para mim, o SENHOR.
11 O SENHOR Deus disse a Moisés:
12 – Quando você fizer a contagem do povo, cada israelita me pagará uma certa quantia pela sua vida, para que não lhe aconteça nenhum desastre enquanto a contagem estiver sendo feita.
13 Cada pessoa que for contada deverá pagar a quantia de prata exigida, pesada de acordo com a tabela oficial. Esse pagamento é para mim, o SENHOR.
14 Quem for contado, isto é, cada homem de vinte anos para cima, pagará essa quantia.
15 Quando pagarem pela sua vida, o rico não precisará pagar mais do que a quantia exigida, nem o pobre pagará menos.
16 Você receberá do povo de Israel essa prata e a usará para o serviço da Tenda da Minha Presença. Esse imposto será o pagamento pela vida dos israelitas, e eu lembrarei de protegê-los.
17 O SENHOR Deus disse a Moisés:
18 – Faça uma pia de bronze com a base também de bronze. Coloque a pia entre a Tenda e o altar e ponha água dentro dela.
19 Arão e os seus filhos usarão essa água para lavar as mãos e os pés,
20 antes de entrarem na Tenda ou antes de chegarem perto do altar para apresentar a oferta de alimento. Assim eles não serão mortos.
21 Eles deverão lavar as mãos e os pés para que não morram. Essa é uma lei que deverá ser obedecida para sempre por eles e pelos seus descendentes.
22 O SENHOR Deus disse a Moisés:
23 – Escolha as especiarias mais cheirosas para fazer o azeite sagrado de ungir, seguindo a arte dos perfumistas. Em três litros e meio de azeite misture o seguinte: seis quilos de mirra líquida, três quilos de canela, três quilos de cana cheirosa e seis quilos de cássia, tudo pesado de acordo com a tabela oficial.
26 Use esse azeite para ungir a Tenda da Minha Presença, a arca da aliança,
27 a mesa e todo o seu equipamento, o candelabro e o seu equipamento, o altar de queimar incenso,
28 o altar de queimar ofertas, junto com todo o seu equipamento, e a pia com o seu suporte.
29 Assim você consagrará todas essas coisas, e elas ficarão completamente santas. E qualquer pessoa ou coisa que tocar nelas sofrerá por causa do poder da sua santidade.
30 Você ungirá também Arão e os filhos dele e os separará para me servirem como sacerdotes.
31 Diga ao povo de Israel o seguinte: “Esse azeite de ungir deverá ser usado para sempre no meu serviço religioso.
32 Não deverá ser usado no corpo de quem não for sacerdote. E vocês não deverão usar a fórmula desse azeite para qualquer outra mistura igual a essa. Esse azeite é sagrado e assim ele deverá ser tratado.
33 Qualquer pessoa que preparar um azeite igual a esse ou usá-lo em quem não for sacerdote deverá ser expulsa do meio do meu povo.”
34 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Faça o incenso sagrado conforme a arte dos perfumistas. Misture, em partes iguais, as seguintes especiarias cheirosas: benjoim, ônica, resina medicinal e incenso puro. E ponha sal a fim de conservá-lo puro e santo.
36 – Moa uma parte desse incenso até que vire um pó bem fino. Depois leve-o para dentro da Tenda da Minha Presença, onde eu me encontrarei com você, e coloque-o diante da arca da aliança. Considerem esse incenso como uma coisa muito sagrada.
37 Quando fizerem incenso para vocês mesmos, não usem a fórmula do incenso sagrado. Esse incenso é uma coisa sagrada, dedicada a mim.
38 Se alguém fizer incenso igual a esse para usá-lo como perfume, deverá ser expulso do meio do meu povo.



Êxodo – Capítulo 31

1 O SENHOR Deus disse a Moisés:
2 – Eu escolhi Bezalel, filho de Uri e neto de Hur, da tribo de Judá,
3 e o enchi com o meu Espírito. Eu lhe dei inteligência, competência e habilidade para fazer todo tipo de trabalho artístico;
4 para fazer desenhos e trabalhar em ouro, prata e bronze;
5 para lapidar e montar pedras preciosas; para entalhar madeira; e para fazer todo tipo de artesanato.
6 Escolhi Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, para trabalhar com ele. Dei também capacidade a todos os homens habilidosos para fazerem todas as seguintes coisas que eu mandei:
7 a Tenda da Minha Presença, a arca da aliança e a sua tampa, todos os objetos da Tenda,
8 a mesa com as suas vasilhas, o candelabro de ouro puro com todo o seu equipamento, o altar de queimar incenso,
9 o altar de queimar as ofertas, junto com todo o seu equipamento, a pia com o seu suporte,
10 as roupas de tecido fino, as roupas sagradas que os sacerdotes Arão e os seus filhos usarão quando servirem como sacerdotes,
11 o azeite de ungir e o incenso cheiroso para o Lugar Santo. Todas essas coisas deverão ser feitas exatamente como eu ordenei.
12 O SENHOR Deus mandou que Moisés
13 dissesse ao povo de Israel o seguinte: – Guardem o sábado, o meu dia de descanso, pois é um sinal de união entre mim e vocês para sempre, a fim de mostrar que eu, o SENHOR, os separei para serem o meu próprio povo.
14 Portanto, guardem o dia de descanso porque ele é sagrado para vocês. Quem não o guardar, mas trabalhar nesse dia, deverá ser morto.
15 Vocês têm seis dias para trabalhar, porém o sétimo dia é o dia solene de descanso, separado para mim. Quem fizer qualquer serviço nesse dia deverá ser morto.
16 O povo de Israel deverá guardar esse dia como um sinal da aliança.
17 É um sinal de união para sempre entre mim e o povo de Israel porque eu, o SENHOR, fiz o céu e a terra em seis dias e no sétimo dia parei de trabalhar e descansei.
18 Quando Deus acabou de falar com Moisés no monte Sinai, entregou a ele as duas placas de pedra onde o próprio Deus havia escrito os mandamentos.




Êxodo – Capítulo 32
1 O povo viu que Moisés estava demorando muito para descer do monte. Então eles se reuniram em volta de Arão e lhe disseram: – Não sabemos o que aconteceu com Moisés, aquele homem que nos tirou do Egito. Portanto, faça para nós deuses que vão à nossa frente.
2 Arão lhes disse: – Tirem os brincos de ouro que as suas mulheres, os seus filhos e as suas filhas estão usando e tragam para mim.
3 Então os israelitas tiraram das orelhas os brincos de ouro e os trouxeram a Arão.
4 Ele pegou os brincos, derreteu-os, derramou o ouro dentro de um molde e fez um bezerro de ouro. Então disseram: – Povo de Israel, estes são os nossos deuses, que nos tiraram do Egito!
5 Arão construiu um altar diante do bezerro de ouro e anunciou ao povo: – Amanhã haverá uma festa em honra de Deus, o SENHOR.
6 No dia seguinte, de manhã cedo, eles trouxeram alguns animais para serem queimados como sacrifício e outros para serem comidos como ofertas de paz. Depois o povo sentou-se para comer e beber e se levantou para se divertir.
7 Então o SENHOR Deus disse a Moisés: – Desça depressa porque o seu povo, o povo que você tirou do Egito, pecou e me rejeitou.
8 Eles já deixaram o caminho que eu mandei que seguissem; fizeram um bezerro de ouro fundido, e o adoraram, e lhe ofereceram sacrifícios. Estão dizendo que estes são os deuses deles, os deuses que os tiraram do Egito.
9 Eu conheço este povo e sei que é muito teimoso.
10 Agora não tente me impedir, pois vou descarregar a minha ira sobre esta gente e vou acabar com eles. Depois farei de você e dos seus descendentes uma grande nação.
11 Porém Moisés fez um pedido ao SENHOR, seu Deus. Ele disse: – Ó SENHOR, por que ficaste assim tão irado com o teu povo, que tiraste do Egito com grande poder e força?
12 Por que deixar que os egípcios venham a dizer que tiraste o teu povo do Egito para matá-lo nos montes e destruí-lo completamente? Não fiques assim irado; muda de idéia e não faças cair sobre o teu povo essa desgraça.
13 Lembra dos teus servos Abraão, Isaque e Jacó. Lembra do juramento que fizeste de lhes dar tantos descendentes quantas estrelas há no céu. Lembra também que prometeste que darias aos seus descendentes toda aquela terra para ser propriedade deles para sempre.
14 Então o SENHOR Deus mudou de idéia e não fez cair sobre o seu povo a desgraça que havia prometido.
15 Moisés desceu do monte, carregando as duas placas de pedra com os mandamentos escritos nos dois lados de cada pedra.
16 O próprio Deus havia feito as placas e tinha gravado nelas os mandamentos.
17 Josué ouviu o povo gritando e disse a Moisés: – Estou ouvindo um barulho de guerra no acampamento.
18 Moisés disse: – Não parece um barulho de vitória, nem um grito de derrota; o que estou ouvindo é gente cantando.
19 Quando Moisés chegou perto do acampamento, viu o bezerro de ouro e o povo, que estava dançando, e ficou furioso. Ali, ao pé do monte, ele jogou no chão as placas de pedra que estava carregando e quebrou-as.
20 Então pegou o bezerro de ouro que eles haviam feito, queimou-o no fogo e o moeu até virar pó e espalhou o pó na água. Em seguida mandou que o povo de Israel bebesse daquela água.
21 E Moisés disse a Arão: – O que é que esta gente lhe fez, para que você a levasse a cometer esse pecado tão horrível?
22 Arão respondeu: – Não fique com raiva de mim. Você sabe como este povo está sempre pronto para fazer o mal.
23 Eles me disseram: “Não sabemos o que aconteceu com Moisés, aquele homem que nos tirou do Egito. Portanto, faça para nós deuses que sejam os nossos líderes.”
24 Aí eu mandei que quem tivesse enfeites de ouro os tirasse e me desse. Joguei aqueles enfeites no fogo, e saiu este bezerro!
25 Moisés viu que Arão havia deixado o povo completamente sem controle, fazendo assim que os seus inimigos zombassem deles.
26 Então ficou na entrada do acampamento e disse: – Quem estiver do lado de Deus, o SENHOR, que chegue até aqui! Então todos os levitas se reuniram em volta de Moisés,
27 e ele disse: – O SENHOR, o Deus do povo de Israel, manda que cada um de vocês pegue a sua espada e vá pelo acampamento, de ponta a ponta, matando os seus parentes, os seus amigos e os seus vizinhos.
28 Os levitas obedeceram à ordem de Moisés e mataram naquele dia mais ou menos três mil homens.
29 Moisés disse aos levitas: – Hoje vocês mataram os seus filhos e os seus irmãos e assim se consagraram como sacerdotes para o serviço de Deus, o SENHOR. E, porque vocês fizeram isso, Deus lhes deu hoje uma bênção.
30 No dia seguinte Moisés disse ao povo: – Vocês cometeram um pecado horrível. Porém agora vou subir outra vez o monte para falar com o SENHOR. Talvez eu consiga que ele perdoe o pecado de vocês.
31 Moisés voltou para o lugar onde o SENHOR estava e disse: – Este povo cometeu um pecado terrível. Eles fizeram um deus de ouro e o adoraram.
32 Por favor, perdoa o pecado deles! Porém, se não quiseres perdoar, então tira o meu nome do teu livro, onde escreveste os nomes dos que são teus.
33 Então o SENHOR disse a Moisés: – Riscarei do meu livro todos os que pecaram contra mim.
34 Agora vá e leve o povo para o lugar que eu mandei. Lembre que o meu Anjo guiará você. Porém já está chegando o tempo em que vou castigar este povo pelo seu pecado.
35 Por isso o SENHOR Deus castigou os israelitas com uma doença, pois eles haviam obrigado Arão a fazer o bezerro de ouro.


 

 

Êxodo – Capítulo 33

1 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Saiam deste lugar, você e o povo que você tirou do Egito, e vão para a terra que eu jurei dar a Abraão, a Isaque, a Jacó e aos seus descendentes.
2 Eu mandarei um anjo para guiar você e expulsarei os cananeus, os amorreus, os heteus, os perizeus, os heveus e os jebuseus.
3 Vocês irão para uma terra boa e rica. Porém eu não irei, pois vocês são um povo teimoso, e eu os poderia destruir no caminho.
4 Quando Moisés deu essa mensagem aos israelitas, eles começaram a chorar, e ninguém usou as suas jóias.
5 Então o SENHOR mandou que Moisés dissesse a eles: – Vocês são um povo teimoso. Se eu fosse junto com vocês, mesmo que fosse por apenas um momento, eu os destruiria completamente. Agora tirem as suas jóias, e eu vou resolver o que fazer com vocês.
6 Assim, depois que os israelitas saíram do monte Sinai, não usaram mais jóias.
7 Sempre que o povo de Israel acampava, Moisés costumava armar a Tenda Sagrada a certa distância fora do acampamento. Ela era chamada de “Tenda da Presença de Deus”, e quem quisesse consultar o SENHOR ia até lá.
8 Quando Moisés saía para ir à Tenda, o povo ficava na porta das suas barracas olhando Moisés até que ele entrasse.
9 Depois que ele entrava, uma coluna de nuvem descia e parava na porta da Tenda; e da nuvem o SENHOR falava com Moisés.
10 Logo que o povo via a coluna de nuvem na porta da Tenda, todos se ajoelhavam.
11 O SENHOR Deus falava com Moisés face a face, como alguém que conversa com um amigo. Depois Moisés voltava para o acampamento. Porém Josué, filho de Num, o moço que era o auxiliar de Moisés, ficava na Tenda.
12 Moisés disse a Deus, o SENHOR: – É verdade que me mandaste guiar este povo para aquela terra, porém não me disseste quem é que irá comigo. Disseste que me conheces bem e que estás contente comigo.
13 Agora, se isso é assim mesmo, fala-me dos teus planos para que eu possa te servir e continuar a te agradar. Lembra que escolheste esta nação para ser tua.
14 Deus disse: – Eu irei com você e lhe darei a vitória.
15 Então Moisés respondeu: – Se não fores com o teu povo, não nos faças sair deste lugar.
16 Como é que os outros povos poderão saber que estás contente com o teu povo e comigo, se não fores conosco? A tua presença é que mostrará que somos diferentes dos outros povos da terra.
17 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Vou atender o seu pedido porque conheço você bem, e você conseguiu a minha aprovação.
18 Aí Moisés suplicou: – Por favor, deixa que eu veja a tua glória.
19 Deus respondeu: – Eu farei com que todo o meu brilho passe diante de você e direi qual é o meu nome sagrado. Eu sou o SENHOR e terei compaixão de quem eu quiser e terei misericórdia de quem eu desejar.
20 E disse ainda: – Não vou deixar que você veja o meu rosto, pois ninguém pode ver o meu rosto e continuar vivo.
21 Mas aqui há um lugar perto de mim, onde você poderá ficar em cima de uma rocha.
22 Quando a minha glória passar, eu porei você numa rachadura da rocha e o cobrirei com a minha mão até que eu passe.
23 Depois tirarei a mão, e você me verá pelas costas, porém não verá o meu rosto.




Êxodo – Capítulo 34

1 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Corte duas placas de pedra iguais àquelas que você quebrou, e eu escreverei nelas as mesmas palavras que estavam nas primeiras.
2 Amanhã cedo esteja pronto para subir o monte Sinai a fim de se encontrar comigo ali no alto do monte.
3 Ninguém deverá subir com você; ninguém deverá estar em qualquer parte do monte. As ovelhas, as cabras e o gado não deverão ficar pastando perto do monte.
4 Então Moisés cortou outras duas placas de pedra, iguais às primeiras, e, no dia seguinte, como o SENHOR havia ordenado, ele se levantou bem cedo e subiu o monte Sinai, levando consigo as duas placas.
5 O SENHOR desceu numa nuvem, ficou ali com Moisés e disse qual era o seu nome, isto é, o SENHOR.
6 Então Deus passou diante de Moisés e disse em voz alta: – Eu sou o SENHOR, o Deus Eterno! Eu tenho compaixão e misericórdia, não fico irado com facilidade, e a minha fidelidade e o meu amor são tão grandes, que não podem ser medidos.
7 Cumpro a minha promessa a milhares de gerações e perdôo o mal e o pecado. Porém não deixo de castigar os seus filhos e até os netos, os bisnetos e os trinetos pelos pecados dos pais.
8 Moisés se ajoelhou, encostou o rosto no chão e adorou a Deus.
9 Ele disse: – Ó Senhor, se estás, de fato, contente comigo, eu te peço que vás conosco. Este povo é teimoso, mas perdoa o nosso pecado e a nossa maldade e aceita-nos como o teu povo.
10 O SENHOR Deus disse a Moisés: – Eu estou fazendo agora uma aliança com o seu povo. Na presença deles farei maravilhas como nunca foram feitas em toda a terra e em nenhuma nação. Todo o povo verá que milagres eu, o SENHOR, posso fazer, pois vou realizar uma coisa terrível em favor de vocês.
11 Obedeçam às leis que estou dando a vocês hoje. Conforme vocês forem avançando, eu expulsarei os amorreus, os cananeus, os heteus, os perizeus, os heveus e os jebuseus.
12 Não façam nenhum acordo com os moradores da terra para onde vocês vão, pois isso poderia ser uma armadilha mortal para vocês.
13 Pelo contrário, derrubem os altares deles, destruam as colunas do deus Baal e cortem os postes-ídolos.
14 – Não adorem nenhum outro deus, pois eu, o SENHOR, me chamo Deus Exigente e exijo que vocês adorem somente a mim.
15 Não façam acordos com os moradores da terra que vai ser de vocês. Nos seus cultos eles adoram deuses pagãos e lhes oferecem sacrifícios. Eles vão convidar vocês para as suas reuniões religiosas, e vocês poderão ficar tentados a comer os alimentos que eles oferecem aos seus deuses.
16 Os filhos de vocês poderiam casar com mulheres estrangeiras, e elas fariam com que vocês fossem infiéis a mim e adorassem os deuses pagãos que elas adoram.
17 – Não façam deuses de metal, nem os adorem.
18 – Comemorem a Festa dos Pães sem Fermento. Como lhes ordenei, comam pão sem fermento durante sete dias no mês de abibe, que é o tempo certo, pois foi nesse mês que vocês saíram do Egito.
19 – Todo primeiro filho é meu e também o primeiro filhote macho dos animais domésticos.
20 Mas, se vocês quiserem ficar com o primeiro filhote macho de uma jumenta, ofereçam-me um carneiro; se não quiserem, quebrem o pescoço do jumentinho. Para ficarem com todo primeiro filho de vocês, paguem o preço determinado. – Ninguém deverá aparecer diante de mim sem trazer uma oferta.
21 – Vocês têm seis dias para trabalhar, porém não trabalhem no sétimo dia, nem mesmo no tempo de arar ou de fazer a colheita.
22 – Comemorem a Festa da Colheita quando começarem a fazer a primeira colheita do trigo. E comemorem a Festa das Barracas no outono, quando vocês colherem as suas frutas.
23 – Três vezes por ano todos os homens israelitas deverão ir adorar a mim, o SENHOR, o Deus do povo de Israel.
24 Eu vou expulsar as outras nações que estão diante de vocês e assim aumentarei o seu território; então ninguém tentará conquistar a terra de vocês durante as três festas, quando vocês vierem me adorar.
25 – Quando me oferecerem um animal em sacrifício, não tragam pão feito com fermento, nem guardem para o dia seguinte o que sobrar do animal oferecido na Festa da Páscoa.
26 – Todos os anos levem à casa do SENHOR, seu Deus, os primeiros cereais que vocês colherem. – Não cozinhem um cabrito ou um carneirinho no leite da sua própria mãe.
27 O SENHOR Deus disse ainda a Moisés: – Escreva essas palavras porque é com base nelas que estou fazendo uma aliança com você e com o povo de Israel.
28 Moisés ficou ali com Deus, o SENHOR, quarenta dias e quarenta noites e durante esse tempo não comeu nem bebeu nada. Ele escreveu nas placas de pedra as palavras da aliança, isto é, os dez mandamentos.
29 Quando Moisés desceu do monte Sinai, carregando as duas placas da aliança, o seu rosto estava brilhando, pois ele havia falado com Deus. Mas ele não sabia disso.
30 Arão e todo o povo ficaram com medo de chegar perto de Moisés quando viram o seu rosto brilhando.
31 Porém Moisés os chamou, e Arão e todos os líderes do povo chegaram perto dele, e ele falou com todos.
32 Depois disso todo o povo de Israel se reuniu em volta de Moisés, e ele lhes entregou todas as leis que o SENHOR Deus lhe tinha dado no monte Sinai.
33 Quando Moisés acabou de falar com eles, ele cobriu o rosto com um véu.
34 Sempre que entrava na Tenda Sagrada para falar com o SENHOR, Moisés tirava o véu. Quando saía, ele contava ao povo de Israel tudo o que Deus lhe havia mandado dizer,
35 e o povo via que o seu rosto continuava brilhando. Porém Moisés cobria de novo o rosto com o véu até que entrava de novo na Tenda para falar com Deus.




Êxodo – Capítulo 35

1 Moisés reuniu todo o povo de Israel e lhe disse: – É isto o que o SENHOR mandou vocês fazerem:
2 vocês têm seis dias para trabalhar, porém o sétimo dia deve ser sagrado, um dia solene dedicado ao SENHOR. Qualquer pessoa que fizer algum trabalho nesse dia deverá ser morta.
3 No sábado, nem mesmo acendam fogo nas suas casas.
4 Moisés disse a todo o povo de Israel: – É isto o que o SENHOR ordenou:
5 façam uma oferta ao SENHOR. Quem quiser fazer isso deverá trazer uma oferta de ouro, prata ou bronze;
6 fios de lã azul, púrpura e vermelha; linho fino; tecido feito de pêlos de cabra;
7 peles de carneiro tingidas de vermelho e peles finas; madeira de acácia;
8 azeite para lamparinas; especiarias para a preparação do azeite de ungir e para o incenso de cheiro agradável;
9 pedras de ônix e outras pedras de valor para serem colocadas no manto sacerdotal e no peitoral do Grande Sacerdote.
10 – Todos os homens habilidosos deverão vir e fazer tudo o que o SENHOR mandou,
11 isto é, a Tenda, as suas coberturas (a de dentro e a de fora), os prendedores, as armações, as travessas, os postes e as bases;
12 a arca da aliança, os seus cabos de madeira, a sua tampa e a cortina para separar o Lugar Santíssimo do Lugar Santo;
13 a mesa, os seus cabos e todo o seu equipamento; os pães oferecidos a Deus;
14 o candelabro e o seu equipamento; as lamparinas com o seu azeite;
15 o altar de queimar incenso e os seus cabos; o azeite de ungir; o incenso cheiroso; a cortina para a entrada da Tenda;
16 o altar de queimar as ofertas e a sua grelha de bronze; os cabos e o resto do equipamento do altar; a pia com o seu suporte;
17 a cortina do pátio, os seus postes e as suas bases; a cortina da entrada do pátio;
18 as estacas e as cordas da Tenda, e as estacas e as cordas do pátio;
19 e as roupas que os sacerdotes usarão quando servirem no Lugar Santo, isto é, as roupas sagradas de Arão e dos seus filhos.
20 Então o povo de Israel foi para casa,
21 e todos os que, de fato, queriam voltaram trazendo uma oferta para o SENHOR, a fim de que a Tenda da Presença de Deus, o SENHOR, fosse construída. Eles trouxeram tudo o que era necessário para a adoração e para fazer as roupas dos sacerdotes.
22 Vieram homens e mulheres, todos com muita boa vontade, e trouxeram fivelas, brincos, anéis, pulseiras e todo tipo de objetos de ouro. E essas ofertas foram dedicadas ao SENHOR.
23 E também trouxeram como oferta linho fino, fios de lã azul, púrpura e vermelha, tecido feito de pêlos de cabra, peles de carneiro tingidas de vermelho e peles finas.
24 Todos os que podiam dar trouxeram prata e bronze como oferta ao SENHOR, e também os que tinham madeira de acácia que podia ser usada para qualquer trabalho.
25 Todas as mulheres habilidosas trouxeram o que haviam feito: fios de linho fino e fios de lã azul, púrpura e vermelha.
26 Elas também fizeram tecidos de pêlos de cabra.
27 Os líderes trouxeram pedras de ônix e outras pedras de valor para serem colocadas no manto sacerdotal e no peitoral do Grande Sacerdote.
28 E trouxeram também especiarias e o azeite para as lamparinas, para ungir e para o incenso cheiroso.
29 Todos os israelitas trouxeram de muita boa vontade as suas ofertas a Deus, o SENHOR, para o trabalho que ele, por meio de Moisés, havia ordenado que fosse feito.
30 Moisés disse ao povo de Israel: – O SENHOR Deus escolheu Bezalel, filho de Uri e neto de Hur, da tribo de Judá.
31 Deus o encheu com o seu Espírito e lhe deu inteligência, competência e habilidade para fazer todo tipo de trabalho artístico;
32 para fazer desenhos e trabalhar em ouro, prata e bronze;
33 para lapidar e montar pedras preciosas; para entalhar madeira; e para fazer todo tipo de artesanato.
34 O SENHOR deu a Bezalel e a Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, o dom de ensinar os outros.
35 Ele lhes deu habilidade para fazerem todos os trabalhos de gravador e de desenhista, para tecerem linho fino e fios de lã azul, púrpura e vermelha e para fazerem outros tecidos. Eles têm habilidade para todo tipo de trabalho e para fazer desenhos.



 

Êxodo – Capítulo 36

1 – Bezalel, Aoliabe e todos os outros homens a quem o SENHOR deu habilidade e inteligência e que conhecem tudo o que é preciso para construir a Tenda Sagrada, deverão fazer tudo como o SENHOR ordenou.
2 Moisés chamou Bezalel, Aoliabe e todos os outros homens a quem o SENHOR tinha dado habilidade e que tinham boa vontade para ajudar, e disse-lhes que começassem a trabalhar.
3 Eles receberam de Moisés as ofertas que os israelitas haviam trazido para construir a Tenda Sagrada. E todas as manhãs o povo de Israel continuava a trazer a Moisés as suas ofertas.
4 Então os artesãos que estavam fazendo o trabalho
5 foram falar com Moisés. Eles disseram o seguinte: – O povo está trazendo muito mais do que é necessário para o trabalho que o SENHOR mandou fazer.
6 Então Moisés ordenou que em todo o acampamento ninguém mais trouxesse ofertas para a Tenda Sagrada. E assim o povo não trouxe mais nada.
7 Pois o material que tinham ajuntado era suficiente para todo o trabalho que devia ser feito e ainda sobrava.
8 E assim os homens mais habilidosos entre os trabalhadores fizeram a Tenda da Presença do SENHOR. Eles a fizeram com dez cortinas de tecido feito de linho fino e de fios de lã azul, púrpura e vermelha. Nessas cortinas estavam bordadas figuras de querubins.
9 Todas as cortinas eram do mesmo tamanho, medindo doze metros e meio de comprimento por um metro e oitenta de largura.
10 Eles costuraram cinco delas umas nas outras, formando assim uma só peça; e fizeram a mesma coisa com as outras cinco.
11 Foram colocadas laçadas de tecido azul na beirada de fora da última cortina de cada uma das duas peças de cortinas.
12 Puseram cinqüenta laçadas na beirada da primeira cortina da primeira peça e cinqüenta na beirada da última cortina da segunda peça, de modo que as laçadas ficaram de frente umas para as outras.
13 Os dois jogos de cortinas foram presos um no outro por meio de cinqüenta prendedores de ouro, de modo que formavam uma só peça.
14 De onze pedaços de pano feito de pêlos de cabra fizeram uma cobertura para a Tenda.
15 E fizeram todos os pedaços do mesmo tamanho, isto é, todos tinham treze metros e trinta de comprimento por um metro e oitenta de largura.
16 Costuraram cinco pedaços uns nos outros, formando uma peça, e os outros seis, formando outra peça.
17 Foram colocadas cinqüenta laçadas na beirada do último pedaço da primeira peça e cinqüenta laçadas na beirada da outra peça.
18 Depois fizeram cinqüenta prendedores de bronze para prenderem as duas peças uma na outra a fim de que formassem uma cobertura só.
19 Fizeram mais uma cobertura, de peles de carneiro tingidas de vermelho; e em cima desta colocaram outra cobertura, feita de peles finas.
20 Prepararam também armações de madeira de acácia a fim de formarem as paredes da Tenda.
21 Cada uma das armações media quatro metros e quarenta e cinco de altura por sessenta e sete centímetros de largura.
22 Em cada armação havia dois encaixes para juntarem uma à outra. Todas as armações tinham esses encaixes.
23 Fizeram vinte armações para o lado sul
24 e debaixo dessas vinte armações puseram quarenta bases de prata, duas debaixo de cada armação, para firmarem os seus dois encaixes.
25 E para o lado norte da Tenda fizeram vinte armações
26 e quarenta bases de prata, duas para cada armação.
27 Para o lado de trás da Tenda, o lado oeste, fizeram seis armações
28 e mais duas armações para os cantos.
29 Essas armações dos cantos foram juntadas na base, formando uma só peça até a primeira argola que ficava na parte de cima. As duas armações que formavam os dois cantos foram colocadas desse jeito.
30 Assim, havia oito armações e dezesseis bases de prata, duas para cada armação.
31 Em seguida prepararam quinze travessas de madeira de acácia; cinco para as armações de um lado da Tenda,
32 cinco para as armações do outro lado e cinco para as armações do lado oeste, na parte de trás.
33 A travessa do centro passava a meia altura entre as armações, de um lado da Tenda até o outro.
34 Revestiram de ouro essas armações e puseram nelas argolas de ouro, por onde passavam os cabos, que também foram revestidos de ouro.
35 Fizeram também uma cortina de tecido feito de linho fino e de fios de lã azul, púrpura e vermelha e bordada com figuras de querubins.
36 Para segurarem essa cortina, foram feitos quatro postes de madeira de acácia revestidos de ouro; os prendedores das cortinas eram de ouro, e as quatro bases dos seus postes eram de prata.
37 Para a entrada da Tenda foi feita uma cortina de tecido feito de linho fino e de fios de lã azul, púrpura e vermelha e enfeitada com bordados.
38 Para segurarem essa cortina, foram feitos cinco postes, com prendedores, e revestiram de ouro a parte de cima dos postes e os suportes das cortinas. E foram feitas cinco bases de bronze para os postes.



 

Êxodo – Capítulo 37

1 Bezalel fez a arca da aliança de madeira de acácia; a arca media um metro e dez de comprimento por sessenta e seis centímetros de largura e sessenta e seis de altura.
2 Ele a revestiu de ouro puro por dentro e por fora e pôs em toda a volta um remate de ouro.
3 Fez quatro argolas de ouro e as colocou nos quatro pés da arca, ficando duas argolas de cada lado.
4 Ele fez cabos de madeira de acácia e os revestiu de ouro.
5 Depois enfiou os cabos nas argolas nos dois lados da arca, para que pudesse ser carregada.
6 Bezalel fez uma tampa de ouro puro de um metro e dez de comprimento por sessenta e seis centímetros de largura.
7 Ele fez dois querubins de ouro batido,
8 um para cada ponta da tampa. Ele os fez de tal modo, que formavam uma só peça com a tampa.
9 Os querubins ficavam de frente um para o outro, olhando para a tampa, e as suas asas abertas cobriam a tampa.
10 Bezalel fez uma mesa de madeira de acácia, com as seguintes medidas: oitenta e oito centímetros de comprimento por quarenta e quatro de largura e sessenta e seis de altura.
11 Ele revestiu de ouro puro a mesa e colocou um remate de ouro em volta dela.
12 Também fez em volta da mesa um friso de quatro dedos de largura e pôs um remate de ouro em volta do friso.
13 Fez quatro argolas de ouro e as pôs nos quatro cantos, perto dos quatro pés.
14 Perto do friso estavam as argolas por onde passavam os cabos que eram usados para se carregar a mesa.
15 Ele fez os cabos de madeira de acácia e os revestiu de ouro.
16 Fez também de ouro puro as vasilhas para a mesa, isto é, os pratos, os copos, as taças e as jarras que eram usados para as ofertas de vinho.
17 Bezalel fez de ouro puro batido o candelabro, a sua base e a sua haste. As flores que enfeitavam o candelabro, com os seus botões e as suas pétalas, formavam uma só peça com ele.
18 Dos seus lados saíam seis braços, três de um lado e três do outro.
19 Cada um dos seis braços tinha três flores com o formato de flor de amendoeira, com os seus botões e as suas pétalas.
20 A haste do candelabro tinha quatro flores com o formato de flor de amendoeira, com os seus botões e as suas pétalas.
21 Havia um botão de amendoeira debaixo de cada um dos três pares de braços.
22 Os botões, os braços e o candelabro formavam uma só peça de ouro puro batido.
23 Bezalel também fez sete lamparinas para o candelabro; as tesouras de cortar os pavios das lamparinas e os cinzeiros eram de ouro puro.
24 Ele usou trinta e quatro quilos de ouro puro para fazer o candelabro e todas as peças que o acompanhavam.
25 Bezalel fez um altar de madeira de acácia para queimar incenso em cima dele. O altar era quadrado, medindo quarenta e cinco centímetros de comprimento por quarenta e cinco de largura; e tinha noventa centímetros de altura. As pontas, nos quatro cantos, formavam uma só peça com o altar.
26 Bezalel revestiu de ouro puro a tampa, os quatro lados e as pontas e colocou um remate de ouro em volta do altar.
27 Também fez duas argolas de ouro e as colocou debaixo do remate, uma de cada lado. Por dentro das argolas passavam os cabos que eram usados para carregar o altar.
28 Os cabos foram feitos de madeira de acácia e revestidos de ouro.
29 Bezalel preparou o azeite sagrado de ungir e o incenso puro de cheiro agradável, misturado como perfume.



 

Êxodo – Capítulo 38

1 Para os sacrifícios que eram completamente queimados, Bezalel fez um altar de madeira de acácia. O tampo do altar era quadrado, medindo dois metros e vinte de comprimento por dois metros e vinte de largura; e o altar media um metro e trinta de altura.
2 Bezalel fez quatro pontas para os quatro cantos do altar. Essas quatro pontas formavam uma só peça com o altar. E ele o revestiu todo de bronze.
3 Fez também todas as peças para serem usadas no altar, isto é, as vasilhas, as pás, as bacias, os garfos e os braseiros. Todas essas peças foram feitas de bronze.
4 Ele fez uma grelha de bronze em forma de rede e a colocou debaixo da beirada do altar, de modo que a grelha chegava até a metade da altura do altar.
5 Fez quatro argolas para os quatro cantos da grelha, para enfiar nelas os cabos.
6 Os cabos foram feitos de madeira de acácia e revestidos de bronze.
7 Depois Bezalel enfiou os cabos nas argolas nos dois lados do altar. O altar foi feito de madeira e era oco.
8 Com os espelhos de bronze das mulheres que faziam serviços na entrada da Tenda da Presença de Deus, Bezalel fez a pia e a sua base.
9 Para a Tenda da Presença de Deus, Bezalel fez um pátio cercado de cortinas de linho fino. No lado sul as cortinas tinham quarenta e quatro metros de comprimento.
10 Elas eram sustentadas por vinte postes de bronze com bases também de bronze. Os ganchos dos postes e os suportes das cortinas eram de prata.
11 Bezalel fez a mesma coisa no lado norte do pátio.
12 O pátio tinha vinte e dois metros de largura; portanto, nos lados oeste e leste as cortinas tinham vinte e dois metros de comprimento. Para sustentarem as cortinas, havia dez postes e dez bases; os ganchos e os suportes eram de prata. A entrada do pátio ficava no lado leste.
14 De cada lado da entrada havia cortinas de seis metros e sessenta de comprimento, com três postes e três bases para sustentarem as cortinas.
16 Todas as cortinas que ficavam em volta do pátio eram de linho fino.
17 As bases das colunas eram de bronze, e os ganchos, os suportes e a parte de cima dos postes eram de prata. E todos os postes em volta do pátio eram unidos por suportes de prata.
18 A cortina da entrada do pátio era de tecido feito de linho fino e de fios de lã azul, púrpura e vermelha, enfeitada com bordados. O comprimento dessa cortina era de oito metros e oitenta, e a altura, de dois metros e vinte, como as cortinas do pátio.
19 Ela era sustentada por quatro postes com bases de bronze. Os ganchos, a parte de cima dos postes e os suportes eram de prata.
20 Todas as estacas da Tenda e do pátio eram de bronze.
21 A seguir vem a lista da quantidade dos metais usados na Tenda da Presença de Deus, onde estavam guardadas as duas placas de pedra, com os dez mandamentos. Moisés mandou fazer a lista, e ela foi preparada pelos levitas dirigidos por Itamar, filho do sacerdote Arão.
22 Bezalel, filho de Uri e neto de Hur, da tribo de Judá, fez tudo o que o SENHOR havia ordenado a Moisés.
23 O seu ajudante foi Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã. Aoliabe era gravador, desenhista e tecia linho fino e fios de lã azul, púrpura e vermelha.
24 Todo o ouro que havia sido oferecido ao SENHOR para a Tenda Sagrada pesava mil quilos, de acordo com a tabela oficial.
25 A prata da contagem do povo pesava três mil quatrocentos e trinta quilos, de acordo com a tabela oficial.
26 Essa quantia foi igual ao total pago por todos os homens alistados na contagem do povo; e cada homem pagava a importância exigida, pesada de acordo com a tabela oficial. Foram alistados na contagem seiscentos e três mil quinhentos e cinqüenta homens de vinte anos para cima.
27 Foram usados três mil e quatrocentos quilos de prata para fazer as cem bases da Tenda Sagrada e da cortina, isto é, trinta e quatro quilos para cada base.
28 Com os trinta quilos de prata que sobraram, Bezalel fez os cabos, os ganchos para os postes e a parte de cima dos postes.
29 O bronze que foi oferecido a Deus dava um total de dois mil quatrocentos e vinte e cinco quilos.
30 Com isso Bezalel fez as bases para a entrada da Tenda da Presença de Deus; o altar de bronze com a sua grelha, também de bronze; todos os objetos para o altar,
31 para as bases que ficavam em volta do pátio e para a entrada do pátio; e todas as estacas para a Tenda e para o pátio que ficava em volta da Tenda.




Êxodo – Capítulo 39

1 Com fios de lã azul, púrpura e vermelha foram feitas as roupas sagradas que os sacerdotes deveriam usar quando servissem no Lugar Santo. As roupas de sacerdote para Arão foram feitas como o SENHOR havia ordenado a Moisés.
2 Fizeram o manto sacerdotal de fios de lã azul, púrpura e vermelha, de linho fino e de fios de ouro.
3 Fizeram lâminas finas de ouro batido, que foram cortadas em fios para serem tecidos com o linho fino e com os fios de lã azul, púrpura e vermelha.
4 Fizeram duas alças para o manto, as quais foram presas nos seus dois lados.
5 O cinto, que passava pela cintura do manto, formava uma só peça com ele e era feito dos mesmos materiais, como o SENHOR havia ordenado a Moisés.
6 As pedras de ágata foram preparadas e montadas em engastes de ouro. E, com muita habilidade, gravaram nas pedras os nomes dos filhos de Jacó.
7 Colocaram essas pedras nas alças do manto sacerdotal para representarem as doze tribos do povo de Israel, como o SENHOR havia ordenado a Moisés.
8 O peitoral foi feito como o manto sacerdotal. Eles o fizeram de fios de lã azul, púrpura e vermelha e de linho fino enfeitado com bordados.
9 O peitoral era quadrado e dobrado em dois. Media um palmo de comprimento por um palmo de largura.
10 Nele foram colocadas quatro carreiras de pedras preciosas. Na primeira puseram um rubi, um topázio e uma granada;
11 na segunda carreira puseram uma esmeralda, uma safira e um diamante;
12 na terceira puseram uma turquesa, uma ágata e uma ametista;
13 e na quarta, um berilo, um ônix e um jaspe. Essas pedras foram montadas em engastes de ouro.
14 Em cada uma dessas pedras estava gravado o nome de um dos filhos de Jacó, para representar as doze tribos de Israel.
15 Com fios de ouro puro trançados fizeram cordões para o peitoral.
16 Fizeram também duas argolas de ouro e as prenderam nas pontas da parte de cima do peitoral.
17 Passaram os dois cordões de ouro nas duas argolas
18 e prenderam as duas pontas dos cordões nos dois engastes de ouro do peitoral, que foram presos nas duas alças do manto, na parte da frente.
19 Fizeram outras duas argolas de ouro e as prenderam nas duas pontas de baixo do peitoral, na borda do lado de dentro do manto.
20 Fizeram mais duas argolas de ouro e as prenderam nas pontas das duas alças do manto, embaixo, na frente dele, perto da costura e acima do cinto.
21 Como o SENHOR havia ordenado a Moisés, com um cordão azul eles prenderam as argolas do peitoral nas argolas do manto para que o peitoral ficasse preso acima do cinto e não se soltasse.
22 A sobrepeliz, roupa que vai por cima do manto sacerdotal, era tecida inteiramente de fios de lã azul.
23 No meio dela havia uma abertura para a cabeça. Essa abertura era rematada com uma tira de malha para que não se rasgasse.
24 Em volta de toda a barra da sobrepeliz colocaram aplicações em forma de romãs, feitas de linho fino e de fios de lã azul, púrpura e vermelha.
25 Fizeram também sininhos de ouro puro e os puseram entre uma romã e outra.
26 Desse modo a barra da sobrepeliz ficou enfeitada com uma carreira de sininhos intercalados com romãs, da seguinte maneira: um sininho, uma romã, outro sininho, outra romã, conforme o SENHOR havia ordenado a Moisés.
27 Fizeram túnicas de linho para Arão e os seus filhos,
28 e a mitra, os chapéus, os calções de linho
29 e o cinto tecido de linho fino e de fios de lã azul, púrpura e vermelha, enfeitado com bordados, conforme o SENHOR havia ordenado a Moisés.
30 Fizeram ainda de ouro puro uma placa para a coroa sagrada e nela gravaram a seguinte frase: “Separado para o SENHOR.”
31 E amarraram a placa com um cordão de lã azul, para prendê-la na parte de cima da mitra, como o SENHOR havia ordenado a Moisés.
32 Todo o trabalho da Tenda da Presença de Deus foi acabado. Os israelitas fizeram tudo como o SENHOR havia ordenado a Moisés.
33 Eles levaram a Moisés a Tenda e todo o seu equipamento, os prendedores, as armações, as travessas, os postes e as bases.
34 Levaram a cobertura de peles de carneiro tingidas de vermelho, a cobertura de peles finas, a cortina que separava o Lugar Santíssimo do Lugar Santo,
35 a arca da aliança com as placas de pedra, os cabos e a tampa da arca.
36 Levaram a mesa e todo o seu equipamento; os pães oferecidos a Deus;
37 o candelabro de ouro puro, as suas lamparinas, todo o seu equipamento e o azeite para as lamparinas.
38 Levaram o altar de ouro, o azeite de ungir, o incenso cheiroso, a cortina da entrada da Tenda,
39 o altar de bronze com a sua grelha, os seus cabos e todo o seu equipamento; e a pia com o seu suporte.
40 Levaram as cortinas do pátio, os seus postes e as suas bases; a cortina da entrada do pátio e as suas cordas; as estacas da Tenda e todo o equipamento para ser usado nela.
41 Levaram as roupas vistosas para os sacerdotes usarem no Lugar Santo, isto é, as roupas sagradas do sacerdote Arão e dos seus filhos.
42 Os israelitas fizeram todo o trabalho como o SENHOR havia ordenado a Moisés.
43 Moisés examinou cada coisa e viu que eles tinham feito tudo de acordo com o que o SENHOR havia ordenado. Então Moisés os abençoou.




Êxodo – Capítulo 40

1 O SENHOR Deus disse a Moisés:
2 – No dia primeiro do primeiro mês, arme a Tenda da Presença de Deus.
3 Coloque na Tenda a arca da aliança, onde estão guardadas as placas com os dez mandamentos; e ponha a cortina na frente da arca.
4 Ponha dentro da Tenda a mesa e coloque em ordem as coisas que estão sobre ela. Ponha dentro da Tenda o candelabro e monte as lamparinas.
5 Ponha o altar de ouro para queimar incenso na frente da arca da aliança e pendure a cortina na entrada da Tenda.
6 E na frente da Tenda coloque o altar de queimar os sacrifícios.
7 Ponha a pia entre a Tenda e o altar e encha com água.
8 Depois arme o pátio ao redor da Tenda e pendure a cortina na sua entrada.
9 – Então pegue o azeite de ungir e unja a Tenda e tudo o que estiver nela; desse modo, você a separará para mim, e ela ficará sagrada.
10 Depois você ungirá o altar das ofertas a ser completamente queimadas e todos os seus utensílios; assim o altar ficará separado para mim e será muito sagrado.
11 Do mesmo jeito você ungirá a pia com o seu suporte e a separará para mim.
12 – Leve Arão e os filhos dele para a entrada da Tenda e mande que se lavem.
13 Vista Arão com as suas roupas de sacerdote, unja-o e o separe para mim a fim de que me sirva como sacerdote.
14 Traga os filhos dele e vista neles as túnicas.
15 Em seguida você os ungirá, como ungiu o pai deles, para que me sirvam como sacerdotes. Isso fará com que sejam sacerdotes para sempre.
16 Moisés fez tudo como o SENHOR havia ordenado.
17 E assim, no dia primeiro do primeiro mês, quase um ano depois que os israelitas saíram do Egito, a Tenda da Presença de Deus foi armada.
18 Moisés colocou as bases, as armações e as travessas e levantou os postes.
19 Ele estendeu a cobertura sobre a Tenda e colocou a cobertura de fora por cima dela, como o SENHOR havia ordenado.
20 Depois pegou as duas placas de pedra e as colocou dentro da arca da aliança. Enfiou os cabos nas argolas da arca e colocou a tampa nela.
21 Então pôs a arca na Tenda e, como o SENHOR havia ordenado, pendurou a cortina entre o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo para que ninguém pudesse ver a arca.
22 Moisés pôs a mesa na Tenda, no lado norte, do lado de fora da cortina,
23 e colocou sobre ela os pães oferecidos a Deus, o SENHOR, como ele havia ordenado.
24 Moisés pôs o candelabro na Tenda, no lado sul, em frente da mesa
25 e ali, na presença do SENHOR, ele acendeu as lamparinas, como o SENHOR havia ordenado.
26 Pôs o altar de ouro na Tenda, em frente da cortina,
27 e queimou o incenso cheiroso, como o SENHOR havia ordenado.
28 Pendurou a cortina na entrada da Tenda
29 e ali, em frente da cortina, colocou o altar para as ofertas que seriam completamente queimadas. Em cima do altar ele apresentou as ofertas a serem queimadas e as ofertas de cereais, como o SENHOR havia ordenado.
30 Pôs a pia entre a Tenda e o altar e a encheu com água.
31 Nela Moisés, Arão e os filhos de Arão lavavam os pés
32 todas as vezes que entravam na Tenda ou iam até o altar, como o SENHOR havia ordenado.
33 Moisés armou o pátio em volta da Tenda e do altar e pendurou a cortina na entrada do pátio. E assim ele terminou todo o trabalho.
34 Então a nuvem cobriu a Tenda, e ela ficou cheia da glória de Deus, o SENHOR;
35 por isso Moisés não pôde entrar nela.
36 Os israelitas levavam o seu acampamento de um lugar para outro somente quando a nuvem se levantava de cima da Tenda.
37 Mas, se a nuvem não se levantava, os israelitas não saíam dali até o dia em que ela se levantava.
38 Em todas as suas viagens, eles podiam ver, durante o dia, a nuvem da presença do SENHOR em cima da Tenda; e, durante a noite, viam o fogo queimando em cima dela.

 

 

 

 

Envie um comentário sobre o que voce achou deste link!

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!