A CHAVE PARA O

CORAÇÃO DE DEUS

 

Eu me lembro que, há mais ou menos cinquenta anos, era muito comum os homens andarem com um chaveiro dependurado na cintura. Desde menino eu ficava encantado com as chaves.

Os fregueses de meu pai, que era sapateiro, vinham sempre com um molho de chaves que balançava de um lado para o outro.

 Para usar o chaveiro era necessário usar cinto para prendê-lo, porém,como eu só usava calções, não tinha como usar o chaveiro, e ficava o tempo todo desejando usar um.

 Outro modismo que achava interessante era que, na década de setenta, as pessoas que tinham carro ficavam girando a chave na mão. Como pode perceber, as chaves chamam a minha atenção, eu

sempre fui muito aficionado por elas, porém, não as carrego presas ao cinto, e sim as seguro com as mãos.

Outro caso sobre chaves aconteceu na ocasião em que fui pregar numa conferência e fiquei hospedado em um hotel Joanesburgo (África do Sul).

A chave do quarto era um cartão semelhante ao

de crédito, eu a inseria, mas a porta não abria. Ao avistar a camareira, sabia que ela tinha uma chave  diferente da minha, que abria todas as portas, então,

pedi ajuda, ela então colocou a chave dela na porta, abrindo-a.

Compartilho essas experiências para introduzir o assunto que abordo nesta mensagem, sobre chave, mas não uma chave qualquer, é a que abre o coração de Deus, a qual você pode usar em qualquer ocasião, seja de muita alegria ou de muita tristeza, seja com uma vida santa ou uma vida maculada pelo pecado. Essa chave se chama arrependimento.

A Bíblia diz: “[...] espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus” (Salmo 51.17). Quando alguém chega arrependido diante de Deus, a porta se abre. O que abre a porta do coração de Deus é o arrependimento, e Satanás, sabedor disso, detesta essa palavra, ou melhor, essa atitude. Mas Deus ama o coração arrependido.

 A Palavra diz que “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes” (Tiago 4.6). Não existe arrependimento sem quebrantamento, não existe arrependimento sem humildade; só os humildes é que se arrependem. Enquanto a pessoa, mesmo que seja apenas um pouco, confia em sua própria força, ela não alcança o coração de Deus.

Arrependimento não é remorso. Arrependimento é o que lemos em Lucas, capítulo 15, versos 11 a 24, a parábola do filho pródigo: “Continuou: Certo homem tinha dois filhos; o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me cabe. E ele lhes repartiu os haveres.

Passados não muitos dias, o filho mais moço, ajuntando tudo o que era seu, partiu para uma terra distante e lá dissipou

todos os seus bens, vivendo dissolutamente. Depois de ter consumido tudo, sobreveio àquele país uma grande fome, e ele começou a passar necessidade. Então, ele foi e se agregou a um dos cidadãos daquela terra, e este o mandou para os seus campos a guardar porcos.

Ali, desejava ele fartar-se das alfarrobas que os porcos comiam; mas ninguém lhe dava

nada. Então, caindo em si, disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm pão com fartura, e eu aqui morro de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores.

E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou.

E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho.

O pai, porém, disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, vesti-o, ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés; trazei também e matai o novilho cevado.

Comamos e regozijemo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado.

E começaram a regozijar-se”.

Nesse registro você não encontra a palavra “arrependimento” porque o arrependimento não se traduz em uma única palavra, mas em uma atitude, que pode ser vista na fala desse filho: “Não sou digno”.

Arrependimento é só para quem não é digno, é só para aquele que não tem condições. Arrependimento é reconhecer: “Eu não tenho, eu não mereço,

eu não sou digno”.

Se olharmos para o Novo Testamento, veremos que a base da nossa fé repousa exatamente nesta palavra: arrependimento.

 João Batista iniciou o ministério pregando o arrependimento.

Veja: “Naqueles dias, apareceu João

Batista pregando no deserto da Judeia e dizia: Arrependei-

vos, porque está próximo o reino dos céus”

(Mateus 3.1-2).

A mensagem de João Batista era: “Arrependei-

vos”. A mensagem de João era essa chave

para abrir o Reino dos céus, para tomar posse de tudo

o que o Senhor conquistou: “ARREPENDEI-VOS”.

 

 

ARREPENDIMENTO

NIVELA A TODOS

 

 

Diante de um desastre, de mortes, as pessoas questionam o porquê de essas coisas acontecerem; se olhassem para a Palavra entenderiam. Jesus disse

assim: “Naquela mesma ocasião, chegando alguns, falavam a Jesus a respeito dos galileus cujo sangue Pilatos misturara com os sacrifícios que os mesmos realizavam.

Ele, porém, lhes disse: Pensais que esses galileus

eram mais pecadores do que todos os outros galileus, por terem padecido estas coisas? Não eram, eu vo-lo afirmo; se, porém, não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis.

Ou cuidais que aqueles dezoito sobre

os quais desabou a torre de Siloé e os matou eram mais culpados que todos os outros habitantes de Jerusalém?  Não eram, eu vo-lo afirmo; mas, se não vos arrependerdes,  todos igualmente perecereis” (Lc 13.1-5).

 Não é o porquê, mas a resposta que as pessoas  precisam ter é arrependimento.

O arrependimento é o que nivela a todos, é a única chave que, em qualquer ocasião, toca o coração de Deus, ele é uma mudança. Uma das frases mais difíceis de proferirmos é: “Eu me arrependo”.

Por isso, que a mensagem da fé cristã é esta, a que começa com o arrependimento. No dia do Pentecostes, depois daquele tempo tão glorioso, em que Pedro curou o coxo, ele disse

em sua pregação: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados” (Atos 3.19). O arrependimento e a conversão são distintos. O arrependimento é um ato, ou seja, uma mudança, já a conversão é algo operado dentro da pessoa. A Bíblia diz que “Deus resiste

ao soberbo, mas concede a sua graça aos humildes”.

Muitos casamentos acabam pelo fato de um dos cônjuges não se arrepender. O arrependimento

não acontece uma só vez, mas é algo para o dia a dia, ele nos introduz ao Reino. A pior coisa que pode existir é ter o coração insensível, é ter

a mente cauterizada. Eu já passei por alguns procedimentos médicos e não senti absolutamente nada, porque estava anestesiado. Posso afirmar

para você: Se não sentir dor é por que alguma coisa está acontecendo.

Aquele que tem consciência do pecado e age como se nada estivesse acontecendo, está bem longe dos caminhos do Senhor. Já a pessoa que está em comunhão com Deus, tem como que uma luzinha dentro dela, que ascende toda vez em que peca, como se dissesse: “Arrependa-se, arrependa-se”. Muitas vezes a pessoa acha que deve se arrepender somente de “pecadões”: Aquela mentira,

adultério, roubo! Não. Nós nunca tropeçamos nas montanhas, mas nas pedrinhas. São coisas pequenas que destroem casamentos. São as pedrinhas

que destroem relacionamentos, uma vida. Todo pecado confessado e abandonado é perdoado, mas a confissão e o abandono vêm por meio do arrependimento.

 

 

 

ARREPENDIMENTO

É UM DEVER

 

 

O arrependimento é pessoal, individual, não pode ser transferido, ninguém pode se arrepender pelo outro. Atos, capítulo 8, verso 22, diz assim:

“Arrepende-te, pois, da tua maldade e roga ao Senhor; talvez te seja perdoado o intento do coração”. Atos 17, verso 30: “Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens

que todos, em toda parte, se arrependam”. Essa não é uma palavra tão agradável e muitas vezes as pessoas não gostam muito que o pastor fale sobre

arrependimento, mas é preciso que fique claro que a única pessoa que veio a esta Terra e nunca precisou se arrepender foi Jesus. Todos nós temos

que nos arrepender de alguma coisa. Todos nós! O que é arrependimento? A resposta encontramos em Isaías 45, verso 22, que diz: “Olhai para mim

e sede salvos, vós, todos os limites da terra; porque eu sou Deus, e não há outro”. Agora, confira este texto com 2 Coríntios, capítulo 5, verso 17, e veja o que o arrependimento produz: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas”. Há um momento em que todas as coisas antigas passam. Coisas antigas são as que já foram, o que aconteceu há cinco minutos atrás já é antigo. Você deve entender que o arrependimento deve ser uma coisa constante na nossa vida. É como o banho, nos sujamos e tomamos banho, e fazemos isso todos os dias, pelo menos é o que deve ser feito. Não há coisa melhor do que o sentimento de limpeza. Mas temos que estar limpos também na alma.

 

 

 

O ARREPENDIMENTO

NÃO É ENGANOSO

 

Não tem como o arrependimento ser enganoso porque, quando ele acontece, modifica o coração de uma forma muito intensa. Vejamos o que está escrito em Colossenses, capítulo 3, verso 2: “Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra”. Quando você vive ligado ao Senhor, os seus pés

estão aqui, mas o seu coração está lá no alto. Não significa que você vai ser um extraterrestre na Terra, mas os valores da sua vida, da sua fé e a intensidade do seu coração estão focados nas coisas lá do alto. E Deus tem ordenado a todos que se arrependam. O que nos leva a buscar o arrependimento é Deus. Atos, capítulo 11, verso 18 faz exatamente esta proclamação: “E, ouvindo eles estas coisas,apaziguaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: Logo, também aos gentios foi por Deus concedido

o arrependimento para vida”. Quem coloca dentro do nosso coração a vontade de nos arrependermos é Deus. Porém, é importante saber que haverá

conflitos: Ouvir o Senhor, se ouvir, a própria consciência, ou ouvir o próprio Satanás. Mas vença os conflitos e sempre ouça a Deus. Esta é a melhor

escolha, o melhor caminho. Quando escolhemos andar conforme os valores de Cristo, entendemos e enxergamos a beleza que há no arrependimento.

Ele quebra o nosso orgulho, nos faz reconhecer o erro, pedir perdão e abandonar o caminho errado.

 

 

 

O ARREPENDIMENTO

PRODUZ FRUTOS

 

 

O perdão é como se fosse o laço de um passarinheiro e o arrependimento uma caminhada, porque precisa dar frutos, frutos de arrependimento. Arrependimento só de palavras não significa absolutamente nada. É necessário produzir frutos, a pessoa deixa de praticar o erro e demonstra, com convicção, que não era aquilo que ela desejava. Em Mateus 3.8 encontramos a mensagem: “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento”.

O arrependimento tem que ser transformado em atitude, para produzir frutos. Não adiantaria nada se o filho pródigo na terra distante, dissesse: “Eu me arrependo, eu não sou digno”, se ele não tomasse uma atitude. Qual foi o fruto que ele demonstrou? Levantouse e voltou para a casa do pai. O fruto é aquilo que você pratica, é atitude, algo que você proclama. As outras pessoas irão perceber a mudança quando você proclamar: “Eu me arrependo”. Não adianta uma pessoa se arrepender sem uma proclamação, sem uma atitude.

Precisamos praticar obras dignas de arrependimento. Paulo, ao pregar para um rei não mediu palavras para com aquele que era autoridade, que estava acima dele, conforme lemos em Atos, capítulo 26, versos 19 e 20: “Pelo que, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial, mas anunciei primeiramente aos de Damasco e em Jerusalém, por toda a região da Judéia, e aos gentios, que se arrependessem e se convertessem a Deus, praticando obras dignas de arrependimento”. É preciso atitude, mudança, e não apenas dizer e dizer... Palavras podem ser mudadas, ditas ao vento; por

isso, é preciso produzir obras dignas de arrependimento. A pessoa pode chorar e sentir uma coisa chamada remorso, mas isso não é arrependimento. O remorso adoece, é um sentimento que corrói.

E muitas são as pessoas

que confundem com o arrependimento por falta de conhecimento. O remorso causa dor, angústia. A pessoa reconhece que fez uma besteira, um ato de

loucura, diz que não queria ter feito o que fez, que agiu errado, mas não faz nada para mudar a situação. Isso sim é o remorso, completamente diferente

do arrependimento. “Agora, me alegro não porque fostes contristados

para arrependimento; mas porque fostes contristados segundo Deus, para que, de nossa parte, nenhum dano sofrêsseis. Porque a tristeza do mundo produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo não produz morte” (2 Coríntios 7.9-10). Arrepender-se é mudar o caminho, que aos nossos olhos pode parecer certo, é agir de maneira correta. É dar meia volta quando se está no trajeto errado e pegar a direção

certa. Jamais podemos nos esquecer que a nossa história é marcada pelos recomeços, como termina é que conta.

Deus resiste ao soberbo, àquele coração duro, coração insensível. Deus resiste ao coração cheio de desculpas: “Ah, mas fulano fez isso comigo”. “Ah, eu caí em tentação”. A pessoa arruma tantas desculpas, porém, desculpas não funcionam como arrependimento.

Como tenho dito, arrependimento é uma mudança que produzi frutos de uma maneira gloriosa.

 

 

 

DEUS CHAMA TODOS AO

ARREPENDIMENTO

 

 

Arrependimento é igual a tomar banho, tem que acontecer todos os dias, caso contrário será  difícil sermos suportados pela pessoa que estiver  ao nosso lado. A maioria das pessoas sente mal quando não tomam banho, não conseguem nem mesmo dormir. O fato de não tomarmos banho gera um desconforto. O banho causa alívio, dá uma sensação de bem-estar. E o arrependimento também produz um sentimento maravilhoso em nós. Para tomarmos banho precisamos desejá-lo, temos que nos dispor a tomá-lo, é uma decisão, uma escolha, tal como o arrependimento. Se porventura

ao deitar você se lembrar de que falou, fez alguma coisa contra alguém, mas apenas se lembrou e não fez nada para mudar essa situação, será como

entrar no banheiro, ligar o chuveiro e ficar olhando a água cair. É preciso tirar a roupa e se lavar. Tirar o suor, a sujeira do corpo. É preciso pedir perdão

àquele que magoou, ofendeu e/ou prejudicou de alguma maneira. O arrependimento deve trazer o resultado. Mateus 9, verso 13 diz assim: “Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero e não holocaustos; pois não vim chamar justos, e sim pecadores ao arrependimento”. Esse é o chamado do Senhor ao arrependimento. Nem sempre a causa de uma enfermidade são problemas relacionados à saúde. Aquele que está

doente pede: “Senhor, cura-me”. E Jesus responde: “Eu já lhe curei ali na cruz”. Sem entender, a pessoa continua: “Mas como? Eu ainda estou doente”.

Essa pessoa não sabe que existem determinadas situações que adoecem a nossa vida e para se ver livre delas é preciso ter uma atitude e dizer: “Eu me

arrependo, Senhor”. E quando o arrependimento vem, brota, muitas vezes, com ele a saúde.

 

 

O ARREPENDIMENTO É UMA OPERAÇÃO

DO ESPÍRITO SANTO

 

 

Cantamos algumas canções que têm em suas letras frases do tipo: “Senhor, eu quero te exaltar; Jesus eu te exalto; Jesus eu quero te engrandecer”.

Mas não vamos engrandecê-lo apenas com nossos lábios, com o som da voz. A maneira como exaltamos a Jesus é tendo sempre o coração limpo diante

dele. Veja o que está escrito em Atos, capítulo 5, verso 31: “Deus, porém, com a sua destra, o exaltou a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão de pecados”.

A maneira de exaltarmos a Jesus não é apenas com nosso cântico, mas com nosso arrependimento. Agora, é difícil arrepender-se, voltar atrás não é fácil; porém, possível.

Vejamos Zacarias, capítulo 12, verso 10, que diz: “E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o espírito da graça e de

súplicas; olharão para aquele a quem traspassaram; pranteá-lo-ão como quem pranteia por um unigênito e chorarão por ele como se chora amargamente pelo primogênito”.

A obra do Espírito Santo é glorificar a Jesus. Quando os nossos olhos se voltam para cruz e a contemplamos, o nosso coração se quebra. A crucificação de Jesus não se repete, foi uma

única vez, mas todas as vezes que contemplamos a realidade da cruz, brota dentro de nós o arrependimento.

 Deus é longânimo e deseja que todos se

arrependam, Ele poderia fazer você desaparecer no momento em que “pisasse na bola”, mas não age dessa forma por causa de Sua longanimidade.

A longanimidade do Senhor é um estopim muito longo; exemplo: pode-se explodir uma obra lá no Rio de Janeiro, acendendo um estopim aqui em

Belo Horizonte, mas para isso acontecer levaria muito tempo.

 Em 2 Pedro, capítulo 3, verso 9 está escrito assim: “Não retarda o Senhor a sua promessa,

como alguns a julgam demorada; pelo contrário ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao

arrependimento”.

Você pode olhar para qualquer pessoa, por exemplo, Adolf Hitler, o homem mais miserável do século passado, e ter a certeza de que Deus jamais desejou a ida dele para o inferno, Deus queria salválo

conforme registrado em Sua Palavra: “[...] não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento”.

 

 

 

A BONDADE DE DEUS É QUE CONDUZ AO

ARREPENDIMENTO

 

 

 

Você pode chamar a longanimidade por um nome mais doce, como está escrito em Romanos 2, verso 4, que é a palavra “bondade”. Diz assim: “Ou

desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade,

ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?”. É por isso que a Palavra diz que o amor de Cristo nos constrange. Aquele que

se arrepende alcança misericórdia. Em Provérbios 28, o verso 13 nos mostra que o arrependimento é necessário: “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia”.

Se você tem um carnê e para de pagá-lo, pode continuar vivendo? Sim. Você pode passar muito tempo sem pagar o carnê? Pode.

Mas a dívida continua, ela não desaparece. O tempo não resolve. “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia”. A disciplina leva ao arrependimento. Quando a pessoa resiste à bondade do Senhor vem a disciplina que leva ao arrependimento. A maior demonstração de falta de amor ao seu filho é não discipliná-lo. A maior demonstração de amor ao seu filho é discipliná-lo. Está escrito em Apocalipse 3, verso 19: “Eu repreendo e disciplino a quantos amo.

Sê, pois, zeloso e

arrepende-te”. O arrependimento muda a nossa vida. Uma das orações mais lindas da Bíblia é a de Salomão, quando ele ora pelo povo. Está em 1 Reis,

capítulo 8, versos 46 ao 50: “Quando pecarem contra ti (pois não há homem que não peque), e tu te indignares contra eles, e os entregares às mãos do inimigo, a fim de que os leve cativos à terra inimiga, longe ou perto esteja; e, na terra aonde forem levados cativos, caírem em si, e se converterem, e, na terra do seu cativeiro, te suplicarem, dizendo: Pecamos, e perversamente

procedemos, e cometemos iniquidade; e se converterem a ti de todo o seu coração e de toda a sua alma, na terra de seus inimigos que os levarem cativos, e orarem a ti, voltados para a sua terra, que deste a seus pais, para esta cidade que escolheste e para a casa que edifiquei ao teu nome; ouve tu

nos céus, lugar da tua habitação, a sua prece e a sua súplica e faze-lhes justiça, perdoa o teu povo, que houver pecado contra ti, todas as suas transgressões que houverem cometido contra ti; e move tu à compaixão os que os levaram cativos para que se compadeçam deles”.

 O arrependimento não pode ser de uma forma mecânica, ou religiosa, porque a nossa fé não é uma religião, mas é o nosso relacionamento com o Senhor.

 

 

 

HOJE É O TEMPO DE SE ARREPENDER

 

 

“Portanto, eu vos julgarei, a cada um segundo os seus caminhos, ó casa de Israel, diz o SENHOR Deus. Convertei-vos e desviai-vos de todas as vossas

transgressões; e a iniquidade não vos servirá de tropeço.

Lançai de vós todas as vossas transgressões com que transgredistes e criai em vós coração

novo e espírito novo; pois, por que morreríeis, ó casa de Israel? Porque não tenho prazer na morte de ninguém, diz o SENHOR Deus. Portanto, convertei-vos e vivei” (Ezequiel 18.30-32). O tempo para se arrepender é hoje. O único diaque temos é o dia de hoje. Ontem é passado, o amanhã

é apenas uma expectativa, só temos o hoje. É hoje que você tem que viver dessa maneira. Provérbios 27, verso 1 diz assim: “Não te glories do

dia de amanhã, porque não sabes o que trará à luz”. Não deixe para se arrepender amanhã porque o amanhã pode não chegar.

Nós temos apenas o dia de hoje. Há festa no céu quando um pecador se arrepende. A festa no céu não é simplesmente o que imaginamos, está escrito em Lucas 15, verso 7: “Digo-vos que, assim, haverá maior júbilo no céu por um pecador que se

arrepende do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”. Verso 10: “Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende”. Existe o arrependimento que é a chave que nos introduz ao Reino, mas também o arrependimento diário que nos torna limpos.

Não há nada melhor do

que, à noite, colocar a cabeça no travesseiro e começar a lembrar como foi o nosso dia, e se houver o sinal verde para nós, então, podemos dormir tranquilos. Mas se por acaso o sinal for amarelo, de algo tínhamos que fazer, mas não fizemos, então, simplesmente adiamos para o outro dia. Agora, se o sinal for vermelho, estiver piscando: “acertemos, acertemos, acertemos”, temos que nos arrepender e tomar uma atitude. Amado leitor, Deus levou você a ler esta mensagem com um propósito.

Arrependimento não é uma

opção, é uma ordem. A salvação você não perde, mas a alegria da salvação você pode perder. E para que isso não aconteça, tem que, a cada dia, se arrepender, usar essa chave, o arrependimento, que a qualquer hora,

em qualquer ocasião, toca o coração de Deus. Se ao final Adolf Hitler tivesse dito: “Eu me arrependo”, ele teria sido salvo.

 É verdade que perante as leis ele seria fuzilado ou enforcado, mas Deus o perdoaria porque Ele não deseja que ninguém pereça, mas que todos sejam salvos, foi para isso que Ele nos deu Jesus.

“Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra.” (2 Crônicas 7.14).

Deus abençoe!

 

 

 

JESUS TE AMA E QUER VOCÊ!

 

 

 

1º PASSO: Deus o ama e tem um plano maravilhoso para sua vida. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito,

para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.“ (Jo 3.16.)

 

2º PASSO: O Homem é pecador e está separado de Deus. “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus.“ (Rm 3.23b.)

 

3º PASSO: Jesus é a resposta de Deus, para o conflito do homem. “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida;

ninguém vem ao Pai senão por mim.“ (Jo 14.6.)

 

4º PASSO: É preciso receber a Jesus em nosso coração. “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome.“ (Jo 1.12a.) “Se, com tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação.” (Rm 10.9-10.)

 

5º PASSO: Você gostaria de receber a Cristo em seu coração? Faça essa oração de decisão em voz alta: “Senhor Jesus eu preciso de Ti, confesso-te o meu pecado de estar longe dos teus caminhos. Abro a porta do meu coração e te recebo como meu único Salvador e Senhor. Te agradeço porque me aceita assim como eu sou e perdoa o meu pecado. Eu desejo estar sempre dentro dos teus planos para minha vida, amém”.

 

Pr. Rogério Costa

 

 

 

 

Envie um comentário sobre o que voce achou deste link!

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!