A doutrina dos Anjos de Deus...

 

Obs: Este estudo equivale a uma apostila.

 

 

A hierarquia dos Anjos

Seguindo o critério tradicional, são nove (9) os Coros ou Ordens Angélicas: Serafins, Querubins,Tronos, Dominações, Potestades, Virtudes, Principados, Arcanjos e Anjos, distribuídas em três Hierarquias.

Primeira hierarquia: É formada pelos Santos Anjos que estão em íntimo contato com o Criador. Dedicam-se a Amar, Adorar e Glorificar a Deus numa constante e permanente freqüência, em grau bem mais elevado que os outros Coros: Serafins, Querubins e Tronos.

Nove são as hierrarquias dos Anjos:

1.Haioth Hakodesh - Serafins
2. Ophanim - Querubins
3. Aralim - Tronos
4. Hashemalim - Dominações
5. Sheraphim - Virtudes
6. Malakhim - Potestades
7. Elohim - Principados
8. Beni-Elohim - Arcanjos
9. Kherubim - Anjos

 

01 - Serafins

Nome de entes celestiais que estavam à roda do trono de Deus, na visão de Isaías. Cada um deles tinha seis asas: com duas cobria a face, e com outras duas cobriam os pés e com duas voavam. E clamavam um para o outro, e diziam: “Santo, Santo, Santo, Senhor Deus dos Exércitos cheia está toda a terra da sua glória”, Is 6. 2,3.  Tendo o profeta confessado ser homem de lábios impuros, um dos serafins voou para ele levando na mão uma brasa viva, que havia tomado do altar com uma tenaz, e tocou com ela a boca do profeta dizendo: “Eis aqui tocou esta brasa os teus lábios, e será tirada a tua iniqüidade, e lavado será o seu pecado”.  A Escritura nada mais diz a respeito de serafins, senão o que se contém nesta passagem.  Quem eram eles?  Os serafins eram uma ordem superior de anjos, segundo o entendimento dos judeus. O nome "seraph" deriva do hebreu e significa "queimar completamente".  Segundo o conceito hebraico, o Serafim não é apenas um ser que "queima", mas "que se consome" no amor ao Sumo Bem, que é o nosso Deus Altíssimo.

 

 

Fazem parte desta Hierarquia:

 Vehuiah - Confere grande energia, talento para as artes e para o desempenho de tarefas muito difíceis. Dá sutileza para aprender o significado das coisas.

Jeliel - Confere natureza alegre, caráter gentil. Dá equilíbrio interior e aptidão para lidar com o público. Promove paz e harmonia entre cônjuges.

Sitael Incentiva a verdade, a prudência e a gratidão. Dá brilho à inteligência, propicia a bondade. Protege contra ataques com armas e contra inimigos perigosos, facilita o sucesso das empresas.

Elemiah - Protege as viagens e os que trabalham viajando. Dá caráter empreendedor. Facilita o sucesso. Incentiva descobertas úteis, protegendo técnicos e pesquisadores.

Mahasiah - Propicia o estudo de ciências, Tecnologia, Filosofia e Ocultismo. Sucesso nas profissões liberais. Dá amor aos estudos e facilidade para aprender. Aparência simpática. Gosto por diversões simples.

Lelahel - Promove o desenvolvimento do saber e das artes.Dá talento para o sucesso e para trabalhar pela elevação  da comunidade em que vive.

Achaiah - Dá bondade, paciência, amor à arte, à cultura e à sua propagação. Ajuda a desvendar segredos da natureza.

Proporciona a cura com os segredos da natureza.

Cahethel - Dá gosto pela agricultura e êxito nesta área. Protege o cultivo de cereais, frutas, flores e plantas medicinais.

Protege os engenheiros agrônomos e florestais. Incentiva gratidão religiosa e o amor ao trabalho.

 

 

02 Querubins

Nome do guardião que o Senhor pôs à entrada do Éden para impedir que nossos primeiros pais se aproximassem da árvore da Vida, depois de serem expulsos do Paraíso, Gn 3.24.  Quando se construiu a Arca para o Tabernáculo, foram trabalhados dois querubins, feitos de puro ouro, e colocados sobre a arca com as faces voltadas um para o outro, e cobrindo-a com as asas estendidas, Ex 25.18-20; 37.7-9. Simbolizavam a presença de Jeová, cuja glória se manifestava entre eles, Lv 16.2, e que habitava no meio de seu povo, estando presente no tabernáculo para receber a sua adoração, Ex 25.22; Lv 1.1. Há freqüentes referências à habitação de Jeová entre querubins, Nm 7.89; 1Sm 4.4; 2Sm 6.2; 2Rs 19.15; Sl 80.1; 99.1; Is 37.16.  As cortinas do Tabernáculo eram bordadas com as figuras de querubins, Ex 26.1. No oráculo do Templo foram postos dois gigantescos querubins de quase seis metros de altura, cujas asas estendidas tinham igual comprimento à altura. Eram feitos de pau de oliveira e cobertos de ouro, 1Rs 6.23-28; 8.7; 2Cr 3.10-13; 5.7,8; Hb 9.5.  As paredes do Templo eram esculpidas em roda de entalhes e molduras, com querubins e palmas, 2Rs 6.29, Em um poema, Davi representa Jeová montado sobre querubins e voando sobre as asas dos ventos, 2Sm 22.11; Sl 18.10. Ezequiel teve uma visão de querubins perto do rio Cobar, cada um deles tinha quatro faces e quatro asas, Ez 10.1-22; comp. 9. 3.  Os quatro querubins parecem ser idênticos às criaturas que ele viu, cada uma com quatro faces com rosto de homem, rosto de leão, rosto de boi e rosto de águia, cp. 1.5-12; com 10.20,21. Estes querubins sustentavam o trono de Jeová, 1.26-28; 9.3. Finalmente, o apóstolo João descreve no Apocalipse quatro animais com rostos semelhantes aos já descritos, Ap 4.6-9. Em toda a Bíblia os querubins são apresentados como seres, entes animados, com a inteligência de homem, com a força do boi, com a coragem do leão e com movimentos livres como a águia para dominar o espaço. Eles representam uma ordem de anjos.  São considerados guardas e mensageiros dos Mistérios Divinos, com a missão especial de transmitir Sabedoria. No início da criação, foram colocados pelo Criador para guardar o caminho da Árvore da Vida, são conhecedores dos Mistérios Divinos.

 

Fazem parte desta Hierarquia:

Haziel - Este anjo ajuda a obter a graça de Deus, domina a bondade e a reconciliação. Ele influencia as promessas feitas de forma sincera e facilita os ganhos de causa para as pessoas inocentes.

Aladiah - Este anjo é invocado contra as doenças e as maldades. Ele facilita sempre a escolha do melhor caminho com oportunidades.

 Laoviah - Este anjo é invocado contra as fraudes e para alcançar a vitória. Ele faz com que todos os relacionamentos sejam fortes e duradouros.

 Hahahiah - Este anjo atua fortemente contra adversários, faz revelações de todos os mistérios ocultos, principalmente em sonhos. Domina a serenidade, a moderação e o equilíbrio.

Yezalel - Este anjo facilita nas amizades e atua na felicidade conjugal. Auxilia na fácil compreensão de todas as situações.

Mebahel - Anjo da justiça, da verdade e da liberdade, ele livra as pessoas que se sentem prisioneiras ou deprimidas, protege os inocentes. e faz conhecer a verdade.

Hariel - Este anjo é invocado contra os incrédulos da religião. Sua influência está ligada aos sentimentos religiosos, que se distinguem pela pureza. Ajuda a descobrir tudo que é útil e novo, protegendo as ciências e as artes.

Hakamiah - Este anjo protege as pessoas que ocupam as posições de comando. Ele ajuda a combater os tratantes, obter vitória e libertar os oprimidos. Ele interfere na coragem e na fidelidade.

 

 

03 Tronos

Tronos são guardiões da humanidade, símbolos de pureza, perfeição e autoridades divinas. É o nome dado à categoria angelical que inspira os homens à arte e à beleza. São representados nas pinturas como Anjos jovens, bonitos, segurando uma harpa, uma cítara ou algum outro instrumento musical. Seu Príncipe é Tsaphkiel (ou Auriel); este Anjo é associado com a terra. Simboliza as forças criativas em acção. Ajuda-nos a contemplar o futuro.  São extremamente sentimentais e estão sempre prontos a ajudar. Mesmo que não tenham tido oportunidades para estudar, sabem falar com perfeição sobre qualquer assunto. Exteriormente passam a ideia de retraídos e tímidos, mas na realidade, são desconfiados e procuram evitar situações que possam lhes causar sofrimento. Adoram consultas oraculares. Tem facilidade em fazer projecção astral e cortar, através dos sonhos, coisas ruins que poderiam acontecer. Tem o grande defeito de não saberem se impor, por isso sentem dificuldade em dizer "não", ficando magoados com facilidade e sofrendo calados com certas atitudes das pessoas que querem bem. São românticos e gostam de ficar sozinhos, ouvindo música ou apenas em silêncio. Doces, ternos, só conseguem produzir no trabalho quando está tudo bem, principalmente o lado afectivo. Ouvem sempre seu coração.    Acolhem em si a Grandeza do Criador e a transmitem aos Santos Anjos de graus inferiores. São chamados de "Sedes Dei" (Sede de Deus).  Em síntese, os Tronos são aqueles Santos Anjos que apresentam aos Coros inferiores, o esplendor da Divina Onipotência.

 

Fazem parte desta Hierarquia:

Lauviah - Este anjo predispõe ao bem dormir, é invocado contra os tormentos de espírito e contra a tristeza. Favorece as altas ciências e as descobertas maravilhosas. Faz revelações em sonhos.

Caliel - Este anjo ajuda contra as adversidades e no triunfo dos inocentes, confundindo as pessoas malvadas. Ele colabora para o conhecimento da verdade.

Leuviah - Este anjo ajuda a obter a graça de Deus e atua sobre a memória e a inteligência. Ele favorece a proteção contra os adversários ou contra aqueles que usarem seu nome indevidamente.

Pahaliah - Este anjo ajuda a descobrir todos os enigmas das religiões e auxilia na conversão dos povos ao cristianismo. Domina a religião, a moral e a teologia. Ele ajuda também, a encontrar a vocação certa.

Nelchael - Este anjo é invocado para destruir o poder do inimigo; contra as calúnias, pessoas que utilizam sortilégios ou para tirar proveito próprio contra os inocentes. Domina a astrologia, a matemática e todas as ciências exatas.

Ieiaiel - Este anjo domina a fortuna, o renome, a diplomacia e o comércio. Influencia nas viagens e na descoberta de novos caminhos e vocações.

Melahel - Este anjo protege contra as armas e os assaltos. Domina a beleza e auxilia a segurança nas viagens. Exerce domínio cobre a natureza, especialmente no plantio auxilia no conhecimento dobre as ervas para cortar os males do corpo.

Hahiuia - Este anjo ajuda a obter a graça e a misericórdia de Deus, protege os exilados, os prisioneiros e as pessoas que estão sofrendo penalidades legais injustas. Protege contra animais nocivos, assaltos a carros, colisões e contra a violência dos assassinos.

Segunda hierarquia: São os Santos Anjos que dirigem os Planos da Eterna Sabedoria, comunicando aqueles projetos aos Anjos da Terceira Hierarquia, que vigiam o comportamento da humanidade. Eles são responsáveis pelos acontecimentos no Universo. Esta Hierarquia é formada pelos seguintes Coros de Anjos: Dominações, Potestades e Virtudes.

 

 

04 Dominações

São aqueles da alta nobreza celeste. Para caracteriza-los com ênfase, São Gregório escreveu: "Algumas fileiras do exército angélico chamam-se Dominações, porque os restantes lhe são submissos, ou seja, lhe são obedientes". São enviados por Deus a missões mais relevantes e também, são incluídos entre os Santos Anjos que exercem a "função de Ministro de Deus".São aqueles da alta nobreza celeste. Para caracterizá-los com ênfase, são enviados por Deus às missões mais relevantes e também, são incluídos entre os Santos Anjos que exercem a "função de Ministro de Deus".

 

 

Fazem parte desta Hierarquia:


Nith-Haiah - Este anjo ajuda a descobrir a verdade nos mistérios esotéricos. Domina as revelações, influencia a paz, através do conhecimento da verdade. Ele gosta de práticas mágicas, seguindo as leis divinas.
 Haaiah - Este anjo ajuda o homem a contemplar as coisas e os atos divinos; colabora em processos e julgamentos favoráveis. Domina a política, os diplomatas e os embaixadores. Ele influencia os jornalistas.
Ierathel - Este anjo ajuda a confundir os conspiradores, protege contra as pessoas que nos atacam judicialmente, interfere na propagação das luzes e na libertação da sociedade.
Seheiah - Este anjo auxlia contra as doenças, os tormentos e os parasitas. Protege dos incêndios, das maldades e da ruína nos negócios. Favorece a vida longa.

Reyel - Este anjo é invocado contra os hereges e as pessoas que nos prejudicam consciente ou inconscientemente, Domina todos os sentimentos religiosos e a meditação.
Omael - Este anjo ajuda as pessoas que estão em desespero a Ter mais paciência. Domina a proteção ao reino animal e influi na perpetuação das espécies e das raças. Influencia os químicos, os médicos e os cirurgiões.
Lecabel - Este anjo protege as pessoas que trabalham com a agricultura. Ele é invocado para iluminar a resolução dos problemas mais difíceis.
 Vasariah Este anjo é invocado para proteger quem nos ataca judicialmente. Favorece a graça e a clemência para os grandes empresários. É o anjo da justiça; influencia os advogados, os juristas e os magistrados.

 

05 Potestades

É o Coro Angélico formado pelos Santos Anjos que transmitem aquilo que deve ser feito, cuidando de modo especial da "forma" ou "maneira" como devem ser feitas as coisas. Também são os Condutores da ordem sagrada. Pelo fato de transmitirem o poder que recebem de Deus, são espíritos de alta concentração, alcançando um grau elevado de contemplação ao Criador.   É o Coro Angélico formado pelos Santos Anjos que transmitem aquilo que deve ser feito, cuidando de modo especial da "forma" ou "maneira" como devem ser feitas as coisas. Também são os Condutores da ordem sagrada. Pelo fato de transmitirem o poder que recebem de DEUS, são espíritos de alta concentração, alcançando um grau elevado de contemplação ao Criador.

 

 

Fazem parte desta Hierarquia:


Iehuiah - Este anjo ajuda a conhecer as pessoas que prejudicam seus semelhantes através da traição e a destruir os projetos maldosos dos invejosos. Protege os nobres e os coroados de luz.
Lehahiah - Este anjo protege as pessoas coroadas pelo amor divino e mantém a harmonia, a paz e a inteligência.
Chavakiah - Este anjo é invocado para estar bem com todos, eliminar as forças das pessoas que querem nos ofender e para ajudar na reconciliação dos esposos. Domina os testamentos, os herdeiros e as partilhas de forma amigável. Mantém a paz e a harmonia entre as famílias.
Menadel - Este anjo é invocado para manter o emprego, preservar os bens materiais adquiridos e ajudar a encontrar os bens perdidos ou extraviados. Ele protege contra caluniadores e liberta as pessoas que se sentem deprimidas. Informa sobre pessoas distantes, de quem não temos notícias há muito tempo.
Aniel - Este anjo ajuda a obter vitórias e a Ter uma vida digna. Favorece os estudos das ciências e das artes. Faz revelações sobre os segredos da natureza e inspira filósofos durante suas meditações ou conferências informativas.
Haamiah - Este anjo corresponde ao Santo nome de Deus, (Deus em Trindade como Uno). Invoca-se este nome divino para descobrir todos os segredos e tesouros da terra.
Rehel - Este anjo é invocado para proteger das maldades e fazer com que as pessoas reconheçam seus atos e tenham a misericórdia de Deus. Ajuda a obter a paz, boa saúde e longevidade. Influencia no amor paternal, filial e no respeito das crianças par com os mais velhos.
Ieiazel - Este anjo protege as pessoas que exercem atividades ligadas à imprensa e à literatura. Liberta da depressão e do pânico.

 

06 Virtudes

As atribuições dos Santos Anjos deste Coro, são semelhantes aquelas dos Santos Anjos do Coro Potestades, porque também eles transmitem aquilo que deve ser feito pelos outros Anjos, mas sobretudo, auxiliam no sentido de que as coisas sejam realizadas de modo perfeito. Assim, eles também têm a missão de remover os obstáculos que querem interferir no perfeito cumprimento das ordens do Criador. São considerados Anjos fortes e viris. Quem sofre de fraquezas físicas ou espirituais, deve invocar por meio de orações, o auxílio e a proteção de um Santo Anjo do Coro das Virtudes.  É o nome dado à categoria angelical cuja atribuição é orientar a respeito da sua missão e cumprimento do karma. O seu Príncipe é Rafael. São críticos e um pouco introspectivos pela necessidade de analisar tudo mentalmente. Práticos, organizados, têm grande poder de observação. São pouco expansivos, mas quando se mostram carinhosos, são delicados e gentis, adorando fazer surpresas. Para viverem tranquilos, necessitam de um lugar calmo e sem complicações. As suas decisões são acertadas e construtivas.   As atribuições dos Santos Anjos deste Coro, são semelhantes aquelas dos Santos Anjos do Coro Potestades, porque também transmitem aquilo que deve ser feito pelos outros Anjos, mas, sobretudo auxiliam no sentido de que as coisas sejam realizadas de modo perfeito. Assim, eles também têm a missão de remover os obstáculos que querem interferir no perfeito cumprimento das ordens do Criador. São considerados Anjos fortes e viris. Quem sofre de fraquezas físicas ou espirituais, deve invocar por meio de orações, o auxílio e a proteção de um Santo Anjo do Coro das Virtudes.

 

Fazem parte desta Hierarquia:


Hahaihel - Este anjo é invocado contra os inimigos da religião e caluniadores. Protege a palavra verdadeira de Jesus, os seus missionários e as pessoas que propagam o evangelho às nações. Influencia as pessoas ligadas ao sacerdócio a obterem a paz.
Mikael - Este anjo ajuda a viajar em segurança. Influencia os empresários, a alta sociedade e faz descobrir as conspirações e desordens da vida política ou social.
Veuliah - Este Anjo destrói as forças dos inimigos, liberta os escravos, as pessoas deprimidas ou com vícios. Influencia na prosperidade das empresas e fortifica os que ocupam posição de destaque.
Yelaiah - Este anjo auxilia na vitória em processos e na obtenção da proteção dos juízes. Protege contra os perigos de armas brancas ou fogo e dos assaltos.
 Sealiah - Este anjo ajuda a confundir as pessoas orgulhosas ou maldosas que oprimem os mais humildes; levanta a boa e a esperança dos desanimados. Domina a vegetação e tudo que tem vida e respira. Ele influencia os elementares que cuida e protege a natureza.
 Ariel - Este anjo auxilia a agradecer a Deus os bens que nos envia. Facilita a descoberta de tesouros ocultos. Revela, através dos sonhos, os segredos da natureza e faz encontrar objetos que desaparecem.
Asaliah - Este anjo ajuda no conhecimento sobre as leis de Deus e na elevação da consciência até Ele. Ajuda a descobrir a verdade nos processos e a atingir objetivos e metas construtivas. Facilita a compreensão das coisas divinas representadas na natureza.
Mihael - Este anjo protege as pessoas que recorrem à luz, que têm premonições ou pressentimentos favoráveis. Ajuda a conservar a paz e a união entre os esposos. Ele dá inspiração para desvendar segredos e tudo que precisa ser descoberto. Facilita a geração sadia das espécies, a amizade e a fidelidade conjugal.

Terceira hierarquia:É formada pelos Santos Anjos que executam as ordens do Altíssimo. Eles estão mais próximos de nós e conhecem a fundo a natureza de cada pessoa que devem assistir, a fim de poderem cumprir com exatidão a Vontade Divina: insinuando, avisando ou castigando, conforme o caso. Esta Hierarquia é formada pelos: Principados, Arcanjos e Anjos.

 

 

07 Pricipados

Os Santos Anjos deste Coro são guias dos mensageiros Divinos. Não são enviados a missões modestas, ao contrário, são enviados a príncipes, reis, províncias, Dioceses, de conformidade com o honroso título de seu Coro. No livro de Daniel são também apresentados como protetores de povos (Dn 10,13). Significa dizer, que são aqueles Anjos que levam as instruções e os avisos Divinos, ao conhecimento dos povos que lhe são confiados. Porém, quando esses mesmos povos recusam aceitar as mensagens do Senhor, os Principados transformam-se em Anjos Vingadores, e derramam as taças da ira Divina sobre eles, de forma a reconduzi-los através do castigo e da dor, de volta ao Deus de Amor e Misericórdia que eles abandonaram propositalmente. É o nome dado à categoria que é responsável pelos estados, países e reinos. Protege também o reino mineral, a fauna e a flora. Seu Príncipe é o Arcanjo Haniel, é invocado contra as forças do mal. Ajuda a resolver todos os problemas de amor. Era o mestre de David. Recebe as influências de Deus para transmitir às inteligências dos gênios desta categoria. As pessoas cujos Anjos fazem parte desta categoria são inconformistas, tem um grande senso de oportunidade e são dotadas de um forte espírito humanitário. Generosas, altruístas, não gostam de restrições.  São facilmente reconhecíveis por seu modo original e excêntrico de falar e vestir.  Adoram transformações e serão aquelas pessoas chamadas de "diferentes" do grupo. Sábias e inteligentes, têm sede de saber. O casamento só será bem aceito se for original. Curiosos, poderão tentar várias experiências sexuais, sexo grupal ou homossexual, para explorar os mistérios que um relacionamento pode oferecer. Não são ciumentos e não gostam que tentem modificar seus hábitos ou que lhes dêem ordens.   Os Santos Anjos deste Coro são guias dos mensageiros Divinos. Não são enviados a missões modestas, ao contrário, são enviados a príncipes, reis, províncias, Dioceses, de conformidade com o honroso título de seu Coro.NO livro de Daniel são também apresentados como protetores dos povos: (Dn 10,13) significa dizer, que são aqueles Anjos que levam as instruções e avisos Divinos, ao conhecimento dos povos que lhes são confiados. Porém, quando esses mesmos povos recusam aceitar  as mensagens do SENHOR, os Principados transformam-se em Anjos Vingadores, e derramam as taças da irá Divina sobre eles, de forma a reconduzi-los através do castigo e da dor, de volta ao DEUS de Amor e Misericórdia que eles abandonaram propositalmente. Peçamos aos Principados para que o SENHOR encha nossa alma do espírito de uma verdadeira e sincera obediência. O mundo espiritual é real e mais verdadeiro do que o mundo visível que conhecemos. A Bíblia cita alguns seres habitantes desse mundo, aqueles que precisamos saber na nossa peregrinação. Biblicamente não temos como comprovar se existem outros, mas eu penso que sim, pois nosso Pai é um Deus criador que trabalha até hoje. Mas, como não temos como provar, vamos ficar somente com os que conhecemos.  O versículo abaixo refere-se a Jesus e fala deste mundo invisível: “Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste” (Cl. 1:15,17). Resumidamente, podemos dizer que esses seres podem ser divididos em algumas classes: anjos, arcanjos, querubins, serafins e demônios. E agora, na plenitude dos tempos, por meio de Jesus e para Jesus, nasceu mais uma classe: os filhos de Deus!   Todos os demais seres são criaturas, mas nós somos filhos. Nós fomos gerados, à imagem e semelhança de Cristo, pelo sangue de Cristo!  Os filhos de Deus são superiores a todos os demais seres celestiais, embora, no presente, sejam menores: “Pois não foi a anjos que sujeitou o mundo que há de vir, sobre o qual estamos falando; antes, alguém, em certo lugar, deu pleno testemunho, dizendo: Que é o homem, que dele te lembres? Ou o filho do homem, que o visites? Fizeste-o, por um pouco, menor que os anjos, de glória e de honra o coroaste e o constituíste sobre as obras das tuas mãos. Todas as coisas sujeitaste debaixo dos seus pés. Ora, desde que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou fora do seu domínio. Agora, porém, ainda não vemos todas as coisas a ele sujeitas” (Hb. 2:5,8).  Além disso, os filhos de Deus formam a Igreja, que é a Noiva de Cristo! Grande privilégio o nosso, pela maravilhosa Graça de Deus! Graças a Deus por Jesus Cristo! Não é sem razão que tantos te amam, Jesus!   Irmão, os seres espirituais estão reunidos em principados e potestades, organizados e extremamente eficientes, com objetivos bem específicos.  Os Santos Anjos deste Coro são guias dos mensageiros Divinos. Não são enviados a missões modestas, ao contrário, são enviados a príncipes, reis, províncias, dioceses, de conformidade com o honroso título de seu Coro.

 

Fazem parte desta Hierarquia:

Vehuel - Este anjo ajuda na elevação a Deus para todas as manifestações benéficas, colabora para a glorificação de todas as pessoas e para a admiração do reino celestial.

 DanielEste anjo auxilia a obtenção da misericórdia de Deus e na obtenção de consolo. Favorece a justiça, o clero e a magistratura. Ele inspira contra a indecisão ou embaraço, quaisquer que sejam os motivos.

Hahasiah - Este anjo ajuda a elevar a alma a Deus, contemplar as coisas divinas e a descobrir todos os mistérios, através da consciência e da inteligência.

 Imamiah - Este anjo ajuda a destruir a força dos inimigos e das pessoas que só pensam em humilhar os mais fracos. Auxilia todos os que pedem socorro e Ele para obter liberdade. Protege as viagens de modo geral e todos os que estão desolados e solitários. Influencia todas as coisas que são baseadas na bondade e os ganhos monetários provenientes do trabalho honesto.

 Nanael - Este anjo protege as altas ciências, influencia os eclesiásticos, os professores, os magistrados e os homens que trabalham com leis.

Nithel - Este anjo ajuda a obter a misericórdia de Deus e a longevidade. Protegem os chefes de estado, os presidentes, os monarcas, os príncipes e todas as pessoas que dedicam sua vida à religiosidade e à caridade. Favorece a continuação e a legitimação das famílias e a estabilidade das empresas. Auxilia as pessoas que necessitam do socorro dos poderosos e propicia uma existência correta e tranqüila.

 Mebahiah - Este anjo consola e ajuda a vitória em qualquer tipo de atividade. Favorece, também, a proteção às criações.

 Poiel - este anjo ajuda a vencer demandas. Favorece a aquisição de prestígio, fortuna e a propagação das grandes filosofias.

 

 

08 Arcanjos

O termo Arcanjo, em grego “arch” e “angelos”, que se pode traduzir como “o primeiro”, o “que está acima”, o “que dirige”, coloca S. Miguel este santo numa “situação de distinção” perante outros Santos.  O nome Miguel [do hebraico Mi = aquele ou quem, Ka = como, El = Deus], de acordo com escritos sagrados, pode significar “Aquele como Deus”, pelo que também se interpreta que S. Miguel pode (?) ser o próprio Jesus.  São Miguel é representado por um militar alado, armado de espada ou lança, subjugando uma figura representativa do mal, que se aproxima do que revela o texto da Bíblia em Apocalipse 12:7, diz:  "Houve então uma batalha no céu: Miguel e seus Anjos guerrearam contra o Dragão. O Dragão batalhou, juntamente com seus Anjos, mas foi derrotado, e não se encontrou mais um lugar para eles no céu."  O Arcanjo também aparece referido de Enoque, um antepassado do Noé, que o apresenta como o Príncipe de Israel; a Torá, livro sagrado dos Judeus, foi S. Miguel que instruiu Moisés a escrevê-lo, como aparece referido no livro dos Jubileus; enquanto os Manuscritos do Mar Morto, apresentam S. Miguel a lutar com Beliel, o demónio que comandava as forças do mal. A devoção ao Arcanjo S. Miguel pelas tropas pára-quedistas já é antiga, podendo-se considerar como seu Patrono desde a constituição das Tropas Pára-quedistas no início da segunda metade do século XX, dependente da Força Aérea Portuguesa.  Na capela da Escola das Tropas Aerotransportadas ocupa lugar destacado uma bela imagem de S. Miguel, do século XVIII, oferecida há anos pela primeira mulher pára-quedista portuguesa (e Ibérica) D. Isabel Rilvas. Com a integração das Tropas Pára-quedistas no Exército, foi S. Miguel Arcanjo consagrado como Padroeiro desta força de elite, sendo escolhido a data da sua festa litúrgica – 29 de Setembro – com o dia do Comando das Tropas Aerotransportadas.  A ordem tradicional dos Coros Angélicos coloca os "Arcanjos" entre os "Principados" e os "Anjos".  Pelas funções que desempenha, acreditamos que ele deve estar colocado no mais alto Coro dos Santos Anjos. Gabriel também é chamado de Arcanjo, e da mesma maneira que Miguel, através das páginas da Sagrada Escritura, vê-se que é conhecedor dos mais profundos Mistérios de Deus, inclusive foi Gabriel quem Anunciou a Maria que Ela estava cheia de graças e tinha sido escolhida pelo Criador, para Mãe de Deus. Por outro lado, também Rafael é denominado pela Igreja como um Arcanjo. A respeito de Rafael, no Livro de Tobias, ele mesmo confirma que está diante de Deus:"Eu sou Rafael, um dos sete Anjos que estão sempre presentes e tem acesso junto à Glória do Senhor". (Tb. 12,15).Miguel Arcanjo, cujo nome significa "quem é como Deus", é considerado o chefe dos exércitos celestiais e o padroeiro da Igreja Católica. É o anjo do arrependimento e da justiça. É comemorado pela Igreja Católica, sob o nome de São Miguel Arcanjo em 29 de setembro.

Perspectivas Bíblicas

O nome Miguel é escassamente referido na Bíblia, o que é considerado por alguns como uma revelação de discrição ou importância relativa que envolve esta sua figura. Assim, temos:

Livro de Daniel

* Referido duas vezes no capítulo 10: "Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia." e "Mas eu te declararei o que está registrado na escritura da verdade; e ninguém há que me anime contra aqueles, senão Miguel, vosso príncipe." Os estudiosos dividem-se acerca destas duas passagens: alguns crêem ver neste Miguel, o Arcanjo; a maioria, porém, acredita que nestes versículos, Miguel é apenas uma figura que, de acordo com a crítica bíblica, é provinda da mitologia Persa com a qual o povo Hebreu contactou aquando do seu Exílio na Babilónia e não identificável com o Anjo com o mesmo nome;

* Primeiro no capítulo 12 do livro de Daniel: "Ao final dos tempos aparecerá Miguel, o grande Príncipe que defende os filhos do povo de Deus. E então os mortos ressuscitarão. Os que fizeram o bem, para a Vida Eterna, e os que fizeram o mal, para o horror eterno"

Livro da Revelação

* No capítulo 12 do Livro da Revelação (ou Apocalipse): "Houve uma grande batalha no céu. Miguel e seus anjos lutaram contra dragão e suas legiões, que foram derrotadas, e não houve lugar para eles no céu. Foi precipitada a antiga serpente, o diabo, o sedutor do mundo. Ai da terra e do mar, porque o demônio desceu a vós com grande ira, sabendo que lhe resta pouco tempo".

Carta de Judas

* Na carta de Judas, o texto refere: "O Arcanjo Miguel, quando enfrentou o diabo, disse: "Que o Senhor o condene". Nesta passagem, alguns entendem que não é atribuída a Miguel a faculdade de juíz escatológico, reservada a Deus e ao seu Messias, na medida em que ele entrega o Diabo ao juízo de Deus. Outros, porém, argumentam que se trata do Filho de Deus antes de lhe ser dada autoridade régia, visto que esta passagem relembra um acontecimento muito anterior à época em que Jesus veio à Terra e foi posteriormente ressuscitado.

Nos apócrifos

No livro de Enoque ele é designado como o príncipe de Israel. No livro dos Jubileus, ele é retratado como o anjo que instruiu Moisés na Torá. Nos Manuscritos do Mar Morto é retratado lutando contra Beliel.

Definição na Igreja Católica e no Protestantismo

O Catolicismo, nas suas vertentes "Ortodoxa" e "Romana", mantém uma considerável devoção por São Miguel Arcanjo, especialmente demonstrada nas situações em que são efectuados pedidos de livramento dos seus fiéis contra ciladas do demônio e dos espíritos maléficos. Acredita ainda que, durante as orações, e quando o nome do arcanjo é invocado, este defenderá os crentes, com o grande poder que Deus lhe concedeu, protegendo-os contra os perigos, as forças do mal e os inimigos.

Outras Perspectivas Religiosas

Miguel como Jesus

As igrejas cristãs trinitárias, consideram que, pelo facto de Miguel ser chamado de arcanjo, identificá-lo como o Filho de Deus rebaixa, de algum modo, a dignidade ou o posto de Jesus. Assim, rejeitando que ambos possam ser a mesma pessoa, apresentam como argumentos as seguintes premissas: * Jesus é criador (João 1:3); Miguel é criatura (Colossensses 1:16)
* Jesus é Adorado por Miguel (Hebreus 1:6), Miguel não pode ser adorado (Apocalipse ou Revelação 22:8-9). * Jesus é o Senhor dos Senhores (Apocalipse ou Revelação 17:14); Miguel é príncipe(Daniel 10:13).  * Jesus é Rei dos Reis (Apocalipse ou Revelação 17:14); Miguel é príncipe dos Judeus (Daniel 12:1)  No entanto, algumas denominações religiosas identificam Miguel como sendo o próprio Jesus Cristo ou como uma representação dele. O raciocínio que os leva a crer que Miguel é apenas um outro nome para Jesus Cristo, baseia-se nas seguintes premissas:

Arcanjo

Na carta de Judas, no versículo 9, Miguel é designado como "o arcanjo" termo que significa "anjo principal". Esta é a única ocorrência bíblica de alguém ser chamado de "o arcanjo" o que, segundo alguns, sugere que existe apenas um anjo assim. De facto, a palavra "arcanjo" ocorre na Bíblia apenas no singular, nunca no plural. Além disto, o cargo de arcanjo se relaciona com Jesus. Sobre o ressuscitado Senhor Jesus Cristo, 1 Tessalonicenses 4:16 diz: "Porque o mesmo Senhor descerá do céu, com alarido e com voz de arcanjo." (Tradução J. F. Almeida) A voz de Jesus é descrita aqui como sendo a de arcanjo. Portanto, para alguns, esse texto indica que o próprio Jesus é o arcanjo Miguel.

Líder Militar

Segundo os textos bíblicos, Miguel e seus anjos batalharam contra o dragão e seus anjos. (Revelação ou Apocalipse 12:7), de modo que Miguel é descrito ali como o líder de um exército de anjos fiéis. O mesmo livro também se refere a Jesus como líder de um exército de anjos fiéis, no capítulo 19, versículos 14 a 16, sendo que o apóstolo Paulo menciona especificamente o "Senhor Jesus" e os "seus anjos poderosos" (2 Tessalonicenses 1:7), pelo que é possível concluír que, na Bíblia, existem referências tanto de Miguel e "seus anjos" como de Jesus e "seus anjos". (Mateus 13:41; 16:27; 24:31; 1 Pedro 3:22)  No entanto, e uma vez que nos textos bíblicos em nenhuma parte é indicada a existência de dois exércitos de anjos fiéis no céu, um comandado por Miguel e outro por Jesus, existem observadores que sugerem a conclusão de que Miguel não é outro senão o próprio Jesus Cristo na sua posição celestial.  Com base nestes argumentos algumas denominações cristãs desenvolveram as seguintes doutrinas: * As Testemunhas de Jeová acreditam que Jesus e Miguel são a mesma pessoa, a primeira a ser criada directa e exclusivamente por Deus. Crêem que o nome Jesus foi usado na terra por aquele que já existia no céu na posição de Arcanjo, sendo que nesta posição celestial gloriosa teria o nome de Miguel.  * Os adventistas crêem também que Miguel é Jesus, porém Ellen Gould White cria na doutrina trinitariana. Alguns críticos das Testemunhas de Jeová crêem que este conceito adventista influenciou a Charles Taze Russell.  * Muitos outros téologos protestantes também ensinavam que Miguel é Jesus, porém viam-no como o eterno e divino Filho, muito mais do que um simples anjo. No início do Século XIX, o erudito bíblico Joseph Benson declarou que a descrição de Miguel, conforme encontrada na Bíblia, "evidentemente indica o Messias". E. W. Hengstenberg, luterano do Século XIX, concordou que "Miguel não é outro senão Cristo". De modo similar, o teólogo J. P. Lange, comentando Revelação 12:7, escreveu: "Entendemos que Miguel, desde o começo, seja Cristo em traje guerreiro contra Satanás." Também Spurgeon e John Gill ensinaram essa interpretação.

Perspectiva histórica desta interpretação

Histórica e cronologicamente falando estas teses interpretativas dos textos bíblicos referidos acima remontam ao século IV quando foram propostas e defendidas, quase com as mesmas argumentações, na exposição cristológica de alguns discípulos e adeptos do presbítero alexandrino Ário.  Tal como se pode ver na célebre carta de Narciso de Neroníades, discípulo de Ário, comentando a maior obra de Ário - “Thalia” -, a Eusébio de Nicomédia - bispo da capital imperial e amigo de Constantino I -, as mesmas linhas argumentativas, acima aduzidas, são apresentadas para conciliarem as suas peculiares leituras bíblicas com as filosofias helenistas presentes no horizonte cultural do seu tempo (esta obra está citada e comentada, com a apresentação das contra-argumentações abaixo sintetizadas em H. G. Optiz – “Athanasius Werke, III, 1: Urkunden zur Geschichte der arianischen Streits”, Berlim). A mesma tese surge numa outra carta, agora de Eusébio de Nicomédia a Paulino de Tiro (citada e comentada com as contra-argumentações dos teólogos de então em F. Paschke - “Überlieferungsgeschichtliche Untersuchungen”, Berlim)  Na ocasião as contra-argumentações que foram apresentadas para desmontar, e demonstrar a insustentabilidade, das teses dos filo-arianos, embora possam parecer aos olhos de hoje muito simples, não destoam da pouca profundidade crítica e teológica daquelas que lhes deram origem: além de uma clara rejeição de toda a angeolatria (Colossenses 2:18; Hebreus 1:14; 2:5; Apocalipse 19:10) como contrária a toda a revelação bíblica, estrutura-se, a referida crítica, em redor da contextualização da citação de Judas 1:9, a qual é uma citação do livro apócrifo - não inspirado nem canónico - da “Assunção de Moisés” que, por sinal, refere-se a três (eventualmente quatro: Gabriel, Miguel, Rafael e Satã arcanjos donde Miguel não seria o único arcanjo, pelo que a expressão “? a??a??e???” - num facto corroborado pela construção sintáxica do texto original do citado livro apócrifo -, nunca poderia ser um oposto a “???a??”. Referem-se, ainda, ao facto de não obstante somente no livro de Naum se dizer que é um livro de dado profeta ("sëper Házôn naHûm") não se poder, daí, «concluir que os restantes textos proféticos não sejam também livros proféticos» (página 284).  A respeito da tentativa de identificar Jesus com Miguel, por referência às citações comuns a ambos de comandarem legiões celestes (Mateus 13:41; 16:27; 24:31; 1 Pedro 3:22), citam uma carta do próprio Ário que fala dos “presbíteros de Prólico (seu superior monástico)” e dos “presbíteros de Alexandre (seu bispo)” para mostrarem que não é pelo facto de nas duas únicas referências a “presbíteros de” se referirem a Prólico e a Alexandre que se pode identificar Alexandre com Prólico, pois «“os presbíteros” daquele são mais do que os deste, sem que passem a constituir dois corpos presbiterais, antes estando o de Prolico inserido no de Alexandre» (página 323). Analogamente, dizem os detractores clássicos da antiguidade acerca da tese da identificação de Miguel com Jesus, as "legiões de Cristo" são maiores do que as de Miguel, pois somente, ainda segundo o livro do Apocalipse e a carta de Judas, Miguel não assumiu o papel de juiz escatológico, deixando-o para Jesus Cristo, pois «apesar de votar Satã ao degredo, não o julga nem acusa nem condena» (página 316).  Por sinal, nesta carta, não é citada a passagem de Tessalonicenses, mas na contra-argumentação geral, aduz-se que “e?” mais dativo não é neste contexto construção modal (“com voz de…”), mas temporal (“à - quando se fizer ouvir a - voz de…”) tal como em 1 Tessalonicenses 5:2 (Nota: as teses e contra-teses aqui apresentadas estão nas duas obras acima referidas).  Estas perspectivas dos críticos de Narciso e de Eusébio de Nicomédia são retomadas, por sinal, num dos maiores expoentes da literatura inglesa: O Paraíso Perdido de John Milton, no qual, é somente após a intervenção de Cristo com as suas legiões de anjos que o combate iniciado pelo arcanjo Miguel se decide para o lado de Deus (canto VI).

O anjo Miguel nos manuscritos do Mar Morto

Desde a publicação, em 1991, da quase totalidade dos textos descobertos no deserto da Judeia - comummente conhecidos como os manuscritos do Mar Morto - que o estudo acerca da angeologia judaica sectária e extra-biblica teve um grande desenvolvimento.  Nestes textos - numa perspectiva que viria a ser recuperada pelos movimentos gnósticos do século I - Miguel é apresentado como a figura celestial de Melquisedeque exaltado, elevado aos céus. É - ver 11Q13 - analogicamente referido como o "princípe da luz" que dará combate ao "principe das trevas" - Satã, Belial ou Melkireshah (o príncipe das profundezas da Terra) - aquando da grande batalha celeste que antecederá o fim dos tempos e a nova vinda do fundador da comunidade essênia, o "Mestre da Justiça", como messias escatológico. Neste contexto, de facto, e numa descrição profundamente âmbivalente, em 4Q529 e 6Q23 o triunfo definitivo da paz não lhe é atribuido - veja-se o texto Bíblico de Judas 1:9 onde Miguel recusa a função de juíz escatológico: «Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: "O Senhor te repreenda"» - mas apenas é o seu arqui-estratega. Miguel recusa inclusive o título de "Senhor" e de "Salvador", ao mesmo tempo que - segundo 4Q246 - aguarda que, tal como o seu modelo histórico apresentado neste texto, Antíoco Epifânio, se possa autoproclamar "um deus" e ser adorado como deus, tal como aquele em Daniel 11, 36-37.  Finalmente, e para se concluir esta breve descrição de Miguel/Melquisede segundo os manuscritos do Mar Morto, Miguel é mesmo apresentado - na linha de interpretação que o vê como o grande usurpador do senhorio de Deus e que será retomada, com algumas matizes, por movimentos para-cristãos nascidos no século XIX - a louvar o malquisto rei Sedecias - veja-se 2Reis 24,19 -, prometendo-lhe, inclusive, uma aliança para que este leve a bom termo os seus planos malévolos.    Em síntese, vê-se que a angeologia apresentada por estes textos não é homogénea, mas aduz um grande leque de orientações desde as menos negativas - as que consideram Miguel como Melquisedeque exaltado, mas com desejos de ser adorado - até às profundamente negativas - as que o concebem como próximo do malévolo rei Sedecias -. Nos primeiros séculos da era comum, como se apresenta abaixo neste artigo, esta literatura teve muita influência em círculos gnósticos vindos do helenismo platonizado na medida em que a sua falta de clareza e a âmbiguidade exotérica - quase a roçar o paganismo (de facto jamais tais perspectica poderiam ser tidas como inspiradas - quer pelo judaísmo, quer pelo cristianismo) - serviu plenamente os seus intuitos de estabelecerem pontes de contacto com o crescente influxo cultural do cristianismo e, assim, não perderem a sua importância religiosa.

Perspectivas mitológicas

De acordo com alguma angeologia inter-testamentária heterodoxa ("Revelação de Satanás" e "Ascenção de Melquisedec"), retomada posteriormente por cristão gnósticos - que não admitiam que Deus pudesse na verdade ter tocado, andado e vivido num mundo que consideravam perverso e diabólico - e cultos pagãos mistéricos da bacia do Mediterrâneo Oriental - que se serviram desta figura que tão poucas vezes aparece nomeada na Bíblia para estabelecerem pontes com cristãos menos formados -, o Anjo Miguel - "malach Micha'el" - ou o Justo Miguel - "sedek Micha'el" -; não era senão Melquisedeque "Mal'ch sedek" exaltado, glorificado, não sendo, pois, identificável como uma criatura primogénita. Para estes movimentos que orbitavam o cristianismo primitivo, profundamente influênciados pela corrente filosófica do platonismo - que concebia a sua cosmologia como uma contínua estratificação de seres intermédios entre um demiurgo impotente e indiferente para com a humanidade e a sua criação - "sedek Micha'el" seria a figura do justo por excelência, aquele que, segundo Platão, morreria crucificado.  Misturando esta convicção filosófica com correntes cristãs heterodoxas, passaram a acreditar que, quem morrera na cruz, sob Pôncio Pilatos, afinal não fora senão Melquisedeque sob a aparencia de Jesus de Nazaré que, na verdade, segundo estes, jamais existira. Para estes "sedek Micha'el", enquanto andou sobre a Terra debaixo da aparência de Jesus de Nazaré, jamais fora verdadeiramente homem, rejeitando terminantemente que ele tivesse tido a necessidade de comer, beber, dormir, expressar emoções ou realizar necessidades fisiológias pois, se assim não fosse, não teria podido ser um anjo, isto é, um ser puramente espiritual.   Estas convicções, imensamente influênciadas pelas angeologias pagãs e exotéricas que pululavam no Mediterrâneo Oriental, são hoje totalmente tidas como miticas e desprovidas de qualquer valor histórico, embora continuem a formar o pano de fundo para muitas correntes religiosas que tiveram o seu impulso inicial em William Miller. Independentemente da história que rodeia esta figura - e de toda a polémica que surgiu em redor do grande desapontamento acerca do dia que o mesmo previu ser o da vinda definitiva de Jesus/Melquisedeque, com a posterior criação de inumeras teorias da conspiração que geraram uma história, uma politica e uma sociologia paralela e alternativa - a verdade é que a sua impar capacidade de reler estas tradições para o seu tempo, marcaram profundamente milhares de pessoas que, descontente com a realidade e incapazes de viverem nela, nas suas perspectivas miticas e neo-pagãs - num verdadeiro "proto-New Age", ou "New Age avant la lettre" -, misturadas com um cristianismo débil que conheceiam e apreenderam, encontraram uma nova "fuga mundi" escapista. A ordem tradicional dos Coros Angélicos coloca os "Arcanjos" entre os "Principados" e os "Anjos". Pelas funções que desempenha, acreditamos que ele deve estar colocado no mais alto Coro dos Santos Anjos. Gabriel também é chamado de Arcanjo, e da mesma maneira que Miguel, através das páginas da Sagrada Escritura, vê-se que é conhecedor dos mais profundos Mistérios de Deus.
 Nemamiah - Este anjo ajuda a prosperar todos os que trabalham por uma justa causa. Auxilia a libertação de pessoas viciadas, encaminhando-as para uma vida mais saudável. Favorece aqueles que trabalham em cidades litorâneas e todos que exercem funções ligadas ao lazer nessas localidades.
Ieialel - Este anjo ajuda a tirar a tristeza, a confundir os maldosos e as falsas testemunhas. Protege contra as maldades e os males dos olhos. Influencia os armeiros, serralheiros e todos que trabalham, comercializam e negociam produtos de ferro.

 Harahel - Este anjo ajuda a curar problemas dos órgãos reprodutores, principalmente femininos, favorecendo a vida longa e saudável. Tornam as crianças respeitosas com os parentes, pais, colegas de estudo e professores. Favorecem os corretores de valores, os agentes de câmbio, as pessoas que trabalham com órgãos públicos, arquivos, bibliotecas e as que possuem quaisquer coleções, principalmente as raras e preciosas.

 

 

Fazem parte desta Hierarquia:


 Mitzrael - Este anjo ajuda a curar os males de espírito e a libertação das perseguições. Influi sobre a fidelidade e a obediência.
Umabel – Este anjo favorece as amizades, os estudos de astrologia, psicologia e esoterismo; influencia fortemente as pessoas para que se especializem e destaquem em pesquisas dessas áreas.
 Iah-hel - Este anjo a obter sabedoria, auxilia no aparecimento de idéias luminosas e apaziguar a violência no mundo. Leva as pessoas a viveram de modo correto e honesto.Anauel – Este anjo ajuda a encontrar a verdadeira espiritualidade e a obter sabedoria. Protege contra problemas de saúde, acidentes e conserva a paz nas famílias, neutralizando as maldades dos inimigos.
 MehielEste anjo protege contra a raiva, inimizades e acidentes causados por pessoas inescrupulosas. Favorece aqueles que buscam a sabedoria, os professores, os autores e oradores. Influência aqueles que amam a leitura, as livrarias e todos que comercializam nesta área.

 

 

9 Anjos

A palavra "anjo" significa mensageiro. Normalmente ela se refere a uma ordem de seres espirituais; em raras ocasiões, a seres humanos (como em Lc 7.24; Tg 2.25). 
Todos os anjos foram originalmente criados num estado de santidade, mas alguns seguiram a satanás em sua rebelião contra Deus, tornando-se assim demônios. Alguns demônios vivem à solta, e outros estão confinados (2Pe. 2:4). Anjos são seres criados, subordinados somente a Deus (Cl 1.16). Sendo seres espirituais, não sofrem algumas das limitações comuns aos seres humanos. Têm organização e são divididos em ordens (Is 6.1-3; Dn 10.13; Ef 3.10; Jd 9). Anjos ministraram a Cristo várias vezes durante Seu primeiro advento e virão com Ele em Seu retorno (Mt 2.13; 4.11; 26.53; 28.2,5; Lc 22.43; 2Ts 1.7,8). Eles servem aos crentes (Hb 1.14) e os observam (1Co 4.9; 11.10). Miguel é o único designado "arcanjo" (Dn 10.12,21; Jd 9), embora Gabriel também tenha posição importante (Lc 1.19-26). Deus jamais disse a qualquer anjo que ele era filho, somente a Cristo e a respeito de Cristo. O mundo invisível é constantemente descrito na bíblia como algo constantemente presente em nosso meio, não como uma realidade distante, mas como algo presente entre nós. Os anjos não estão apenas ocasionalmente presentes na Bíblia; eles estão constantemente presentes! O termo “anjo” ocorre mais de 250 vezes nas páginas da revelação eterna de Deus das Escrituras, não apenas descrevendo o que ele têm feito mas também mostrando as coisas que eles fazem em nosso dia-a-dia, além do que têm feito no passado.“Não são, porventura, todos eles espíritos ministradores, enviado para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?” Hb 1.14A resposta da Bíblia é “Sim”, isto significa que o seu ministério aplica-se a nós – Hoje!  Os Santos Anjos recebem as ordens dos Coros superiores e as executam. Outro aspecto que não pode ser esquecido, é o fato de que os Santos Anjos, guardadas as devidas proporções, estão mais perto da humanidade e por assim dizer, convivendo conosco e prestando um serviço silencioso mas de valor incomensurável à cada pessoa.O Criador inspirou o escritor sagrado no Livro Êxodo, da Bíblia Sagrada: "Eis que envio um Anjo diante de ti, para que te guarde pelo caminho e te conduza ao lugar que tenho preparado para ti. Respeita a sua presença e observa a sua voz, e não lhe sejas rebelde, porque não perdoará a vossa transgressão, pois nele está o Meu Nome. Mas se escutares fielmente a sua voz e fizeres o que te disser, então serei inimigo dos teus inimigos e adversário dos teus adversários". (Ex 23,20-22)

  1. A Existência de Anjos:
    a) O ensino das Escrituras.
    A existência de anjos é ensinada em, pelo menos, 34 livros da Bíblia. A palavra "anjo" ocorre mais de 250 vezes.
    b) O ensino de Cristo.
    Cristo sabia da existência de anjos e a ensinava claramente (Mt 18.10; 26.53).

2- A Criação dos Anjos:
a) O fato.
O fato de sua criação é demonstrado em Colossenses (1.16).
b) O tempo.
Antes da criação do mundo (Jó 38.6,7).
c) O Estado.
Foram criados em santidade (Jd 6).

3- A Personalidade dos Anjos:
a) Intelecto (1Pe 1.12).
b) Emoções (Lc 2.13).
c) Vontade (Jd 6)

4- A Natureza dos anjos:
a) São seres espirituais ( Hb 1.14).
b) Não se reproduzem segundo a sua espécie (Mc 12.25).
Os anjos são mencionados nas Escrituras são designados pelo sexo masculino (Gn 18.1,2).
c) Não morrem (Lc 20.36).
d) São distintos dos seres humanos ( Sl 8.4,5).
e) Têm grande poder (2Pe 2.11).

5- O Número dos Anjos:
São inumeráveis (Hb 12.22).

6- Organização dos Anjos:
a) Um Arcanjo é mencionado.
Miguel (Jd 9)
b) Primeiros Príncipes (Dn 10.13).
c) Principados e Potestades (Ef 3.10).
d) Anjos da Guarda.
Para todos (Hb 1.14).
Para crianças ( Mt 18.10).
e) Serafins (Is 6.1-3).
Ligados à adoração a Deus.
f) Querubins (Gn 3.22-24).
Ligados à santidade de Deus.
g) Anjos Eleitos (1Tm 5.21).

7- Os Ministérios dos Anjos:

a) A Cristo.
1- Predisseram o Seu nascimento (Lc 1.26-33).
2- Anunciaram o Seu nascimento (Lc 2.13).
3- Protegeram a criança (Mt 2.13).
4- Fortaleceram a Cristo depois da tentação ( Mt 4.11).
5- Estavam preparados para defendê-lO (Mt 26.53).
6- Confortaram-nO no Getsêmani (Lc 22.43).
7- Rolaram a pedra que fechava a entrada ao sepulcro (Mt 28.2).
8- Anunciaram a ressurreição (Mt 28.6).

b) Aos Crentes.
1- Seu ministério geral é de ajuda (Hb 1.14).
2- Estão envolvidos com as repostas às orações (At 12.7).
3- Observam a experiência dos crentes (1Co 4.9; 1Tm 5.21).
4- Encorajam nas horas de perigo (At 27.23-24).
5- Estão interessados nos esforços evangelísticos (Lc 15.10; At 8.26).
6- Ministram aos justos na hora de sua morte (Lc 16.22; Jd 9).

c) Às Nações.
1- Miguel parece ter um relacionamento estreito com Israel (Dn 12.1).
2- Os anjos parecem ser agentes de Deus na execução de Sua providência (Dn 10.21).
3- Os anjos estarão envolvidos nos juízos da tribulação ( Ap 8, 9 e 16).

d) Aos Descrentes.
1- Anunciam juízos eminentes (Gn 19.13; Ap 14.6,7).
2- Infligem o juízo divino ( At 12.23).
3- Agem como ceifeiros na separação definitiva no fim dos tempos (Mt 13.39).

Sãe seres celestiais mais elevados do que o homem em dignidade, Sl 8.6; Hb 2.7, que não se casam nem se dão em casamento, Mt 22.30. Pela sua natureza, são chamados filhos de Deus, pelo menos em poesia, Jó 1.6; 37.7, e pelo seu caráter, são chamados santos, Jó 5.1; Si 89.5,7. O seu oficio é determinado pela palavra anjo. Em outros livros da Bíblia, há indícios de duas categorias de anjos em oficio e dignidade, como sejam os arcanjos (chefes) e outros de inferior posição, 1Ts 4.16; Jd 9. Estas duas classes não são as únicas. Há os anjos caídos e os que não caíram; há tronos e domínios, principados e potestades, Rm 8.38; Ef 1.21; 3.10; Cl 1.16; 2.15. Querubins e Serafins, todos os quais parecem pertencer à classe angélica. As forças inanimadas da natureza pelas quais se opera todo o movimento econômico do universo são mensageiros de Deus, Sl 104.4. A pestilência e a morte, quando obedecem a atos especiais do governo divino, são representadas como operando sob a direção dos anjos, 2Rs 24.16; 19.25; Zc 1.7-17. Escapando à vista humana, acampam-se a roda dos que temem a Deus, Sl 34.7; Gn 28.12; 48.16; 2Rs 6.17; Is 43.9. O Anjo do Senhor apareceu em forma humana a Abraão, a Agar, a Ló, a Moisés e a Josué; aos israelitas em Boquim, a Gideão e a Manoé. Um anjo do Senhor apareceu a Elias e a Daniel. Os anjos ocupam lugar saliente na história de Jesus, anunciando o seu nascimento e o de seu precursor, proclamando o seu advento aos pastores, servindo-o depois de sua vitória no deserto e de sua angústia no jardim, Lc 22.43, Foram ainda os anjos que deram as boas novas aos discípulos na ressurreição e ascensão. Um anjo assistiu a Pedro, outro a Paulo.   Alguns destes mensageiros de Deus são conhecidos pelos seus nomes, como Gabriel, Dn 8.16; 9.21; Lc 1.19,20: e Miguel, Dn 10.13,21; Jd 9; Ap 12.7. Há alguns anjos, enviados a executar ordens divinas, que são chamados Anjo do Senhor, 2Sm 24.16: 1Rs 19.5-7. Também se menciona um anjo, que em certas circunstâncias parece ser distinto de Jeová e que, no entanto se identifica com ele, Gn 16.10,13,14,33; 22.11,12,15,16; 31.11,13; Ex 3.2,4; Js 5.13-15; 6.2; Zc 1.10-13: 3.1,2. Assim, em Gn 32.30, se menciona um anjo em que se revelava a face de Jeová que tinha o nome de Jeová, e cuja presença equivalia a presença de Jeová, Gn 22.11; Ex 32:14: 33.14; Is 63.9. O anjo do Senhor aparece como uma manifestação de Jeová, um com ele e, todavia diferente dele. Eles são mensageiros, como o nome já diz, mas, pra nós que estamos acostumados a hierarquias de grandes empresas (e eu acredito que o planeta Terra seja uma grande empresa) poderíamos denominá-los de "advogados". Afinal, eles ficam lá pelas nuvens, tocando harpas, e de vez em quando recebem a ordem do Barbudão e diz "quero que faça isso" ou "vai lá e dá um jeito nessa confusão lá entre os humanos" e lá vai o anjo, P da vida por ter de deixar seu Reino Angelical e ir visitar de novo aquela raça de quase símios, e detona na gente!  Os anjos estariam mais pra os motherfuckers do filme Dogma do que pra os desenhos da renascença. Senão, como explicar a história de Lúcifer? Seria um anjo com transtorno bipolar, pra sair da bondade absoluta pra maldade absoluta? Na minha opinião os anjos têm de lidar com a parte suja do negócio, e por isso sofrem de problemas psicológicos por conta da pressão... Vejam o caso de Iblis, o "diabo" muçulmano.  Allah deu uma ordem para que os Anjos se curvassem perante Adão (ou, se preferirmos, a raça humana). Iblis recusou-se, e isto acarretou a sua queda. Lúcifer foi na mesma onda: "Por que o Chefe trata melhor aos humanos do que a nós?" E aí foi demitido...Deus não quer saber dos detalhes: ele tem galáxias e mais galáxias pra cuidar. É capaz até dele ter mesmo um braço-direito permanentemente aqui na Terra, tipo um Secretário-Geral, pra cuidar de tudo, e só os pepinos mais complicados é que Ele fica sabendo por alto. E aí o Big Boss tem idéias, como "vamos implementar uma religião aqui no Oriente Médio, que eles já estão em condições de absorver um pouco mais de espiritualidade". Aí cobra do Secretário-Geral, que vai fazer uma reunião com toda a diretoria pra resolver como será a melhor maneira de conseguir passar alguns preceitos pra aquele povo que, até o momento, está enchendo a cara, cheio de deuses (cada um com suas "leis") e se matando a troco de banana.  Na cultura judaica temos toda uma hierarquia de anjos, que seria o organograma da "empresa":

1.Haioth Hakodesh - Serafins
 2. Ophanim -  Querubins
3. Aralim - Tronos
4. Hashemalim - Dominações
5. Sheraphim - Virtudes
6. Malakhim -   Potestades
7. Elohim - Principados
8. Beni-Elohim - Arcanjos
9. Kherubim - Anjos

Quem você acha que vai ter de fazer o trabalho sujo de botar moral naquele povo? QUEM? Os Kherubim, popularmente conhecidos como "Anjos", é claro!  E aí despacharam um anjo pra tratar com Moisés, mas aí ele percebe que sua mensagem não surtirá efeito naquele povo a menos que venha da "boca" do próprio Deus, com direito a show pirotécnico e tudo mais! E assim tivemos os 10 mandamentos, com um Yaveh bastante "disponível" naquela época, dando instruções a Moisés por meio da Arca da Aliança.  Tempos depois desce Gabriel (conhecido no Islã como Djibril), que vai passar a mensagem de Deus pra Maomé (Muhammad) codificar o Corão.  Aliás, no Corão vemos o Gabriel rememorando os acontecimentos com Moisés, e ele falando de Deus sempre no plural (como o Deus de Israel fala em Gênesis).  Ora, se tivemos um mensageiro (ou vários, quem sabe?) pra falar com os muçulmanos, por que não pode ter sido assim com os judeus? Aliás, há uma teoria interessante sobre Yaveh na série de livros A saga dos Capelinos, de Albert Paul Dahoui, em que ele seria na verdade um Capelino, tão orgulhoso e feroz quanto os outros que estavam encarnados na Terra, mas com moral para comandá-los e disposição para redimi-los, de acordo com as orientações do Alto. Mas, de acordo com minha teoria, houve uma falha de comunicação entre o presidente e o advogado. É como se um diretor de escola disesse pros professores "eduque essas crianças da melhor maneira possível", e quando a informação chegasse no zelador fosse: "mantenha esses pirralhos na linha, custe o que custar. O diretor não quer bagunça por aqui". Se a única ferramenta que você tem é um martelo, você tende a tratar tudo como se fosse um prego (Abraham Maslow). Isso nos leva à uma extensão da minha teoria, onde já não tratamos mais dos anjos, mas sim de quem leva o puxão de orelha dos anjos: O profeta! Uma vez submetidos à "panela de pressão" que é ser investido da responsabilidade de levar adiante, aqui na Terra, a mensagem de Deus, e ser cobrado por um anjo sem muita paciência (investido da "autoridade" de um Deus vingativo), o que acontece?  Endurecimento, claro!  Por isso que essas religiões têm mais proibições do que tudo, todas com seus devidos castigos ou penalidades. Moisés já desceu do Monte Sinai botando quente no povo que adorava o bezerro de ouro. Maomé também não amoleceu diante dos opositores. Mas existiu um profeta que fugiu radicalmente deste conceito: Jesus. Ele aparentemente foi o único que pôde driblar a burocracia da "empresa Terra" e conversar com o presidente cara a cara. E percebeu que Ele era um cara legal, cheio de idéias, e que só queria implementar coisas para o nosso próprio bem, sem muito apego ao COMO fazer.  E Jesus, impressionado com a conversa, pensou: "Cara, eu tenho de contar isso pro pessoal da Terra". E contou. Como era um anti-burocrata, passou a chamar o presidente de "papai", sem papas na língua. E detestava os aproveitadores, que se diziam "assim" com o presidente (enquanto na verdade mal o conheciam) pra dar ordens nos outros e "carteirada" pra entrar de graça nos cinemas e nas festas. E questionou toda a lógica daquela época com frases como "Qual dentre vós é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará uma serpente?  Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhas pedirem?". Isso era virar o conceito de autoridade da época de cabeça pra baixo. Assim, ele foi execrado pela hierarquia estabelecida aqui na Terra, mesmo.  A ironia é que, uma vez assassinado o cara mais desenrolado em termos de religião que o mundo já viu, surgiu um advogado (que era da concorrência mas mudou de lado) que, segundo ele, tinha uma procuração pra falar em nome de Jesus.  Aí então surgiram as proibições mil, as penalidades, e o retorno da hierarquia, que descambou em mais burocracia...

 

Quatorze  aspectos dos anjos

1. Cinco aspectos  do ministério dos anjos
"Bendizei ao SENHOR, todos os seus anjos, valorosos em poder, que executais as suas ordens e lhe obedeceis à palavra.

Bendizei ao SENHOR, todos os seus exércitos, vós, ministros seus, que fazeis a sua vontade." Sl 103.20,21
Os anjos existem para servir a Deus de cinco maneiras, pelo menos.

2. Variedade na aparência dos Anjos.
"Então, a mulher foi a seu marido e lhe disse: Um homem de Deus veio a mim; sua aparência era semelhante à de um anjo de Deus, tremenda; não lhe perguntei donde era, nem ele me disse o seu nome." Jz 13.6
Dependendo da sua ordem da criação, os anjos aparecem em diferentes formas.

3. Estrutura organizada no mundo dos anjos.
"pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades.

 Tudo foi criado por meio dele e para ele." Cl 1.16
Os anjos constituem uma sociedade estruturada.

4. A influência dos anjos sobre as nações.
"Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia." Dn 10.13

Alguns anjos tem influências sobre as nações.

5. Anjos como mensageiros.
 "Um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Dispõe-te e vai para o lado do Sul, no caminho que desce de Jerusalém a Gaza; este se acha deserto. Ele se levantou e foi." At 8.26
Os anjos continuam ativos na edificação do reino de Deus, na qualidade de mensageiros.

6. Anjos da guarda – Cuidando de nós.
"Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra." Sl 91.11,12
Cada fiel tem seu anjo que o guarda.

7. Jesus e os anjos.
"Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João, o qual atestou a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo, quanto a tudo o que viu." Ap 1.1,2
Jesus está diretamente associado com os anjos por ocasião do seu nascimento, nos quarenta dias de jejum, em sua agonia na noite em que foi traído, na Ressurreição, na Ascensão e na sua segunda vinda.

8. Anjos caídos.
"Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão.

Também pelejaram o dragão e seus anjos; E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos." Ap 12.7-9
A mente e a compreensão dos anjos caídos foram tomadas por grande engano, tornando-os instrumentos da rebelião de satanás.

9. Espíritos Ministradores.
"Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?" Hb 1.14
Os anjos são espíritos ministradores.

10. Os serafins.
"Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava." Is 6.2
Os serafins estão constantemente glorificando a Deus, supervisionando a adoração celestial.

11. Os querubins.
"E, expulso o homem, colocou querubins ao oriente do jardim do Éden e o refulgir de uma espada que se revolvia, para guardar o caminho da árvore da vida." Gn 3.24
Os querubins guardam o trono de Deus e estão diretamente relacionados com a presença e retirada da glória de Deus.

12. Os arcanjos.
"Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda!" Jd 9

Arcanjo significa: Ser o primeiro. Representa o mais alto grau na hierarquia das hostes celestiais.

13. Lúcifer.
"Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações!

Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo." Is 14.12-14
Satanás era um anjo, que sucumbiu ao orgulho.

14. Crentes acompanhados por anjos.
"Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico e foi sepultado." Lc 6.22
Os anjos acompanham os fiéis na presença de Deus, por ocasião da sua morte e os congregam diante de Cristo por ocasião do seu retorno.

Os Santos Anjos recebem as ordens dos Coros superiores e as executam. Outro aspecto que não pode ser esquecido é o fato de que os Santos Anjos, guardadas as devidas proporções, estão mais perto da humanidade e por assim dizer, convivendo conosco e prestando um serviço silencioso, mas de valor incomensurável a cada pessoa.

 

 

Fazem parte desta Hierarquia:


 Damabiah - Este anjo protege contra os sortilégios ou presságios negativos, ajuda na obtenção do triunfo e faz com que os empreendimentos tenham resultados úteis. Favorece as pessoas que trabalham em cidades litorâneas e as expedições marítimas para pesquisas. Influenciam os marinheiros, os pilotos e todo tipo de comércio que tenha como fonte o mar.
 Manakel - Este anjo ajuda a acalmar a cólera das pessoas e a tirar delas todas as maldades. Influencia a inspiração para a música e a poesia. Domina o mundo dos Elementais.
 Eiael – Este anjo consola as adversidades ou injustiças. Favorece a longevidade, a preservação e a solidificação de bens materiais adquiridos por trabalho. Influencia nos estudos, principalmente da filosofia, misticismo ou religiões.
 Habuhiah – Este anjo ajuda a conservar a paz, a eliminar a força dos maldosos e a curar problemas de saúde. Exerce influência na agricultura, criação e fecundidade.
Rochel - Este anjo ajuda a encontrar os objetos desaparecidos e mostrar quem os escondeu ou roubou. Influencia na obtenção de renome, fortuna e sucesso na economia, política e justiça.
 Jamabiah - Este anjo domina as gerações e todos os fenômenos da natureza. Protejem quem se regenera e redime através da harmonia, exaltando a Deus e purificando os elementos. Recupera os drogados e os alcoólatras.
Haiaiel - Este anjo ajuda a confundir os maldosos e na libertação de vínculos com pessoas que querem nos oprimir. Protege todos os que recorrem à luz da verdade. Domina a vitória e a paz. Influencia as pessoas a terem força, energia, talento e mais segurança em todas as atividades.
Mumiah - Este anjo protege contra as operações mágicas desconhecidas.  Ajuda a Ter triunfo e conduz a descobertas que geralmente são úteis. Domina a química, a física, a medicina e a longevidade.

 

 

Estudo realizado por Presbítero Rogério Costa

Caxias do Sul – 03/05/2011

 

Ministério Igualdade Independente

www.ministerioigualdadeindependente.webnode.com.br

Projeto Plantar

www.projetoplantar.webnode.com

 

Envie um comentário sobre o que voce achou deste link!

imagens do anjo Sitael

Data: 08/12/2014 | De: Erivelton

Por favor, me enviei imagens do anjo Sitael.
E-mail: eriveltonsccp@gmail.com

Re:imagens do anjo Sitael

Data: 03/09/2015 | De: Pastor Rogério Costa

Coloca no Google o nome do anjo que voce quer, que aparece a imagem. É só salvar. Obrigado.

Novo comentário